Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

21
Ago17

Abre os braços!

Carolina Cruz

danca2.jpg

 

Deixa de lado a raiva, o ódio, a tristeza por alguém que te ignora, que não gosta de ti ou que sintas que te abandonou.
Olha para quem tens à tua volta, tenho a certeza de que te amam e estão ao teu lado para o que der e vier. É a esses que tens de dar valor, amor.
Liberta-te.
Deixa-te levar pelos sentimentos mais leves, mais verdadeiros.
Se não te libertares dessa dor nunca irás amar ternamente, um amor tão completamente, porque o teu pensar ainda está magoado com quem te magoou.
Se esse alguém te abandonou é porque não gosta de ti e, podes acreditar, que mesmo não sendo a favor de vinganças, o teu sorriso é a melhor.
Anda lá, liberta esse mente, liberta esse coração de quem não o merece, abre os braços, corre, dança.
Abre os braços e ama!

27
Jul17

Hey rapariga!

Carolina Cruz

2af58b1c67b9bdf8102d5119e685f60f.jpg

 

Hey rapariga, dança!
Aproveita! A vida é curta. É uma passagem.
És jovem. Bonita.
Vem, dança!
Esquece os problemas, o que dizem os outros, o cansaço!
Vive, dança!
Estás a ficar demasiado séria.
Quando te aperceberes disso será tarde demais.
Não queres aproveitar agora?
Vem, dança.
A vida não pode ser levada assim. Temos de largar os receios, esquecer os medos, as prisões da mente.
Vive o presente. 
Vive, dança!
Que quem é feliz, nunca se cansa!
Vem!
 

 

 
 

 

13
Nov16

Dança

Carolina Cruz

63.jpg

 

Esta é a dança, o mundo que construíste num passo firme, lento, quando tudo em mim morreu, a vida em mim se esqueceu. Mas hoje, hoje a vida é a alegria, o passo rodopiante em torno de um jogo perdido contra o destino, um jogo sobre tudo, sobre ti. Esta é a vida que nunca vivi.
Era a voz, a voz que hoje havia pintado o inferno de branco, onde pairava a paz e a felicidade. Era verdade que sobre as minhas mãos pairava o céu, o mar azul, a frescura. Sim, a frescura tornava a invadir teus olhos e o teu sorriso respirava tranquilidade, longe de tudo, longe da maldade.
Agora, agora o nosso tempo era de ferro, era, vento, tuas palavras que outrora haviam libertado o meu coração, libertaram-me do inferno, da solidão.
Hoje, hoje o meu coração sorri e balança, balança nesta longa dança que vai e não volta, não volta ao lugar escondido na ilusão. Este era o meu sonho, a minha perdição.
A dança não me deixou voltar atrás, àquela tristeza fugaz, ao meu lado lunar porque hoje eu sei que é amar.
Existe algo que em mim me chama, existe uma voz. Hoje não existimos como tu e eu, existimos como nós.

 

Fotografia do filme "O diário da nossa paixão"

09
Out16

Como eu gosto..

Carolina Cruz

25.jpg

 

 

Como eu gosto de pensar que a vida é simples.
Como eu gosto de pessoas que não desistem, que vão ao encontro dos seus sonhos contra as suas adversidades, que não têm medo de largar o colo aconchegado do seu lar.
Gosto de quem vai à aventura, quem procura o saber pela experiência e não pelo que se ouve ou se fala.
Gosto de pessoas que amam a noite e o dia e dançam como se a vida durasse a apenas um segundo.
Eu gosto das pessoas que não se lamentam por tudo e por nada, mas sim que vivem o que melhor tem a vida, que é tanto.

 

Fotografia do filme "Like crazy"

30
Set16

Dança(mos) ao luar.

Carolina Cruz

52.jpg

 

Dançamos ao luar. Sei que esta dança jamais terá um fim.
Olho os teus olhos e o teu sorriso nasce tão radiante quanto o sol de manhã.
Sei que me amas muito mais que tanto, o teu olhar expressa-o, reflete-se e une-se ao meu.
Somos metades que o luar uniu num mar infinito de verdades e certezas!
Ama-me, supera-me e sê feliz comigo, e então eu encontrarei para sempre o conforto para a minha felicidade, onde viverá também a tua. A nossa felicidade.

 

[Fotografia do filme "O diário da nossa paixão"]

05
Set16

Rodamos pela vida

Carolina Cruz

2.jpg

 

Nos teus braços perco a noção do tempo, apenas invento cada momento de partilha, de amor, em que tu e eu vivemos um para o outro, desejando que todas as horas se repitam como um disco riscado.
E nós? Rodamos pela vida fora numa dança, no embalo do que sentimos, neste amor tão perfeito e tão nosso, como uma música que marca e que fica, para sempre. 

 

Foto: filme "I love, Rosie"

09
Ago16

Fecho os olhos e sinto..

Carolina Cruz

56.jpg

 

Fecho os olhos e sinto uma leve brisa a soar-me ao ouvido. Arrepio-me. Fecho os olhos e sinto, sinto o teu respirar tão perto, passas suavemente a mão pelos meus longos cabelos que doiram ao sol e dançam ao vento.
Agora respiro eu com mais calma, acende-se a adrenalina em mim, quero ir em busca do desconhecido. Vem, dá-me a mão, protege-me do medo. Sente que nada é em vão e tudo vale a pena. Dá-me um beijo, sente-me, dá-me a liberdade de ser feliz contigo.
Leva-me a correr pela espuma salgada do mar, refresca-te na ideia de que tudo (em nós) será eterno e então desfruta do que te poderei dar, eu sei, o melhor de mim, e vive neste sonho que é mutuamente nosso e que eu quero que nunca acabe na história do que somos, na memória do que fomos.
Grava o teu nome na areia, limo um coração numa concha e brinco com a água que me lava a alma, não existem problemas, há tranquilidade, há paz, há liberdade, um murmúrio de um sonho, então, tornado realidade.

 

Foto in tumblr

11
Jun16

Sinto-me livre

Carolina Cruz

7.jpg

 

Sinto-me livre, capacitada de todas as minhas emoções e de todos os meus sentidos.
Sinto-me livre e não preciso de palavras porque elas falam e eu amo-as como te amo a ti, algo tão puro e tão forte que não tem fim.
Talvez hoje seja o que sonhei quando era menina e a minha liberdade é amar e desejar-te numa forma simples, igual ao que muitos chamam de amor, mas que tão poucos sabem realmente do que se trata.
Nosso amor é livre, é a saudade nas asas de uma gaivota que voa, de uma bailarina que dança, das vozes que cantam, é a alma das coisas simples que fazem todo o sentido, que dão cor à vida.
A liberdade para mim, é desejar prender-me e perder-me para sempre, em ti, no segredo e na alma do que somos, eternos, como as palavras.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D