Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

3 filmes sobre a deficiência

p11.jpg

 Nome de código: Mercúrio

Ele transporta o dom consigo, é especial, apresenta disfunções ao nível social e da comunicação, não é um atrasado, é autista. Tem uma inteligência tão sua e tão cobiçada.
Não o entendo como inferior e sim inteligente, num saber tão precoce, tão intuitivo. 
Foi essa inteligência que o levou a estar em constante perigo, mas igualmente a criar ligações importantes para a sua vida.
É necessário nunca descuidar aqueles que cativamos e que, mutuamente nos cativam. Simon soube disso, não esqueceu Art, nunca.
"Nome de código: Mercúrio" leva-nos numa adrenalina constante, a aprender sobre mil e um sentimentos que a vida nos prega e nos traz, que a diferença não é inferioridade, mas sim algo que torna tudo mais especial neste mundo cruel!

 Abraços Partidos

“Abrazos rotos”, nome original do filme “abraços partidos” de Pedro Almodóvar, que p17.jpgconta a história de um cineasta, que perdeu a visão num trágico acidente e que mesmo assim não se vê a parar de escrever e deixar de fazer o seu trabalho, muito pelo contrário.
Este filme relata o reencontro deste cineasta com o passado, a amores que tiveram uma intensidade imensa e um fim precoce, mas no presente esse tempo que não volta mais ajuda a desvendar mistérios e segredos que outrora nunca tinham sido entendidos.
Entra na magia e no suspense desta película do famoso e único Almodóvar e descobre a preciosidade do tempo no agora e do que somos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Like stars on heart 

 

“Somos todos diferentes” é um filme indiano que nos mostra, exatamente, o que o seu próprio titulo indica. Ninguém precisa de ser igual ao outro, cada um é como é, na sua essência e cada um marca da sua forma, naquilo que é melhor.
Tantas crianças há que, tal como Ishaan têm problemas de aprendizagem,p18.jpg como a dislexia por exemplo e ler e escrever para essas crianças é um tremendo pesadelo, porque não compreendem o que é escrito e para saber ler e escrever é preciso compreender para saber como interpretar.
Não estou a dizer que estas crianças nunca chegam a ler ou a escrever. MUITO pelo contrário, são fabulosos artistas, tantos conhecidos há que se deparavam erradamente com as palavras, falo por exemplo de Albert Einstein, Leonardo Da Vinci e incrivelmente até Agatha Christie, escritora de tantas palavras bonitas e se virmos bem são pessoas que marcaram o mundo, são “pedras preciosas”.
“Pedras preciosas” que precisam de ser respeitadas e amadas, de serem compreendidas e animadas apostando nas suas potencialidades porque o seu crescimento e evolução é diferente de todos os outros, e se formos a ver nenhum de nós aprende da mesma forma ou ao mesmo tempo.
Cada criança é uma criança com o seu dom, que precisa ser valorizado, porque cada um nasce para ser diferente de todos os outros, todos somos especiais, cada um é um ser e tem o direito a crescer e a viver com dignidade.
O filme conta a história que reflete tantas outras histórias destas crianças pelo mundo e leva-nos a refletir que de cada um podemos tirar o melhor e que unidos a nossa causa será maior e mais felizes seremos se respeitarmos e acreditarmos naqueles que admiramos e que tanto amamos.

 

 

18 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Outros lugares

Blogues à Mesa
3XQY_12a3qPlDRIcVpKJSt0ZO-QUA-vmBk3L3bSl7jI.png