Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

15
Ago17

[Ficção] Tempo?

Carolina Cruz

20767718_754888988051662_3100268349672639515_n.jpg

 

 

Dá-me tempo, serenidade. Eu sei que gostas de mim, sei que esse amor te consome ainda que não o digas. E eu preciso que digas, que concretizes esse amor. Amares-me não basta, amar-te também não. 
Dá-me tempo, eu preciso de ti, mas preciso de mim por inteiro para pensar sobre nós. 
Porque não nos podemos ter? Porque não podemos amar simplesmente, se te amo e nos amamos tão completamente? 
Não fomos feitos para estar juntos. Será isso?
Somos pedaços de um mundo desfeito onde nenhum de nós se encontra!
Quero-te, queres-me, mas isso não basta. Consome-nos. Aperta-nos o peito. 
Tu és simplicidade, eu sou confusão. 
Tu és confiança, eu sou ilusão. 
Somos tão diferentes um do outro, como a noite e o dia, o sol e lua...
Não fará isso sentido? No sentido exato de que nos encaixamos na perfeição?
Por favor esqueçamos o destino, vamos amar de coração.

11
Nov16

[Por aí] Cohen jamais morrerá!

Carolina Cruz

2016, 2016, queres todas as estrelas no céu?
Leonard Cohen, o Gentleman, a voz grossa, o disco de eleição da minha mãe, que se tornou também um gosto (muito bom) da minha parte, parte hoje aos 82 anos.
Parte apenas da Terra, porque este senhor será sempre uma das eternas lendas da música.
Um poeta, um homem cheio de charme, de romantismo, que deixa tanto de si ao mundo, que acredito que ninguém passa mesmo na vida em vão, há sempre um dom, uma memória, uma paixão e um sentimento que nos torna eternos. É o caso deste senhor que tanto aqueceu e continuará a aquecer o coração e a alma de quem o ouve, porque basta fechar os olhos para sentir a liberdade e a consciência limpa e é exatamente isso que lhe desejo - todo esse paraíso, paz e serenidade que ele nos proporciona ao ouvi-lo!

 

Obrigada, Cohen. 

 

22
Out15

O sonho e a verdade

Carolina Cruz

10440767_288247324715833_5959686118800751880_n.jpg

 

 

 

O tempo é merecedor da nossa vontade, o sol que parte sorri e o vento parece beijar as palavras que escrevo, a minha energia são os segredos cúmplices diante do mar, que morre por mim, a meus pés, desejando a eternidade da minha serenidade.
Eu desejo a sua força e o seu respeito, venero cada onda do seu engenho de Homem e amor e eu sou a sereia e o encanto da sua beleza e vaidade, implorando a ele o sonho e a verdade.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D