Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

#post 100: Simplicidade na ausência

Nesta fase de ausência em que a vinda ao blog tem sido mais escassa. Hoje, sou breve e dedico estas palavras a todos aqueles que me seguem todos os dias, mesmo até nestes momentos. Não há nada melhor que alguém fazer o que mais gosta e saber que o outro lado valoriza o teu trabalho e o teu sonho.. significa que existem asas para voar. E são também vocês que constroem esse caminho que vou percorrendo e lembro-me disso todos os dias da minha ausência, pois a maior ausência é o esquecimento mas nem todo o tempo ausente significa que o seja. Eu sempre me lembro do quanto bom é ter-vos desse lado. A ausência do blog não significa que não tenho escrito, muito pelo contrário, novas inspirações surgirão. A vocês, obrigada do fundo do coração por fazerem deste sonho realidade.

* O teu olhar: Mergulho no nosso amor.

26. Andreia Santos.jpg

 

Mergulho neste mar infinito que é o nosso amor. 
És o meu paraíso, o lugar onde mora o meu coração. 
És o meu sonho de vida tornado realidade. Contigo entendi o verdadeiro significado de tudo o que é sentir, no mais intimo de mim.
Hoje reconheço que em todos estes anos, esta paixão, tinha razão de persistir e jamais me abandonar, dei-lhe o nome de emoção e joguei-me cegamente com sentido de se ser autêntico, como o brilho da areia. 
O amor tudo alcança, as histórias verdadeiras não se contam na tela, mas vivem em nós, no segredo de um beijo, que não contamos a ninguém, só ao vento, que nos sossega e nos abraça.

 

Foto da autoria de Andreia Santos, editada por mim.

 

Também queres enviar a tua foto? Então fá-lo através de carolinacruz22@sapo.pt

* Palavras que não são minhas: Corações em Silêncio

9722326759.JPG

 

 

O silêncio pode ser fatal quando se fala do coração. 
Precisamos de dizer o que sentimos, de pensar e refletir que o passado faz parte do que somos mas que não podemos ficar presos a ele. Porque perde-se uma vida enquanto nos apertamos na dor do que passou, sem deixar que coisas boas em nós aconteçam.
As palavras têm um significado libertador e fazem-nos crer que tudo se torna mais leve, quando na dor são partilhadas.
"Corações em silêncio" é um livro de Nicholas Sparks que aborda o desalento de se estar só mesmo acompanhado e relata a forma crua e corajosa  de como o amor nos torna e nos faz vencer.
Um romance diferente e apaixonante do autor, que nos apega e nos prega partidas com ternura.

 

 

Fonte da imagem: http://www.livrarialeitura.pt/

* Inspirações: Tu e eu

 

Basta de acreditar que nada mais existe connosco. Não sairei daqui enquanto não me disseres a verdade, enquanto não caíres nos meus braços e não disseres que pensas tanto em mim, quanto eu penso em ti.
Não mintas mais porque nada mais nos irá separar, nem os caminhos tomados, nem mesmo a idade, porque eu tenho a certeza que a nossa história, não contarás nem viverás com mais ninguém.
Por isso, ao deixares-me, a dor e a saudade irão consumir-te, apavorar-te de solidão, com vontade de sonhar de novo, de voltar aos meus braços e dizer que seremos sempre tu e eu.
Talvez seja apenas eu a iludir-me, já que o amor nos abandonou nas margens do nosso caminho. Mesmo assim não desisto em permanecer à tua espera, porque nada se consegue sem se ter errado ao tentar, mas o importante é lutar e eu conseguirei ter-te de novo.
Porque eu ainda te amo, serás sempre o meu sonho que não ver, jamais, perdido.

Amor.

75.jpg

 

 

 

 

Senti a brisa que me ofuscava ao longe, senti no verdadeiro sentido do verbo sentir. Repito-me constantemente, mas a pureza do que vivi transcendeu-me, apetecia-me, somente, tocar o céu, arrepiar-me e acreditar que tudo aquilo valia a pena.
Apetecia-me amar, amar perdidamente, a doçura do teu olhar e enamorar-me em cada onda do teu corpo que não tinha fim, que eu desejo que não tenha.
Desejo sim que tudo o que sinto, seja por si só, eterno. Que se eternize na vivência do que somos, na paz e na fé que tenho do que seremos um dia e que essa plenitude do que encontrámos seja tudo aquilo que amanhã exista em nós, amor.

 

 

 

Fonte da imagem: facebook

* Filmes com história: A menina que roubava livros

bookthief.png

 

Numa história assombrada, na própria história do mundo, durante a segunda guerra mundial, no tempo do velho Hitler em que a humanidade se escondia de medo e submissão, Liesel descobre que as palavras são aquilo que, em qualquer situação, boa ou má, nos dá vida.
Vida que tanto tememos e que com as palavras, tornamo-nos mais sábios e mais capazes de vencer qualquer dor ou qualquer sentido que não é o correto.
Liesel conta a história entre magia e dor e, num profundo silêncio percebemos que também as palavras nos salvam e nos prolongam na eternidade.
As suas palavras foram eternas e contaram as suas amarguras, desejos e certezas de que tudo aquilo que viveu a tornou nas mais sábias mulheres do mundo.
Um impressionante filme que nos deixa a chorar e a sorrir e, a refletir que temos de dar o melhor de nós sempre, aprender a sermos pessoas porque todos temos um destino, por aí.

 

Fonte da imagem: http://blogs.diariodonordeste.com.br/

* Simplicidades da vida: O lado bom de chorarmos

10177517_282225585318007_6470498573459649223_n.jpg

 O lado bom de chorarmos é saber que temos ao nosso lado, alguém com um sorriso prestes a fazer-nos sorrir de volta. Melhor que isso é ainda saber que alguém nos limpa as lágrimas com um beijo, dizendo em jeito tímido que está ali, para sempre, para tornar os nossos dias melhores.
Porque todos temos o direito de nos sentirmos em baixo, temos também o direito de alguém para amarmos e de alguém que nos complete, até nos dias que parecem não ter cor.
Porque ninguém está imune à tristeza, o lado bom de todo o mal que nos possa entristecer é saber que em segundos, devemos e temos o direito de levantar a cabeça e sorrir, limpando as lágrimas e limpando a alma, num abraço em sintonia com esse alguém que nos faz sorrir.

 

Fonte da imagem: Facebook.

* Dar que pensar: Amigos verdadeiros

Achas que é a ficar no sofá que vais contar histórias? Não. Sempre ouvi dizer que quando mais tarde recordares não é da noites bem dormidas que te irás lembrar ou ter saudades. Não são os 1001 amigos que tens no facebook que te vão apoiar nos momentos mais dificeis da vida.
As saudades tomam conta de nós, mas enganamo-las com conversas por chat, videochamadas, mas não é isso que alimenta uma amizade. 
É nos encontros, nas gargalhadas, nas novidades contadas, das piadas que só o teu grupo percebe, a união que vos torna nos melhores amigos, como irmãos, que se defendem e se entreajudam. 
Se tens saudades corre, encontra-os e não encontres desculpes para não aproveitares o que a vida tem de melhor: os amigos, aqueles que, por mais poucos que sejam, valem por mil.
Corre, antes que se tornem estranhos, corre antes que a vida passe e tudo o que tenha restado de vós seja a saudade.
Não te prendas às redes sociais e se as usares, mostra que também podes estar do lado do abraço, da convivência e do gesto que fazem dos nossos dias melhores, porque melhor mesmo que as redes sociais ainda é uma mesa cheia de amigos.

Mulher da tua vida

mr and mrs 3.jpg

 

 

Eu nunca vou deixar de ser a verdadeira mulher da tua vida, aquela que não deixará que entre mais nenhuma para ocupar o meu lugar em teu coração.
Eu serei sempre aquela que, com carinho, chamas de miúda e a quem dás um leve beijo na testa, com respeito, orgulho e desejo de ser eu a dona do teu olhar, aquela que te dará a mão no dia mais feliz das nossas vidas.
Que partilhará contigo a cama, que te fará querer ter insónias depois de um longo dia de trabalho, que te levará para bons caminhos, mas com desejos e pecados de uma diva, mas serei sempre a tua menina que te acha rude nesse teu ar doce, num calor de um abraço.
Eu nunca vou deixar de ser a mulher que te quer e que quererás ter para sempre.
Por mais que tudo trema e que voemos, o nosso lugar será sempre o nosso sorriso, que é um só.

 

 

 

 

Fonte da imagem: Facebook

Ficção: Quem ama, ama por inteiro.

Amanda-seyfried-hairstyles3.jpg

 

 

 

Admite, quando gozavas com os meus sentimentos na escola, onde me chamavas de feia e inútil, não imaginarias que eu me tornasse na mulher que hoje sou.
Sabes, hoje mora a vaidade em mim para te mostrar que tu é que és inútil por não perceberes que o interior é o mais importante e que o exterior é apenas a nossa imagem, que hoje te mostra que em mim também pode ser belo.
Naqueles anos entendi que nem sempre o amor supera o desânimo e que as pessoas devem amar quando gostam de alguém pelo que é e não moldada a si.
Quem ama, ama por inteiro, ou então nunca amou de verdade.

 

 

 

 

Fonte da imagem: http://lesmiserables.wikia.com/

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Outros lugares

Blogues à Mesa
3XQY_12a3qPlDRIcVpKJSt0ZO-QUA-vmBk3L3bSl7jI.png