Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

25
Fev15

[Ficção] Quero ser tua, mas para sempre

Carolina Cruz

10599709_317072708499961_6935579679787163299_n.jpg

 

Olhas para mim de longe, fazes aquele piscar de olho e eu sorrio, desligo e ignoro. Tu chegas e aconteces, e embora tudo o que possas demonstrar para te dar valor, não te dou troco, mas mesmo assim adoro esse jeito com que eu mexo contigo e mesmo que tu não saibas eu caio em ti e morro de amores em segredo.
Não digo, não quero dar parte fraca nem te dar o prazer de saberes que sou mais uma na tua vida, por isso deixo-te enfeitiçar por mim primeiro, para que me possas dar valor antes de poderes pensar que eu já to dei a ti, não quero que caias a meus pés, mas sim que me queiras para sempre.

 

 

 

 

 

 

Fonte da imagem: Facebook.

22
Fev15

A minha juventude

Carolina Cruz
 
10408676_362096480637183_6727818816781292629_n.jpg
 
 
 
Na juventude da vida tu foste a minha perdição e nessa eternidade tornaste tudo renovado, para sempre.
O amor não tem idade, nem prazo de validade, porque ao teu lado as memórias não morrem e a minha rebeldia é a chama desta mulher que mora no teu peito e te amará para sempre.
Não contamos passos pesados na nossa vida, mas a liberdade das aventuras vividas um ao lado do outro.
Por favor, mesmo que um dia eu possa não te reconhecer ou que chore por te fazer sofrer, por favor meu amor, não abandones essa cumplicidade das mãos dadas e dos nossos sorrisos unidos num só beijo.
Não abandones esse amor, que eu te amarei para sempre, além de tudo, para além do que virá.
 
 
 
 
 
 
 Fonte da imagem: Facebook
18
Fev15

[Cinema] A teoria de tudo

Carolina Cruz

The-Theory-of-Everything-poster-goldposter-com-3.j

Esta não é apenas a história de Stphen Hawking, o Homem que desafiou inteiramente a ciência e a física, de forma profissional e pessoal. É uma história de coragem, superação, lealdade e força de viver.
Para um homem integralmente ligado à ciência, o seu destino revelou-lhe uma fé nova que jamais esperava aceitar um dia: Deus.
Stephen Hawking foi diagnosticado com paralisia lateral amiotrófica na flor da idade, dando-lhe apenas dois anos de vida. E, na flor da idade lutou, embora na sua condição, para não ser apenas mais um ser, mas um dos mais consagrados cientistas, desafiando também ele, o tempo (tema da sua tese de doutoramento) e porque não o tema da sua vida?
O tempo jamais poderá recuar, invertendo os ponteiros do relógio, portanto o mais correto na nossa ação é compreender e aceitar, ter fé, percebendo que aquilo que temos é o melhor que podemos dar, dando-nos à vida, de coração. 
Mesmo que esse tempo destrua as nossas relações de amor, decerto nunca destruíra a lealdade de uma amizade verdadeira que é a base de tudo, nunca estraga a história de que se é feito e daquilo que se construiu. 
Por isso digo que esta não é apenas a história de Stephen Hawking, mas do tempo do qual passamos a fazer parte, porque este filme prende e aperta de tão real que é.

Eddie Redmayne protagoniza este filme com uma interpretação espetacularmente fantástica, bem merecida de um Óscar!

Vejam este brilhante filme e deixem-se embalar pelas lições que traz consigo.

 

 

 

(Fonte da imagem: goldposter.com)

17
Fev15

Não esperes o amanhã

Carolina Cruz

1796433_288524474688118_6108368188235334082_n.jpg

 

Nunca esperes ocasiões especiais para dizer a alguém de quem gostas tanto, o quanto essa pessoa é especial.
Não esperes que algo aconteça de bom ou de mau, para a valorizares e dizeres o quanto a amas.
Diz-lhe já, aproveita o momento, sem esperares o amanhã. As coisas boas precisam de ser ditas, não precisam de ser guardadas para ti, nem devem sê-lo.
Diz o que sentes e então tudo te sorrirá, não esperes um minuto, não sabes o que virá, um dia pode ser tarde demais para dizê-lo, para sentir.
Sente e vive como se não existisse amanhã, o presente é hoje.

 

(Fonte da imagem: Facebook)

16
Fev15

Avô.

Carolina Cruz
1472880_175092016031365_470619591_n.jpg
 
Ele sentou-se junto de mim e contou as mais belas histórias, da sua vida, do seu saber e também de seu amor.
Sei que me contaria muitas mais se permanecesse por aqui, mas não vale a pena a chorar, sei que onde quer que esteja está a contar e a inventar outras histórias, feitas de brincar, como era seu feito, de brincadeira e ternura.
Sei que ainda o prendo num abraço e num pedido de desculpas por não o ouvir mais vezes, mas sei que por mais dor que eu tenha, ele sorri-me e sabe quanto nos amamos mutuamente e quanto também a saudade nos abraça.
Não quero pedir que volte, seria egoísta pois sei que está bem, sei que olha por mim, porque eu continuo a lembrar as suas histórias, contadas junto ao rio, junto à saudade e à vida.

 

 

 

(Fonte da imagem: http://cleofas.com.br/)

15
Fev15

Um abraço que me faz entender

Carolina Cruz

1505378_227514774122422_1826011821_n.jpg

(Fonte da imagem: facebook.)

 

Então as palavras caíam no silêncio do tempo, deixando-nos escorregar pela magia da vida tão sentida, o amor.
Finalmente percebi o porquê de sofrer tanto outrora. Estava certo, mas eu jamais entenderia que seria para conhecer algo tão especial e tão único, que é nosso.
Percebi que outrora não era amor e todas as palavras eram vãs.
Era para que hoje eu soubesse o que significa um abraço forte que respeita e que protege, proteção de amar alguém de forma tão forte e tão pura. Cuidar e sentir de forma tão genuína cada momento, cada pequenina coisa que é nossa, que aprendemos a construir e que nada nem ninguém poderá destruir.
Contigo aprendi que se é amor, não termina, porque o nosso amor é eterno e infinito, e a vida? A vida é o encontro de cada momento, tão nosso.

 

 

 

12
Fev15

Momentos nossos.

Carolina Cruz

526959_162246457315921_1052883300_n.jpg

 

Não posso nem querer descrever.
Os meus olhos expressavam no brilhar o sorriso que tinham, sentiam o que sentia a minha alma e choravam, choravam de emoção, feita de uma só sabedoria, o amor.
O presente da vida é querer mais que aquilo que temos a cada dia e sentir que nada nos pode impedir de viver mais ainda, mais do que aquilo que só nós sabemos, que eu sinto que mais ninguém consegue sentir porque é tão puro e tão nosso, tão longínquo do saber e do alcance de qualquer um.
Só nós sabemos o que dizem as estrelas e só nós sabemos como é importante que vivamos para nos unirmos qualquer que seja o momento, pois não questionamos se é bom ou mau, pois todos eles são especiais e sim, nossos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 Fonte da foto: Tumblr

09
Fev15

[Cinema] Begin Again

Carolina Cruz

www.cineworl.ie.jpg

 

A música é um idioma universal, não precisa ser traduzida: quem ama a vida, sente que nada faz sentido sem a música.
Não falo no seu poder material, mas sim pessoal, intimo, sensível, espiritual e no poder de nos fazer livres de sentir o momento.
Com a música tudo à nossa volta parece fazer sentido, é mais belo e menos comum, as banalidades tornam-se especiais e viver torna-se mágico, exceto quando as músicas também nos lembram fases menos boas da vida, em que as nossas escolhas foram erradas e voltar atrás é impossível, pois o que outrora sentimos não pode voltar a ser real.
No entanto, a música é também alegria e uma forma de união e toca-nos intensamente quanto a batida do nosso coração.

 

 

 

Apaixona-te pela fantástica banda sonora e pelo sentimento que a música te faz sentir em “Begin Again”:

 

 

 

     Fonte da imagem: www.cineworl.ie

08
Fev15

[Simplicidades da vida] Rom rom.

Carolina Cruz

83777332.jpg

 

É tão bom chegar a casa, cansada, com os pés em ferida e a alma a rebentar e receber um miminho. Daqueles miminhos que não pedem retribuição mas sim, muita ternura.
Num rom rom está a paz de um abraço e num miado, o calor de um pedido simples de amor.
Olho para ele e por ele e penso como é mais racional que muito homem do mundo, mais perspicaz e mais terno... Mais humano que muita gente que pisa o chão, ele sente com o coração.

 

 

 

 

 

 

Fonte da fotografia: http://www.rafalopes.com.br/

05
Fev15

[Ficção] O passado em mim

Carolina Cruz

Hoje o patumblr_lhx87qbKpH1qbzs43o1_500.pngssado assolapou-se em mim, agarrando e amordaçando as memórias sentidas do meu coração.
Não quis acreditar, o sentimento que outrora vivi estava lá, na mesma preocupação, com o mesmo sabor. Que queria dizer tudo aquilo? Que queria voltar para trás? Em direção ao teu abraço? Não podia ser, se tinha sido tão forte todo este tempo, porque é que hoje me faltam as forças para lutar?
Não posso querer de novo aquilo que brotaste em mim: infantilidade e no fundo submissão a um sentimento cruel que padece em mim sob a tristeza de gostar de ti, sem saber porquê.
Mesmo que recue, faço do meu orgulho a minha coragem, para um dia tornar real a ideia de olhares para mim e perceberes que o que pe
rdeste pesa em ti.

 

Imagem via: Tumblr.

 

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D