Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

Esquece

FB_IMG_1495011023386.jpg

 

É agora. É desta. Não há volta a dar. Já chega. Basta!
Para mim bastou! Não há mais desculpas sem precisar de pedi-las.
Não há mais coração a bater de medo. 
Não há mais alma sofrida ou lágrimas de desilusão.
Não há mais mensagens a dizer que te adoro. 
Não existem mais textos escritos em vão, sem que o lesses.
Não dá mais.
Não posso, não quero, não devo! 
Chega.
Quantos dias perdi à tua procura?
Quantos dias perdi à tua custa?
Sei que nunca se perde por fazer o bem, mas quantos minutos perdi a dar-te valor.
Esquece, não me terás nunca mais de mão beijada, ao serviço do teu beicinho.
Dei tudo de mim, sem receber.
Dei tudo de mim, em vão.
Dei tudo de mim e o que tu me deste?
Hipocrisia, ilusão desmedida, ingratidão. 
Não, não precisas mais de mim. 
Nem eu de ti. 
Sem ti serei melhor.
Um corpo livre, longe do enfado da tua presença. 
Só me querias a teu favor, 
Porém nem de longe nem de perto, isso é amizade ou amor.
 
 

 

Não quero mais

40e8d24538.jpg

 

Não.
Não quero mais…
Não quero uma relação de silêncios.
Não quero uma relação onde eu não possa ser quem sou com medo do que possa pensar a outra pessoa.
Não quero estar com alguém que desdenhe de quem sou e que não goste de mim pela mesma razão.
Não.
Chega.
Não. 
Não quero mais…
Não quero mais forçar uma relação em que sou só eu a empurrar para que dê certo.
Não quero ter de pedir desculpa de novo, quando sei que não precisava.
Não quero estar com alguém, onde me sinta constantemente com medo de errar, sem poder rir desalmadamente, dizer asneiras e marimbar-me para o que pensam os outros.
Não quero ir por aí, porque a pessoa quer.
Não vou mudar. 
Quem me ama, irá entender-me. 
Quem me ama, gostará de mim como sou. 
Irá à procura do mais íntimo, irá fazer-me feliz, dizer “estou aqui” e estar. 
De outra forma, digo não.
Não.
Não quero mais!

 

 

 

* Filmes com história: And While We Were Here

And-while-we-were-here1-e1382745935569.jpg

 

Uma relação de amor precisa de ser baseada em respeito, atenção, carinho, apoio. E não mentiras e omissões. Precisa de ser levada de forma séria, mas com leveza de um ser jovem. Mais importante que dizer “estou aqui” é estar realmente. Precisa de ser alimentada todos os dias senão poderá morrer.
A relação de Jane e Leonard já teve dias melhores e o seu amor vê-se conturbado por milhares e milhares de acontecimentos. E a força que os devia unir só os afastou.
Jane é uma jovem com baixa autoestima, já há muito que não se sente uma mulher a sério. Leonard vive obcecado com o trabalho, como defesa para não enfrentar todos os seus problemas.
O casal viaja para Nápoles por causa do seu trabalho, e é nesse lugar que tudo muda, quando Jane conhece o jovem Caleb, que lhe dá tudo o que precisa – carinho, atenção, autoestima, sangue novo.
Será que a sua relação irá sobreviver a todas estas omissões?
Um filme bonito e por ser um pouco dramático, deixa-nos sempre uma mensagem que dá que pensar.
 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Outros lugares

Blogues à Mesa
3XQY_12a3qPlDRIcVpKJSt0ZO-QUA-vmBk3L3bSl7jI.png