Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

24
Abr17

Se é amor...

Carolina Cruz

1.jpg

 

Se é amor então não são precisas palavras. Se é amor, do verdadeiro, é o coração que fala com a alma através de um olhar, de um olhar ao qual ninguém se insurge, que ninguém ousa contestar ou negar. Se é amor, a aura que paira num olhar cúmplice é intensa, poderosa e o sorriso surge. Surge mesmo quando se quer chorar, surge mesmo quando o mundo nos quer roubar o que temos de melhor, quando o destino quer que a distância separe esse amor, mas se é amor, de verdade, ultrapassa e cura tudo.
Ainda que, por momentos, não se consiga ultrapassar, ele viverá para sempre na memória de quem ama para sempre e viverá com esse desejo para toda a vida, de um reencontro, de uma ajuda do destino, porque um amor verdadeiro nunca se esquece, não se pode fugir dele, ainda que se queira. Porque no cruzamento da vida, em que os olhos se reencontram, o sorriso, que embora magoado com o tempo, diz que o tempo não interessa mais, fazendo jus à felicidade e se entrega num beijo profundo. Porque se é verdadeiro, não tem fim, data de término ou falecimento. Amor de verdade é para toda a vida. É meu, teu, de mais ninguém.
 
 

 

 
 

 

16
Fev17

[Ficção] Amo-a, no seu completo teorema.

Carolina Cruz

Screen-Shot-2014-07-29-at-12.52.09-PM.png

 (fotografia do filme "If I stay")

 

O brilho dos seus olhos. A simplicidade do seu sorriso. A clareza com que um beijo doce pode dizer tudo sobre ela.
Não são as formas ou as curvas do seu corpo que fazem uma mulher bonita. É a sua personalidade, a sua maneira de ser.
Várias mulheres sabem como seduzir um homem pela sua pura simplicidade de ser. Pela personalidade contagiante com que enfrentam os problemas, como encaram as adversidades que a vida lhes proporciona.
Para mim é isso que me cativa numa mulher, não o seu corpo, mas o seu espírito, a sua gargalhada, como a sua clareza e inteligência dela torna tudo tão mais especial, tão bonito.
Não vou mentir que o seu corpo não me atrai, claro que sim, ela é incrivelmente bonita, parece mesmo feita de pele de anjo, gosto dela no seu completo teorema, em todas as suas composições. No entanto, atrai-me ainda mais essa forma como ela descomplica, como ela discute e se importa e faz valer a pena após tudo isso, mesmo quando julgava as coisas terminadas.
A forma como ela acha que tem razão e como em tantas vezes a tem e o poder dela saber que sim, que a tem.
Os meus olhos brilham, o meu sorriso parece de um completo pateta, mas o que é isso senão o amor? Uma forma maior que me deixa completamente fora de mim, mostrando o que de melhor há no meu ser.

 

14
Fev17

S.Valentim

Carolina Cruz

tres3.jpg

 

Se eu quisesse receber S. Valentim como ele é, no seu autêntico consumismo, eu dir-te-ia: Vem, traz-me rosas vermelhas, um coração enorme, um peluche felpudo para que eu o possa abraçar todas as noites para me lembrar de ti, mais umas quantas caixas de bombons e um perfume caríssimo. Mas eu não quero nada disso.
Dir-te-ei então.
Vem, receber-me, despir-me a roupa, beijar-me os seios e entrar pelo meu peito adentro, despe-me a alma e faz de mim a mulher mais feliz do mundo. Não apenas hoje, mantém esse desejo para todo o sempre, para o resto das nossas vidas.
Não quero apenas isso, quero que sintas que sou parte de ti, cerca-te de que somos um só e não apenas na cama. Seremos um só, quando pudermos dividir as alegrias e as tristezas, quando a base do nosso amor é o respeito, a amizade e o querer tanto.
Que se lixem todas as prendas que te poderia dar hoje, o meu presente preferido és tu e o melhor que eu posso receber é o teu amor.
Não apenas hoje, todos os dias, porque hoje é apenas mais um dia para te amar. Somente 24horas, somente um dia, numa imensidão de anos.
Amo-te.

 

Fonte da fotografia: 3 metros acima do céu (filme)

21
Dez16

[Completas-me] com a Marina

Carolina Cruz

É com todo o prazer que hoje trago a simpática Marina, do blog "O olhar da Marina" para comigo contar uma história sobre amor verdadeiro. Espero que gostem do texto tanto como eu gosto da Marina (ainda não visitaram o blog? Tratem disso!).
Aqui vai o nosso texto a duas mãos. 

255375_447386641962684_1735534937_n.jpg

“Ele olhou para mim e de repente o meu sorriso desapareceu pois eu notava que aquele olhar estava cheio de perguntas, cheio de sentimentos, ele parou nesse instante analisando o meu rosto e eu virei a cara para ele não perceber, reagindo friamente.
Ele aproximou-se de mim como que em câmara lenta “porque é que não o viste antes assim?! agora tudo está perdido, não vale a pena”, e sem querer uma lágrima escorreu me pelo rosto.
Ele olhando me nos olhos acariciou-me o rosto limpando a lágrima que me caia, eu baixei a cabeça e ele gentilmente pegou no meu queixo com suavidade e aproximando-se de mim beijou-me lentamente os lábios, quase que podia sentir a minha cabeça a explodir de tanta paixão, sentimentos escondidos e reservados que naquele momento
ganharam vida.
O beijo foi cada vez mais ganhando vida, e passou de um beijo lento e suave a um beijo mais desesperado e intenso. Eu correspondia, pois nesse momento ambos descobrimos que apesar de todos os obstáculos, apesar de tantos erros, apesar de a vida por vezes querer que nos afastássemos, nós estávamos completamente apaixonados e nada poderia nos separar naquele momento, porém…” ainda eramos o típico casal “Romeu e Julieta”, ainda que apaixonados e jurando amor eterno, tínhamos de o fazer em segredo, porque se o meu pai descobrisse e o dele estávamos bem lixados, tínhamos de, tal como num filme, morrer por amor.
- Receio perder-te de novo. – Disse-lhe.
- Isso não vai acontecer, não agora, nunca! – Respondeu-me. – Se eu tiver de dizer ao mundo que te amo, nada me poderá impedir de o fazer, nem os nossos pais.
Júlio era indiano, e fugira ao seu casamento prometido pela sua cultura e eu, portuguesa de gema, de uma família endinheirada, devia estar casada com um empresário ou um médico de eleição, mas não, em plenos 34 anos permaneço aqui, a escolher o amor, mesmo depois de todas vezes em que neguei a mim mesma, gostar de alguém como ele. Como ele? O que ele tinha a menos que um médico de sucesso? Talvez dinheiro, mas isso não era nada comparado com as horas de amor a mais que podia ter comigo, do tempo que dispensaria a amar-me e não a ter-me como apenas mais uma medalha na sua vida tão conceituada. Não, mesmo que me dissessem que morreria se escolhesse com ele ficar, eu continuava a querê-lo, sem sombra de dúvidas. Mas eu não iria morrer. Eu iria amar o homem a quem prometi, sem saber outrora, anos da minha vida e, então, sendo amor, amor verdadeiro, essa força sobre-humana, ninguém podia (de)terminá-lo, nem mesmo a morte.
Por isso após recear, recomecei uma nova vida fora da minha zona de conforto, a zona de outrora, porque junto de quem menos julgaram estar junta o meu conforto renasceu e, hoje eu sei ver no amor, o caminho para a felicidade.

 

BlueValentine.jpg

 

25
Ago16

Estar contigo

Carolina Cruz

50.jpg

 

Estar contigo é permitir-me estar bem e ser feliz.
Nada no mundo é mais saboroso que o teu abraço ou mais especial que o teu sorriso. 
Sim, nós mesmos somos especiais ao estarmos lado a lado, a cada desafio da vida e sei que, basta um baixar os braços para o outro lhe levantar a cabeça, limpando-lhe as lágrimas. Porque o amor verdadeiro é isso mesmo, no bom e no mau, para sempre. E eu quero-te sempre aqui, em mim, para me fazeres a mulher mais feliz do mundo.

25
Mai16

No segredo do que somos

Carolina Cruz

64.jpg

 

Amo-te, não tenho dúvidas, como nunca amei ninguém. Sei que contigo estou segura e todos os meus sonhos têm lugar. Em ti, tenho o mundo, o desejo infinito de amar, que só quem sabe sente. Pois os meus olhos enamoraram os teus desde a primeira vez em que se tocaram e nada pode cruzar esse olhar que parece não ter fim, só o sorriso o completa, tal como as metades que se encontram em cada um de nós, onde mora a certeza de nos termos sempre, um ao outro, no segredo daquilo que somos.

15
Dez15

Acredita

Carolina Cruz

1.jpg

 

Um dia alguém vai cuidar docemente do teu coração, para sempre.
Não acreditas? Deixa o tempo passar e o teu olhar aos poucos sorrirá mesmo em dias mais chuvosos.
Eu sei que com o tempo encontrarás alguém que te ama, que te deseja no teu todo, teus defeitos e tuas qualidades.
Será o espelho do teu sorriso e entender-te-á mesmo quando não te entenderes a ti própria.
Dar-te-á a mão e caminhará contigo sob o destino, esperando o melhor momento para dizer o que sente.
Acredita, não precisa de ser perfeito, a perfeição não existe, só ele será a teus olhos.
Ele vai conhecer-te tão ou melhor que tu mesma, e quererá ouvir as tuas histórias mesmo contadas à milésima vez.
Gozará contigo e será o teu melhor amigo, juntos serão mais fortes, juntos terão a força suficiente para que nada vos separe.
Não acreditas?
Eu acreditei, sei e sinto

01
Dez15

Este amor que nos apetece

Carolina Cruz

4.png

 

 

Tenho saudades da lua que nos guiava o caminho nas noites de verão, em que crepitavam sonhos por entre ruelas de amor.
Falo e não me esqueço de todas as palavras que foram ditas e do seu jeito nu. Pedaços de luar que nos afastam e nos aproximam neste jeito de nos pertencermos. 
É a realidade que abraça o que temos, este amor que nos apetece, que nos vive, para sempre.

 

 

13
Nov15

Eu vivo no teu coração

Carolina Cruz

83.png

 

A minha certeza é o mundo: eu vivo no teu coração.
Como sei isso? É impossível passar um dia sem te abraçar, e se tal acontece parece uma dor interminável até que te abrace de novo.
A minha ausência é para ti uma saudade infinita, que te envolve numa pequena solidão que existe por não me teres contigo e tudo passa quando me olhas nos olhos.
O sorriso parece ainda maior, e os olhares que se trocam têm uma infinidade de sentidos e sentimentos que nos apegam, reagem e se soltam no mais perfeito sentir.
Sabes como sei que vivo em ti? Quem ama de verdade, não esquece, é como andar de bicicleta, eu sou a tua magia, tu és o meu profeta!

12
Nov15

União infinita

Carolina Cruz

104.jpg

Eu sei, eu sinto que é possível existir amor verdadeiro, aquele que nasce para jamais morrer, eterno e insaciável, feroz e imortal. É o desejo de cada dia, o sorriso conquistado a dar a mão ao mundo.
O tempo não acaba, passa devagarinho, embora acelere com o bater do coração, que ao encostar o ouvido renasce a ternura e a emoção.
Sinto-me e sentes-me numa união infinita, que não cessa mas queima, é paixão ardente, pois é amor, em que se ama realmente.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D