Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

15
Jan17

Arrebatas-me o coração

Carolina Cruz

Amor meu.jpg

 

É essa tua lealdade poderosa de leão que arrebata o meu coração.
É esse teu ar de durão que morre por dentro, de amor e lágrimas de felicidade.
Esse orgulho nos teus olhos quando olham os meus.
Se te perguntassem o nome do amor darias, sem pensar, o meu. Eu, o teu.
O que nos uniu num impasse, hoje é uma certeza infinita.
Quero-te para sempre. Porque são as nossas diferenças que nos unem.
É esse teu abraço que cura tudo. É esse abraço que me beija e que me faz acreditar e viver mais um dia.

 

 

14
Jan17

[Cinema] Knock Knock

Carolina Cruz

Knock_Knock_poster.jpg

 

 

“Knock, knock” é um filme do qual eu ainda não encontrei palavras para descrever de tão ensurdecedor e empolgante que é.
Este thriller deixa-nos com o coração nas mãos, sem ar, enraivecidos, capazes de entrar na história e tomar certas decisões.
Para quem gosta de filmes de ação, drama, e tensão psicológica este é o filme ideal para se escolher.
Será que devemos realmente ajudar pessoas estranhas mesmo com ar angelical? Podemos cair nas teias de um enredo e de um terror do qual podemos não sair vivos, e se sairmos deixa-nos marca para toda a vida.
Por isso, quando fores abrir a porta, pensa duas vezes. Ao aceitares ajudar alguém, pensa três. Ao cederes, pensa mil.
E pensa em ver este filme porque tenho a certeza que vais adorar.

 

 

13
Jan17

[Ficção] Uma fronteira que nos separa

Carolina Cruz

014405_big.jpg

 

Há uma fronteira que nos separa. No dia em que devíamos fazer cinco anos juntos. Podíamos estar unidos, mas não, nada disso. Eu simplesmente limitei-me a perder-te. Como pude descer tão baixo, não te querendo? Ter-te desrespeitado? E… mesmo depois de me teres perdoado, eu não te ter aceitado de volta?
É verdade, eu mereço, sim. Mereço toda esta ruína em que se tornou o meu mundo.
No fim de tudo, bati no fundo. Percebi que era contigo que queria e quero estar, mas não posso, não te mereço como antes, nunca te mereci, na verdade.
Passaram cinco anos desde o primeiro beijo, o melhor em toda a minha vida, sei-o, simplesmente porque o aperto do peito só se sabe recordar dele a cada momento em que bate.
Para além do teu sorriso que me paralisa para o qual olho todos as noites, em todas as fotografias que tirámos.
Hoje sei o quanto cresci com o sofrimento, com a tua ausência, já não sou o miúdo estupido que te deseja apenas, mas que te ama por inteiro.
No entanto, a vida quis assim, que me separasse de ti, que me fizesse perceber o quanto és bonita e o que eu perdi.
Só lamento isso, tudo isso.
 

 

 

 
12
Jan17

P.S. Obrigada

Carolina Cruz

obrigada!.png

 

 

Amar-te é agradecer sem palavras, é saber que todos os gestos são a forma mais sincera de te querer.
É querer sem limites abraçar o teu coração.
É partir e já sentir saudade. É sentir que essas mesmas saudades um dia partirão para sempre sem que seja eu que me tenha de me despedir de ti.
Amar-te é acreditar que o amanhã será melhor ainda. Que o vazio incompleto da minha cama te pertencerá, que o meu abraço dormirá todos os dias no teu colo. E ainda assim, sonhando com o futuro, o melhor presente está aqui mesmo a nosso lado – o nosso amor – aquele que me dá forças para acordar com um sorriso.
E ainda que as palavras não cheguem para agradecer realmente.
P.S. Obrigada!

 

 

 

 

 

11
Jan17

[Resenha Literária] Linhas Delicadas

Carolina Cruz

12773161_676029162538266_750013342_o.jpg

 

 

“Linhas delicadas” de Cátia Cardoso é o primeiro romance da jovem autora. E posso-vos dizer que, na minha humilde opinião (na qual podem acreditar), a Cátia é uma autora promissora, pois tenho-vos a dizer igualmente que o seu livro não ficou aquém das minhas expectativas, aliás, muito pelo contrário, superou-as.
Este seu primeiro romance é um livro que nos atrai a ler mais e mais. Tem suspense, amor e talento em cada (entre)linha deste livro!
“Linhas delicadas” fala-nos de uma família de três irmãs, que irá atravessar vários problemas após o falecimento do pai e da fuga de uma das irmãs (Benedita). Bianca, a irmã do meio, apaixona-se por um rapaz que poderá ou não ser o culpado pela sua irmã ter querido fugir. Como fica a sua vida após tudo isto?
Este livro faz-nos pensar sobre vários aspetos da nossa vida, sobretudo que a felicidade é uma constante - ainda que existam maus momentos, temos de nos agarrar a algo bom para nos mantermos de pé, não é verdade?
Faz-nos pensar igualmente que cada pessoa é só por si só um segredo, uma complexidade, que se deve ler nas entrelinhas, porque como a própria autora tem vindo a citar a frase que melhor define este livro - “nunca se sabe os segredos mais complexos que as pessoas mais simples podem guardar”.
Interessante? Realmente! Empolgante? Não diria melhor! Aterrador? Nem mais! Forte, muito. E apaixonante também!
Por favor, não deixem de ler! Vale mesmo muito a pena!

11
Jan17

[O teu olhar] Coimbra e teus amores

Carolina Cruz

Joana Veríssimo.jpg

 (Fotografia da autoria de Joana Veríssimo)

 

Oh Coimbra, minha cidade eterna, quantas vezes, sem cessar, escrevo para ti.
Zeca Afonso disse que em ti o amor não durava e lamento confirmar-te de que ele tem razão. O karma veio ao meu sangue de estudante e pintou a realidade da letra na minha pele.
Eu fiquei somente, sozinha, em plena solidão, nos teus braços, Coimbra. Quando o que eu queria era amá-lo por completo, por toda a minha vida, todos os dias, até sermos velhinhos.
Será que é impossível? Porque é que tenho de te escrever a implorar esse amor de Inês, sem que seja trágico? Esse amor-perfeito, tão certo e saboroso.
Posso pedir-lhe para voltar às margens do teu mondego? Para que eu posso dizer o que me invade a alma e quanto ela dói na sua ausência? Posso? Não sejas a sepultura de um coração partido e ajuda-me a recordar-te sempre com um sorriso, pois eu nunca quero voltar a onde nunca fui feliz e eu quero voltar, Coimbra.

 

 

 

10
Jan17

[Resenha Literária] Coisas que nos diz o coração

Carolina Cruz

1507-1.jpg

 

O segredo é procurar, sempre, seguir o coração, é ele quem nos traz as melhores lembranças e nos faz seguir em frente.
Por vezes, quando agimos com o coração, a cabeça só atrapalha, tentando nos levar sempre por outro caminho. Embora, na maioria das vezes, quem vence é o coração.
“Coisas que nos diz o coração” é um livro para os fãs de John Green, mas a meu ver muito melhor que todos os livros do autor.
Jessi Kirby conta a história de Quinn, uma rapariga que perdeu o seu namorado Trent, num acidente de viação. Após a sua morte, os seus órgãos foram doados a várias pessoas, às quais Quinn escrevera para tentar lidar melhor com a partido do seu amado, tentando fechar um capítulo.
No entanto, o rapaz que recebeu o coração do seu namorado nunca lhe respondeu e sabendo a sua morada, Quinn procura-o, e encontra-o, conhece-o, apaixona-se e uma história de amor surge entre os dois.
Conseguirá este romance vencer a tantas omissões e segredos?
Uma história divertida que nos faz rir e chorar (por mais!).

09
Jan17

Uma foto por dia: Novembro e Dezembro.

Carolina Cruz

Já não era sem tempo que eu publicava os últimos meses do ano passado aqui no blog!
Pois é, é verdade, 2016 passou a voar, e foi espetacular na vossa companhia, espero que também vocês tenham gostado de o ter partilhado comigo para lá das palavras, o meu dia-a-dia, um pouco mais de mim.
Se sim, não fiquem tristes, porque o desafio não se mantém mas continuarei a publicar fotografia no instagram (afinal é a minha rede social preferida) e sem pressão de publicar uma por dia, as fotografias serão melhores (espero que sejam da mesma opinião). 

Assim sendo vamos lá encerrar este desafio!

 

NOVEMBRO 

PicMonkey Collage1.jpg

306/366 - feriado e escrita!
307/366 - frases dignas de fotografia!
308/366 - Vi-ci-an-te!
309/366 - dias cinzentos
310/366 - estranhos sentimentos do coração

PicMonkey Collage2.jpg

311/366 - a leal Mia!
312/366 - The little marmeid
313/366 - um dia sem escrever é como um dia sem amar! Estou de volta!
314/366 - o Michael Bublé tem destas coisas como fazer-me ouvir músicas de natal sem novembro nem ter chegado sequer a meio!
315/366 - I'm chef

PicMonkey Collage3.jpg

316/366 - mau feitio sempre em primeiro plano!
317/366 - Dois livros com histórias poderosas a pedirem-me para serem lidos! — com Cátia Cardoso e Patrícia Rebelo.
318/366 - Que fantástica e saborosa ideia Nestlé!
319/366 - a minha máquina poderosa (só que não ) diz que aquele ponto branco no escuro é a super lua!
320/366 - reflexos de um fim de tarde!

PicMonkey Collage4.jpg

321/366 - Ler podia ser considerado exercício físico
322/366 - perspectivas de um banco de jardim.
323/366 - detalhes.
324/366 - bom dia!
325/366 - óptimo dia para leituras.

PicMonkey Collage5.jpg

326/366 - dedicando-me ao blog
327/366 - começo de novas leituras! — comPatrícia Rebelo.
328/366 - o lado bom dos dias frios. Chá, filme e mantinha.
329/366 - Assim os dias de frios valem a pena!
330/366 - Hora de Castle

PicMonkey Collage6.jpg

331/366 - o  fica mais quente quando podemos ajudar um pequeno ser.
332/366 - Outono
333/366 - o meu despertador preferido. Que forma boa de acordar
335/366 - mais uma boa leitura a começar - "linhas delicadas" de Cátia Cardoso. — com Cátia Cardoso.
335/366 - percebes que são os teus melhores amigos quando tanta trafulhice em jogo é perdoada!

 

DEZEMBRO

PicMonkey Collage7.jpg

336/366 - de seu nome Camões
337/366 - noite de fados!
338/366 - o melhor do inverno
339/366 - quando a inspiração chega. Talvez deveria era estar a dormir. No entanto, há que aproveitar todos os bocadinhos! — em Lousã.
340/366 - arrumar os livros... Há sempre espaço para mais um!

PicMonkey Collage8.jpg

341/366 - Magia.
342/366 - gato de guarda
343/366 - bom feriado!
344/366 - meu, meu, meu  — com Miguel Araújoe António Zambujo.
345/366 - nature

PicMonkey Collage9.jpg

346/366 - "Amanhã? Talvez! Quem sabe?"  [Em cena no Teatro Loucomotiva, Taveiro, Coimbra] — com Loucomotiva - Grupo de Teatro de Taveiro ePaulo Azevedo.
347/366 - minha vila bonita
348/366 - lareirinha e livrinho. Tão bom
349/366 - Café para começar um dia longo! (Ou não!) — em Anos Loucos Caffé.
350/366 - Bom dia Coimbra!

PicMonkey Collage11.jpg

351/366 - sendo "chazeira" o meu nome do meio, não pude resistir a esta ideia maravilhosa da Lipton
352/366 - Quentinhas e fofas
353/366 - So sweet
354/366 - Dentro da minha rotina tem sempre de haver, a favor da minha sanidade mental, tempo para ler
355/366 - Ideias geniais da cornetto

PicMonkey Collage12.jpg

356/366 - Amor
357/366 - a minha modelo favorita!
358/366 - Esta época é uma overdose de doces
359/366 - fornada de bolachinhas de natal #cookies #christmas
360/366 - Adoro dar prendas para poder usufruir delas!  "Até pensei que fosse minha" de António Zambujo
361/366 - Ainda a rebolar  #christmas

PicMonkey Collage13.jpg

362/366 - final do ano, os mesmos vícios
363/366 - "invernissimo" ❄
364/366 - mini Mimo & Mimo!
365/366 - Replay, replay, #replay!
366/366 - Há pessoas que dão o seu melhor aos outros. A isso se chama - amizade!
E eis que chega ao fim um grande desafio -#onephotoaday2016
Obrigada aos que partilharam comigo este ano

09
Jan17

[Simplicidades da vida] conduzir com música

Carolina Cruz

tumblr_lrr1g7mmB51qlk4imo1_500.jpeg

 

 

 

Deixo-me ir, juntando a mim a liberdade.
É verdade que conduzir pode ser algo tremendamente secante e se forem muitos quilómetros pior ainda.
No entanto, ao deixar que a música me controle e faça de mim (como faz tantas vezes) uma pessoa feliz, então tudo se torna, na verdade – prazeroso.
Ao cantar, sinto que posso dar a volta ao mundo, enquanto todas as memórias do que sou e do que me faz ser de espírito livre me deixam pensar e refletir que se fizermos tudo sem queixas com vontade de sentir o que realmente importa e sermos jovens eternamente, então a vida torna-se um lugar melhor.
E o mundo passa a ter um nome: a liberdade de sentir.

 

 

08
Jan17

[Ficção] Sonha menina

Carolina Cruz

sonha menina1.jpg

 

Vejo-te passar pela rua, como um anjo que guarda os meus pensamentos. Nem uma palavra consigo dizer-te, porque sei que nessa pacatez tu tens o mundo a teus pés, nessa tua simplicidade tão especial.
Embora não te conheça, sei que és cá dos meus, gostas dos lugares mais escondidos, dos sentimentos duradouros, de momentos que não precisam de palavras, és de poucos gastos porque apenas a vida te basta.
Não te conheço, mas sei tanto de ti, ao ver-te pela janela. Sei que és uma pessoa luz, que com a sua paz ilumina o meu dia e também isso me basta, porque sou uma sonhadora e sonhar contigo todas as noites é sentir que posso também morar um dia que seja no teu pensamento, mas se eu não disser quanto temo estar errada, nunca vou saber se estou certa.
Ainda assim, acredito que me guias, que sabes melhor que eu o meu futuro e quem sabe os nossos caminhos não se cruzarão um dia?
Sonha, menina, sonha, com esse homem luz. Sonha, que faz tão bem.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D