Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

* Filmes com história: Amigos, amigos, telemóveis à parte

phpThumb.jpg

 

O que é que escondemos dos nossos amigos? 
E se, por divertimento, ou jogo, colocássemos os nossos telemóveis em cima da mesa de um jantar de amigos?
Qualquer amigo teu, veria, leria todas as mensagens que recebesses, ouviria em alta voz todas as tuas chamadas.
Como ficaria tudo isso? Como te sentirias? Se algumas coisas que escondes fossem reveladas?
“Amigos, amigos, telemóveis à parte” é um filme italiano que aborda exatamente do que falo, de uma forma bastante divertida.
A história deste filme baseia-se num grupo de amigos que num jantar decidem fazer esse jogo.
Entre risos e gargalhadas, muitas histórias e segredos por revelar serão descobertos.
Será que a união destes amigos será a mesma depois disto? Que riscos acarretará este simples jogo? O que irá prejudicar estes amigos?
Vem saber, vê este filme e ri à gargalhada, porque é realmente muito bom, com muita qualidade.

 

 

 

 

# Completas-me 15 - Com a Simple Girl

A Simple Girl é uma rapariga extraordinária, fala-nos de sentimentos que nos enchem de vida, e como ela tem dito e revê-se no seu nome, o seu blog é uma simplicidade de desabafos, mas tal como ela eu venero a simplicidade das coisas, e tal como ela acredito que é isso que nos faz felizes. O texto que ela partilha connosco hoje expressa um amor que nunca morre: a amizade. Foi um texto que adorei tanto e que completei de forma tão certa, que nem parece escrito a duas mãos. Querem conferir?

 

"A vida nunca é como queremos ou como planeamos, e aquilo que mais queremos só vai acontecer quando menos esperarmos. Mas às vezes também nos acontecem coisas que não esperávamos e que mais valia não terem acontecido. E uma delas foi o sentimento que criei por ti. Não falo da amizade, que é verdadeira entre nós e em que só nós sabemos como lidar um com o outro. Falo sim desse sentimento que nos faz suspirar, ter borboletas na barriga, que nos assola o coração e que se chama “amor”. Não estava nos meus planos nem muito menos esperava que alguém entrasse na minha vida como tu o fizeste: de repente e apanhando-me completamente desprevenida.
Há coisas que não conseguimos entender e há coisas que não conseguimos explicar. E uma dessas coisas é o amor que sinto por ti, que apareceu do nada, sem eu querer e sem estar minimamente preparada. Ninguém sabe o quanto sofri sozinha ao esconder este sentimento de toda a gente. E porquê? Porque não consigo entender porque é que me apaixonei por ti sabendo de antemão que nunca passaríamos de amizade, porque não consigo explicar o quanto gosto de ti sabendo que não posso gostar desta forma, não além de amigo. Não consigo explicar a ninguém (e não tinha que o fazer) nem entender o como e o porquê de termos a intimidade e a cumplicidade que temos. Nem a mim própria consigo explicar como é que tudo isto aconteceu, como me deixei apaixonar por ti sabendo que isso não podia acontecer.
Mas é sabido que “mudam-se os tempos, mudam-se as vontades” e graças a esse amigo de todas as horas, o tempo, consegui começar a desapegar-me de ti. Não de uma forma total, mas aos poucos, com calma e gradualmente. Tu que entravas sempre pelo meu pensamento quando não devias agora já não entras tantas vezes. Tu que fazias o meu coração acelerar cada vez que te via, que me aproximava de ti, ou quando simplesmente recebia uma mensagem tua, agora já não o fazes tantas vezes como antes. Talvez tudo isto se deva mesmo ao tempo que cura tudo, ou à distância que nos separa fisicamente pois diz o ditado que "o que os olhos não veem, o coração não sente".
Quando me disseste que não sentias o mesmo que eu, podia ter ficado profundamente afectada. Mas não. Claro que fiquei triste por uns momentos, mas depois recuperei porque independentemente disso tens cumprido a promessa que me fizeste e nada mudou na nossa amizade. Segui em frente e apesar de tudo estou-te muito agradecida por..."

 

completas-me Simple Girl.jpg

 

Acreditares que posso seguir em frente, contigo a meu lado. Que embora não seja tua namorada, possa continuar ser a tua melhor amiga.
Eu sei e sei bem, que o tempo curou tudo, mas não sei se é apenas acomodação ao saber o que sentes por mim, porque, na verdade, eu questionei-me muitas vezes se a indiferença do meu pensamento em ti esmorecerá quando tu encontrares alguém e se o fizeres antes de mim.
Há uma parte de mim que dirá que ficarei feliz por ti, que vou querer conhecê-la, que quero que ela te faça muito feliz, porque bem mereces. No entanto, a outra parte, essa parte que o meu coração omite, talvez terá ciúmes, talvez quererá estar no lugar dessa rapariga, talvez chore, talvez sorria para esconder essa mesma tristeza.
Até lá não quero pensar, nem em ti, nem em ninguém, quero esperar que o tempo, esse mesmo que me tem curado, me faça encontrar alguém que possa retribuir esse amor que sentira (que talvez ainda sinta), aquele que nos faz levantar de manhã e agradecer não existir mais ninguém. Talvez quem sabe o destino não nos troque as voltas e nos diga que fomos feitos um para o outro, e se assim for estará escrito, se não for não tinha de acontecer. Disso não tenho certezas, porque só há uma certeza que tenho na vida, ter-te é a minha condição de liberdade e em ter-te, ainda que nesta cumplicidade de apenas amigos, eu sou feliz. Tenho a certeza que essa felicidade nunca terminará, que a nossa amizade será para sempre, venha o que vier.

* Uma foto por dia: Novembro e Dezembro.

Já não era sem tempo que eu publicava os últimos meses do ano passado aqui no blog!
Pois é, é verdade, 2016 passou a voar, e foi espetacular na vossa companhia, espero que também vocês tenham gostado de o ter partilhado comigo para lá das palavras, o meu dia-a-dia, um pouco mais de mim.
Se sim, não fiquem tristes, porque o desafio não se mantém mas continuarei a publicar fotografia no instagram (afinal é a minha rede social preferida) e sem pressão de publicar uma por dia, as fotografias serão melhores (espero que sejam da mesma opinião). 

Assim sendo vamos lá encerrar este desafio!

 

NOVEMBRO 

PicMonkey Collage1.jpg

306/366 - feriado e escrita!
307/366 - frases dignas de fotografia!
308/366 - Vi-ci-an-te!
309/366 - dias cinzentos
310/366 - estranhos sentimentos do coração

PicMonkey Collage2.jpg

311/366 - a leal Mia!
312/366 - The little marmeid
313/366 - um dia sem escrever é como um dia sem amar! Estou de volta!
314/366 - o Michael Bublé tem destas coisas como fazer-me ouvir músicas de natal sem novembro nem ter chegado sequer a meio!
315/366 - I'm chef

PicMonkey Collage3.jpg

316/366 - mau feitio sempre em primeiro plano!
317/366 - Dois livros com histórias poderosas a pedirem-me para serem lidos! — com Cátia Cardoso e Patrícia Rebelo.
318/366 - Que fantástica e saborosa ideia Nestlé!
319/366 - a minha máquina poderosa (só que não ) diz que aquele ponto branco no escuro é a super lua!
320/366 - reflexos de um fim de tarde!

PicMonkey Collage4.jpg

321/366 - Ler podia ser considerado exercício físico
322/366 - perspectivas de um banco de jardim.
323/366 - detalhes.
324/366 - bom dia!
325/366 - óptimo dia para leituras.

PicMonkey Collage5.jpg

326/366 - dedicando-me ao blog
327/366 - começo de novas leituras! — comPatrícia Rebelo.
328/366 - o lado bom dos dias frios. Chá, filme e mantinha.
329/366 - Assim os dias de frios valem a pena!
330/366 - Hora de Castle

PicMonkey Collage6.jpg

331/366 - o  fica mais quente quando podemos ajudar um pequeno ser.
332/366 - Outono
333/366 - o meu despertador preferido. Que forma boa de acordar
335/366 - mais uma boa leitura a começar - "linhas delicadas" de Cátia Cardoso. — com Cátia Cardoso.
335/366 - percebes que são os teus melhores amigos quando tanta trafulhice em jogo é perdoada!

 

DEZEMBRO

PicMonkey Collage7.jpg

336/366 - de seu nome Camões
337/366 - noite de fados!
338/366 - o melhor do inverno
339/366 - quando a inspiração chega. Talvez deveria era estar a dormir. No entanto, há que aproveitar todos os bocadinhos! — em Lousã.
340/366 - arrumar os livros... Há sempre espaço para mais um!

PicMonkey Collage8.jpg

341/366 - Magia.
342/366 - gato de guarda
343/366 - bom feriado!
344/366 - meu, meu, meu  — com Miguel Araújoe António Zambujo.
345/366 - nature

PicMonkey Collage9.jpg

346/366 - "Amanhã? Talvez! Quem sabe?"  [Em cena no Teatro Loucomotiva, Taveiro, Coimbra] — com Loucomotiva - Grupo de Teatro de Taveiro ePaulo Azevedo.
347/366 - minha vila bonita
348/366 - lareirinha e livrinho. Tão bom
349/366 - Café para começar um dia longo! (Ou não!) — em Anos Loucos Caffé.
350/366 - Bom dia Coimbra!

PicMonkey Collage11.jpg

351/366 - sendo "chazeira" o meu nome do meio, não pude resistir a esta ideia maravilhosa da Lipton
352/366 - Quentinhas e fofas
353/366 - So sweet
354/366 - Dentro da minha rotina tem sempre de haver, a favor da minha sanidade mental, tempo para ler
355/366 - Ideias geniais da cornetto

PicMonkey Collage12.jpg

356/366 - Amor
357/366 - a minha modelo favorita!
358/366 - Esta época é uma overdose de doces
359/366 - fornada de bolachinhas de natal #cookies #christmas
360/366 - Adoro dar prendas para poder usufruir delas!  "Até pensei que fosse minha" de António Zambujo
361/366 - Ainda a rebolar  #christmas

PicMonkey Collage13.jpg

362/366 - final do ano, os mesmos vícios
363/366 - "invernissimo" ❄
364/366 - mini Mimo & Mimo!
365/366 - Replay, replay, #replay!
366/366 - Há pessoas que dão o seu melhor aos outros. A isso se chama - amizade!
E eis que chega ao fim um grande desafio -#onephotoaday2016
Obrigada aos que partilharam comigo este ano

Pudesse o mundo ser feito de amor.

o amor pode ser tudo.jpg

 

Realmente o amor pode ser tudo, liberta-nos de tudo o que possa causar desconforto. No entanto, também pode ser dor, chatear, fazer ciúmes, fazer sentir que a vida está nas nossas mãos.
Na verdade o amor pode ser tantas outras coisas de tão variadas maneiras e com tão variadas pessoas: pais, amigos, companheiros, avós ou até, incrivelmente, por alguém que nem conheces mas querias conhecer.
O que sentes quando dás um abraço apertado? É conforto, é amor que grita baixinho, escondido. A amizade é amor. Quanto não sabe bem abraçar a nossa mãe que nos conforta quando o amor é a palavra dor? Dá-nos amor que compensa, que se conserva pela eternidade, é amor imortal, ou pelo menos devia sê-lo. Existem amores que não o são e trocam-nos as voltas ao destino e vestem a pele de qualquer outro sentimento até outro chegar.
Amar é ser-se fiel, leal, seja com quem for. O amor que sentimos pelo namorado é aquele que nos faz sonhar, que nos faz agarrar a vida e lutar por um futuro a seu lado.
Amar um irmão é ter medo de crescer e ao mesmo tempo ter o sonho de acompanhar uma vida construindo a sua.
Amar os amigos é dizer-se arriscado, procurando todos os dias a aventura de ser capaz de ser um ser próprio e viver partilhando.
Amar os avós é partilhar histórias e conviver com respeito assim como amar os nossos pais é saber que também já tiveram a nossa idade.
O amor é tanta coisa mas a verdade é que nos une, se o mundo se construísse nesta base os sorrisos eram bem maiores.
Pudesse o mundo ser feito de amor. 

* Simplicidades da vida: Um (re)encontro

000.jpg

 

Já dizia André Sardet numa música sua que “um encontro ao fim de um tempo é mais doce que viver” e é verdade, é bom reencontrarmo-nos com quem mais gostamos, um velho amigo, um familiar querido.
Ter uma conversa longa sobre tudo o que acontecera na sua ausência e falar, agir como se nenhum tempo tivesse passado entre nós. 
As saudades sentidas mostraram que se solidificaram os nossos sentimentos e a certeza de que é amizade e companheirismo que nos une e, se for assim, não mais tem fim, será para sempre.

 

(Fotografia do filme "Amigos coloridos")

Sente a vida em teus pés.

2.jpg

 

 

Descalça-te. Sente a vida em teus pés, o desafio está nas tuas mãos, é aí que estão os momentos que farão parte daquilo que constitui a tua identidade.
Não estás sozinho, quando dás asas à tua liberdade. Tens os teus que partilham do mesmo sentimento, bebem contigo a alma do que é ser jovem, e refrescam a imagem do seu sentido eterno que o seu ser significa, querendo ser assim para sempre.
Não precisas de muitos para acompanhar o teu rumo, apenas dos melhores, aqueles que se descalçam e aceitam contigo os defeitos e as qualidades para os lançar ao mar, e serem apenas um, para serem iguais, para sempre juntos, para sempre jovens.

 

 

A amizade é a nossa casa.

2.jpg

Eu pressinto que o melhor ainda está para vir, que os desejos que pedimos às estrelas possam por fim acalmar e tornarem-se em sonhos.
Eu sonho, sonho muito, mas a maior realidade do meu sonho é poder viver do mesmo jeito que vivo a sonhar, não há melhor sentimento que esse.
Transformo-me no que sou e no que sempre quis ser e nada mais importa, não importa os que não me quiseram, os que me quiseram deixar para trás e tornarem-me apenas numa memória, é algo que não vale a pena lamentar.
Tenho o que mais quero e descanso tranquilo porque nada me deixa mais feliz que aqueles que eu sei que serão sempre amigos meus, como irmãos, os que valem tudo, os que valerão. 
A amizade é a nossa casa, o amor a nossa união.

Os (teus) amigos.

16.jpg

 

Os amigos dizem muito de ti. São a família que podes escolher.
São o apoio nos maus momentos, acredita que sorriem contigo no teu sucesso e levantam-te quando fracassas. Os verdadeiros amigos têm palavra, sabem quase sempre o que dizer e quando não o sabem agem.
Os segredos são papéis secretos que aquecem o lume. O melhor da tua vida é a relação com os outros, aqueles que te dizem tanto ou tudo.
Podem ser em pouca quantidade e os meus são-no, mas têm toda a qualidade do mundo.

 

Foto: Filme "A praia"

* Simplicidades da vida: amigos

10.jpg

 

Mesmo depois de todas as comunicações, tecnologias e redes sociais do mundo, o melhor mesmo continua a ser uma mesa rodeada de bons amigos, entre gargalhadas, parvoíces e conversas longas. Amigos esses que teremos sempre, independentemente de tudo, estarão lá no bom, no mau e no melhor para te fazer sorrir, para te levantar quando fraquejas e para brindar contigo aos melhores anos da tua vida e da deles. O melhor do mundo são os amigos que temos o prazer de acompanhar e de nos fazerem sentir bem, brindando de bem com a vida.

* Dar que pensar: Amigos verdadeiros

Achas que é a ficar no sofá que vais contar histórias? Não. Sempre ouvi dizer que quando mais tarde recordares não é da noites bem dormidas que te irás lembrar ou ter saudades. Não são os 1001 amigos que tens no facebook que te vão apoiar nos momentos mais dificeis da vida.
As saudades tomam conta de nós, mas enganamo-las com conversas por chat, videochamadas, mas não é isso que alimenta uma amizade. 
É nos encontros, nas gargalhadas, nas novidades contadas, das piadas que só o teu grupo percebe, a união que vos torna nos melhores amigos, como irmãos, que se defendem e se entreajudam. 
Se tens saudades corre, encontra-os e não encontres desculpes para não aproveitares o que a vida tem de melhor: os amigos, aqueles que, por mais poucos que sejam, valem por mil.
Corre, antes que se tornem estranhos, corre antes que a vida passe e tudo o que tenha restado de vós seja a saudade.
Não te prendas às redes sociais e se as usares, mostra que também podes estar do lado do abraço, da convivência e do gesto que fazem dos nossos dias melhores, porque melhor mesmo que as redes sociais ainda é uma mesa cheia de amigos.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Outros lugares

Blogues à Mesa
3XQY_12a3qPlDRIcVpKJSt0ZO-QUA-vmBk3L3bSl7jI.png