Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

Sinto-me...

brooklyn_feature-770x472.jpg

 

Sinto-me sem ti. E sem ti sinto-me sozinha. Desamparada. Não sei ser sem ti. Lembraste de eu te dizer isto?
Os meus olhos não mentiam, não sei existir sem o teu beijo.
Fazes-me falta como uma ferida aberta, como uma noite mal dormida a multiplicar por dois ou três anos de vida.
Fazes-me falta e não quero dizer-to e ainda assim to digo.
Faltam-me as gargalhadas que o tempo levou, faltam as confidências que os segredos revelados fizeram perder.
Falta-me o teu corpo na minha cama, o teu sorriso debaixo dos meus lençóis. 
A tua ausência deixa-me ausente da vontade, da vontade de querer viver, custa-me respirar, custa imaginar a dares a mão a outra rapariga que não eu, a voltares-te a apaixonar e não ser por mim.
Desculpa, por favor. 
Fazes-me falta.
Desculpa, se não compreendi. 
Desculpa, se os ciúmes falaram mais alto. Eu não diria que sou ciumenta hoje, mas fui contigo, com o tamanho medo que tinha de te perder… e de que valeu? Perdi-te na mesma.
Eras o melhor de mim e sem ti não sou boa em nada. 
Prefiro perder-me por aí, do que não te encontrar a meu lado.
A roupa manchada das minhas lágrimas, a cabeça que não para de pensar, o corpo que emagrece, a alma que entristece, a vida que não cabe em mim e não me habita. 
Fui feliz ao ter-te, já não serei mais, pois não ser sem ti.
 
 

 

Deixa-me ser feliz

15541870_1256536937768637_5559151199027508845_n.jp

 

Adoro-te. No entanto, por vezes não te consigo ler. As tuas entrelinhas são códigos secretos, dentro delas eu estou cega, porém eu nunca compreendi Braille.
Como posso amar-te senão me deixas? Num minuto sinto que o teu sorriso é sincero, no outro que ele se cansa de mim.
Não quero ser eu a mártire que confessa todos os amores que sinto proibidos, que te ama sem querer nada em troca, que insiste e persiste em te querer do meu lado sem esse amor comum que devia existir entre nós.
Só não resulta porque não queres, só não me tens no meu todo porque nunca me soubeste ter.
Sou apenas um corpo e tu uma mente fria, eu um coração aberto e tu uma alma fechada. Será que eu posso ser o sentimento impulsivo e tu a razão? O contrário? Ou nada disto existe e é pura ficção da minha mente perdida de paixão?
Se é desastre ou ciúme, diz-me, implora-me, cumpre tudo o que prometeste outrora, se não, então vai, sai do meu pensamento, deixa-me, deixa-me ser feliz.
 

 

 
 
 
 

 

Ela é... minha!

FB_IMG_1459207702592.jpg

 

Ela é maravilhosa, extrovertida, adorada pelos outros, desejada quiçá por tantos, sei-o, mas não a condeno por isso.
Ela é minha namorada. Se tenho ciúmes? Claro, é sinal que me importo, que a amo de verdade.
No entanto não a prendo nesses ciúmes, não a forço a mudar, nem quero... Eu gosto dela assim.
Tenho sim orgulho de ser eu a dormir a seu lado, de a agarrar e beijar. É no meu ombro que ela chora sempre que precisa, é no meu abraço que ela partilha a maior felicidade, o seu sorriso mais feliz.
É por isso que não abuso dos ciúmes que possa ter, porque se ela me escolhe é porque me quer. Estamos completos nessa certeza de que o seu coração só a mim me pertence.
Não duvido, entrego-me, rendo-me, a ela, ao amor.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Outros lugares

Blogues à Mesa
3XQY_12a3qPlDRIcVpKJSt0ZO-QUA-vmBk3L3bSl7jI.png