Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

08
Jun16

[Completas-me] Com Titi

Carolina Cruz

Hoje a nossa convidada de "completas-me" é a Titi, do blog "Em nome do amor", que é uma pessoa com quem eu me identifico bastante, na forma de escrever e de sentir.. Passem no blog dela porque é maravilhoso o que ela escreve! Entretanto leiam o que escrevemos em conjunto:

 

Texto da titi.jpg

 

"Há muito que os nossos olhares se cruzaram. Naquele dia, embriagados pelas luzes de uma noite de festa e uma roda gigante de pessoas barulhentas. Abeiraste-te de mim e num inocente gesto, ajoelhado aos meus pés "queres casar comigo?". Nada aflita agarrei a tua mão e dançamos noite dentro. Como se aquilo significa-se "sim", e eu nem te conhecia. As estrelas estavam a conspirar a meu favor. E eu adorei. Detestava passear de mãos dadas contigo pela rua. Eram raras as vezes que te agarrava. E te beijava publicamente. Dificilmente declarava o meu amor por ti. Era livre. Espontânea. Divertida. Amarga. Estranha. Era no fundo estranhamente eu, fiel a mim, e à nossa perfeição. Não me preocupava que nos achassem estranhos de nós. Porque os estranhos eram eles. Invadiam o nosso café, com os seus beijos melosos e os abraços que não se descolavam. O meu olhar perplexo colava-se neles, e quase me distraía de ti. Como eu gostava do nosso amor livre. Eu saía com os meus amigos e tu com os teus. E no dia a seguir a saudade até parecia maior. Queria correr para te contar como senti a tua falta, como me senti incompleta sem estares ali. Era como se todos os dias te amasse de novo, mas melhor. Os castelos encantados. As noites quentes. O brilho no teu olhar. As saudades que eu tenho daquele amor, de nunca te disse, mas que era só nosso, que me deixa estranhamente apaixonada por ti. Até hoje. E até sempre. Porque te amo. E tu amas-me?"
Amas-me? Mesmo depois deste meu ar frio e cruel de te querer tanto sem te abraçar? Pareceu-me que a tua partida foi desmedida, sem pensares realmente que no meu jeito livre eu também tinha sentimentos, exatos, paralelos e imediatos, fortes, acolhedores, mas… caramba! Sempre foi a minha maneira de ser, porque haveria de mudar por ti? Se nem acolheste bem este meu jeito de ser, se não amaste os meus defeitos tanto quanto amaste as minhas virtudes. Eu sei que no fundo amaste, eu sei que amaste, mas deixaste-te levar pelos comentários baixos de quem dizia amar-te mais que eu, porque o provava em cada gesto exagerado.
Em todos os sorrisos cínicos que ela te lançava, em todos os abraços pouco sinceros, nos beijos exagerados que ela te deu, nada provou, ela não te amou mais que eu… Tanto que hoje estás sozinho. Porque ela só queria o que lhe podias dar, é essa a nossa grande diferença entre nós, eu só te queria a ti, só a tua presença bastava-me, fazia-me bem à alma, ao coração. Diferentes pessoas demonstram de forma diferente o seu amor, não que amem menos. Foi o meu caso.
Eu que não queria sofrer de amor, despedacei por completo todas as partículas do meu corpo, mas não me vou ajoelhar a teus pés, implorando que voltes, foste tu que partiste.

12 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D