Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

08
Dez17

[Cinema] O fim da inocência

Carolina Cruz

imagem1200X630_OFimDaInocencia.jpg

 

"O fim da inocência" é um filme de Joaquim Leitão, baseado no livro com o mesmo nome, da autoria de Francisco Salgueiro. 
É aqui que começa a minha primeira crítica na frase "baseado no livro de..." 
É baseado, sim... mas um pouco (ou ligeiramente) baseado. Porque quem leu o livro sabe do que estou a falar. 
Não quero com isto dizer que o filme está péssimo, não... nada disso! Porém, quem conhece a verdadeira história da Inês, escrita na primeira pessoa (baseada em factos verídicos), por Francisco Salgueiro, sabe que a Inês não é inicialmente tão inocente como a do filme.
Pode ser a Inês do filme onde a sua primeira vez não é (de todo) um sonho, mas por aí a diante, há muitas falhas em contar, no filme, a verdadeira história real de Inês.
O fim da inocência, tanto o livro como o filme abordam o viver no limite do risco dos jovens portugueses. Falam-nos de Inês, a menina perfeita, filha de gente rica, da linha, mas que de certinha não tem nada, pois vive intensamente num mundo do sexo, alcóol e drogas que os pais nem tão pouco imaginam existir na vida dos filhos. 
E é enquanto, não mãe, mas educadora, que denoto aqui a minha opinião de que enquanto o livro educa no sentido de alertar para o cuidado a ter, por exemplo com as doenças sexualmente transmissiveis ou os efeitos a longo prazo das drogas, o filme parece-me adverter pouco nesse sentido.
O livro adverte muito mais para esse facto e não querendo entrar com spoilers, ao contrário do livro, o final do filme é um pouco ou bastante mais leve do que o final verdadeiro de Inês. 


Mais uma vez não quero com isto dizer que não gostei do filme, mas a certo ponto desliguei-me um pouco do que tinha lido há uns anos e pensei para comigo "estou a assistir a outra história, embora idêntica" e o filme está bom.
Está bom, no sentido que não nos poupa a mostrar a crueza das cenas, começa por chocar, de forma forte e feia, e isso é bom, e também um alerta. 
Tem uma boa caracterização, um bom elenco e descreve de forma pura e dura, a nudez, não só a nudez dos corpos mas a nudez de mente pela qual se caracteriza a maioria (não generalizando é claro) da sociedade e dos nossos jovens de hoje em dia. 

Quero terminar dizendo, para verem o filme, se suscitar interesse da vossa parte, mas muito mais importante que isso, continuo a dizer, é lerem o livro. 

 

 

 

06
Dez17

[Cinema] Kiss and Cry

Carolina Cruz

8fb6b972146f7946aa6691e75a7ad9c4a5c58f11.jpg

 

"Kiss and Cry" é um filme cru, real, tocante. É um verdadeiro murro no estomâgo para aqueles que vivem constantemente, e sem razão, de semblante carregado. Mas é também um ensinamento para todos nós de como a vida nos é tão fugaz e como a devemos aproveitar ao máximo de sorriso no rosto e com quem mais amamos. 
"Kiss and Cry" é baseado na história verídica de Carley Allison, que aos 18 anos, lhe é diagnosticado um cancro bastante raro na traqueia. 
Carley nunca baixou os braços e manteve sempre o sorriso na sua etapa mais dura da vida. 
Agarrou-se aos amigos, à família e ao namorado John que foi um importante e comovente apoio, para lutar contra esta terrível doença.
Sem nunca esquecer os seus sonhos: a música e a patinagem artística, Carley motivou milhares de pessoas e deixou uma marca para sempre na vida de todos os que ficam a conhecer a sua valente história de vida. 
Um filme romântico que nos fala muito mais do que o amor, fala-nos da morte e da vida e dos momentos que precisamos urgentemente de viver e preversar com um sorriso - assim viveu Carley. 

Destaco a brilhante prestação e interpretação de Sarah Fisher, a melhor amiga de Carley na vida real. 

Um filme que nos tira o ar e nos faz renascer!

Obrigada Carley, por esta mensagem comovente.
Obrigada pela coragem, pela força e pela inspiração!

 

 

30
Nov17

[Cinema] O estranho mundo de Jack

Carolina Cruz

O-Estranho-Mundo-de-Jack.jpg

 

O que é que o Halloween tem a ver com o Natal? Parece-me impossível haver comparação entre as trevas e as luzes do pinheirinho.
No entanto, no fantástico mundo do génio Tim Burton todas estas fantasias são possíveis e esse mesmo encontro acontece em "O estranho mundo de Jack".
Este filme "horrorosamente fofinho", foi criado em 1993, mas foi melhorado recentemente.
Jack, o rei abóbora da cidade de Halloween, conhece a cidade do Natal, pela qual se apaixona, desejando assim quebrar a rotina e festejar também ele o Natal!
Descobre como pode ser tão divertido celebrar com amor o Natal nesta cidade onde o horror predomina.
Um filme que aconselho todos a assistir nesta noite de Halloween.

 

17
Nov17

[Cinema] Amor acima de tudo

Carolina Cruz

amor-acima-de-tudo-poster.jpg

 

Amor acima de tudo”, filme baseado no livro “Tudo, tudo… e nós” está bonito, porém quem leu o livro há-de entender-me quando afirmo que fica um pouco aquém.
Como falámos na resenha do livro, a história desta longa-metragem fala-nos de Maddy, uma rapariga de 18 anos, que é alérgica ao mundo e que vive com bastantes cuidados, sem nunca poder sair de casa, sem conhecer outro lugar senão nos livros que lê.
Tudo muda na sua vida quando se apaixona por Olly, o novo vizinho. A sua perspetiva do outro lado da janela muda e a sua vontade de arriscar ter medo também. O amor pode fazer-nos alcançar o impossível.
O filme tem um bom elenco, jovem, que prende ao ecrã pela simpatia. Porém, tem algumas coisas de que não gostei e que não tivesse lido o livro talvez não notaria.
Há partes confusas no filme que quem não leu o livro talvez não entenda que sejam sonhos, quando ela apenas imagina, e nesses mesmos sonhos a ficção é demasiada, na minha opinião.
Ainda assim, a história consegue cativar o público jovem e para os mais românticos é de facto um romance para sonhar. 
Mas, pronto, preferi o livro!
E vocês? Leram o livro? Viram o filme?
Qual a vossa opinião?

 

 

15
Nov17

[Cinema] Shelter

Carolina Cruz

Sığınacaq_(film,_2007).jpg

 

 

“Shelter” um filme de drama que nos fala sobre a essência do amor.
O amor, esse sentimento que não sabemos definir e que, na verdade, não podemos nem devemos controlar.
Quando há amor, não pode haver vergonha. É preciso amar sem medos, ainda que isso seja contra o que a sociedade dita como correto. 
Não há nada de errado quando se ama alguém com todo o nosso coração, não precisamos de recear assumir que amamos, mesmo quando nem nós mesmos acreditamos ser verdade. ´
A homossexualidade não é uma doença, nem um conceito errado, é amor, ponto final.
“Shelter” fala-nos sobre isto, sobre o amor que Zach sente pelo irmão mais velho do seu melhor amigo e a luta entre o que lhe dizem estar certo e o que sente.
O que será mais importante afinal? O que pensa a família ou o seu amor por Shaun?
Um filme intenso, bonito, com muita qualidade.

 

 

 

 

 

13
Nov17

[Cinema] A street cat named Bob

Carolina Cruz

MV5BZjg2YzJlZDAtZjY0MS00NzQwLTg3NDEtMjcwZjczMDMyNT

 

“A street cat named Bob” é um filme simplesmente maravilhoso.
Baseado numa história verídica, este filme fala-nos sobre o encontro de James, um ex-toxicodependente com Bob, um gato de rua.
Este filme é baseado no livro “A minha história com Bob”, que retrata a vida de James Bowen - o seu tratamento, a sua relação turbulenta com a família, o amor e a amizade.
Tocante, real e muito terra-a-terra, este filme emociona-nos do início ao fim, pois traz consigo mensagens bastante importantes, que só um coração bom consegue compreender.
Deixa sobretudo uma mensagem para aqueles que não acreditam na leveza, na bondade e no impacto que os animais têm na vida humana.
Se já não restavam dúvidas para mim, esta história faz-me crer que os animais são melhores que muitos humanos e têm sobre nós um poder e uma força profunda e ajudam-nos a procurar o melhor, a sermos melhores, exatamente como um verdadeiro amigo.
Bob ajudou James na pior fase da sua vida e mudou-o para sempre.
Os animais têm esse poder: amar sem fim. 
Uma história que não vou querer perder e o filme é tão bom que fiquei super curiosa para ler o livro.
Vejam e deixem-me a vossa opinião.

 

 

07
Nov17

[Cinema] AMAR

Carolina Cruz

MV5BMzBkZDQ0MTEtYjcwMi00ODFiLTliZDQtNmJkZWU1MDUxOW

 

AMAR
Amar puramente, desenfreadamente, descontroladamente.
Amar ontem, hoje, como se não existisse amanhã.
Amar sem nexo, sem cor, sem jeito, sem controlo. Amar simplesmente. Loucamente, de forma desmedida.
"AMAR" é o nome do filme espanhol de Esteban Crespo. 
Um filme ousado, despreocupado, que nos envolve de suspense e curiosidade. 
Conta a história de Laura e Carlos, que com apenas 17 anos, vivem uma relação intensa, de tal forma que chega a ser doentia, controladora, sufocante, mostrando-lhes que o amor também tem o seu lado mais inseguro, quando respiramos somente paixão e nada mais.
Os ciúmes, as desconfianças e as paranóias, o lado mais negro de se amar. 
O sexo, a loucura e a culpa envolvem-nos nesta trama que não é das melhores, mas que tem qualquer coisa que atrai a atenção do início a fim do filme.
Vejam e tirem as vossas próprias conclusões.

 

 

01
Nov17

[Cinema] Baby Driver

Carolina Cruz

250b8ad47d92ba9d7d6ffeaee380afed.jpg

 

Baby Driver é o típico filme de ação e ficção, dos quais não sou muito fã. Porém, houve vários fatores que influenciaram a minha curiosidade e a minha atenção: a participação de Ansel Elgort, a história da sua personagem, a banda sonora e o romance que envolve o filme.
Baby é um condutor a toda a velocidade, pois é um piloto de fuga, usado para o crime. Tem o maravilhoso hábito de se fazer acompanhar sempre pela música, para silenciar os zumbidos provocados por um acidente que sofrera em criança.
Embora ele possa estar inserido nesta escomalha do crime, todos o acham diferente e a verdade é que ninguém fica indiferente ao seu coração atencioso. É quando se apaixona por Debora, que a sua intenção realmente muda: afastar-se deste caminho. Mas conseguirá?
Foi também esta mensagem de que, mais uma vez, o amor nos ajuda a superar tudo e nos permite mudanças para melhor, que me fez ver este filme. 
A adrenalina, o elenco, o romance, a proteção e a certeza.
Não contava de gostar e adorei!

E vocês? Já viram?

 

 

24
Out17

[Cinema] Gifted

Carolina Cruz

14859673_695832177259844_6255845943790048970_o.jpg

 

"Gifted" é um filme maravilhoso, com a presença sempre simpática e emocionante de Chris Evans e com a talentosa McKenna Grace.
Embora a história pareça um pouco massuda ao início, a verdade é que se torna apaixonante e o mais importante é que  conclui com uma mensagem bonita e fundamental para lembrarmos no nosso dia-a-dia.
Mary, é uma menina prodígio, sobredotada, que vive com Frank, até ao dia em que a sua mãe compete pela custódia da neta.
Porém, Mary sabe muito bem o que quer, mas será que isso pesa alguma coisa perante a justiça? Porque quererá a sua avó depois de 6 anos, a sua custódia?
Os adultos gostam de complicar e embora Mary tenha uma mente brilhante e, mesmo pensando como um adulto, ela não deve ser jogada como uma fonte ou trunfo, não deve ser sobrevalorizada ou trabalhar. Criança é criança, deve brincar, sujar-se, apaixonar-se pela vida, fazer amizades... quem terá isso em consideração?
Vejam, sobretudo os pais e educadores, pois é um filme que todos deveríamos explorar e refletir. 

 

 

23
Set17

[Cinema] Capitão Fantástico

Carolina Cruz

334533_pt.jpg

 

Muito bem cotado pelo IMDB, “O capitão fantástico” é um filme genial, que envolve drama e comédia de uma forma bastante inteligente e interessante.
O filme retrata a história de uma família criada na floresta e que se vê obrigada a encarar o mundo real da civilização, o qual desconhece.
Ben decidiu criar os seis filhos com regras rígidas que incutem a sobrevivência e a força. Não vão à escola e é Ben quem lhes dá aulas.
Este pai faz-nos questionar muitos pontos errados da nossa educação, enquanto educadores, enquanto escola, sobre o consumismo e como preparamos os nossos para a vida. 
Eles estão bem preparados para sobreviverem, são forte e resilientes, mas estão eles preparados para encarar este mundo real? O que sabem eles sobre os sentimentos? A relação com os outros?
Até que ponto, este pai que quer o melhor para os seus filhos, está a fazer realmente o melhor? Por que razão o decidiu fazer? Não terá sido uma opção radical? Mudará o rumo das suas vidas?
Vejam e reflitam!
 
 
 
 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D