Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

22
Set18

Acreditar e sonhar

Carolina Cruz

tumblr_ljynnlUnBo1qgl4n0o1_500_large.jpg

 

São as cicatrizes do teu corpo que tornam a tua alma forte. 
Quando pensares em desistir olha para elas e pensa como conseguiste ultrapassar tanta coisa, e se conseguiste antes, conseguirás de novo. 
As marcas na tua pele representam a tua valentia, que não pode cessar agora, não agora que estás no caminho certo.
Sê rija, há milhares de coisas que podem correr mal, mas há outras milhares que podem fazer o teu coração sorrir e eu sei que é isso que te está predestinado. 
Tu mereces o mundo, não menos, mas sim o mundo. Acredita que o vais alcançar, e sei que apenas um gesto bonito vai mudar a tua forma de pensar, só tens de ter esperança, de acreditar em ti e no melhor que tens para dar. 
O lugar mais bonito onde podemos estar são os nossos sonhos, por isso se desta vez fracassares, continua a sonhar, não custa nada e embora nos coloque num mundo à parte, nesse espaço que criamos, podemos viver felizes.
E tu? Vais acreditar mais em ti? Vais sonhar também?
 
 
 
 

 

21
Set18

[Por aí] O meu livro "O coração vive de sorrisos"

Carolina Cruz

livro o coracao.png

 

Já está disponível o meu primeiro livro, intitulado "O coração vive de sorrisos"
Apresento-vos a sua sinopse:

"Acham que não é possível apaixonarmo-nos por alguém dito diferente? 
Então venham!
Quero que conheçam o Cláudio (um adulto com paralisia cerebral, apaixonado pela vida), a Alice (uma adolescente com síndrome de Down, que com sorrisos enfrenta a vida, depois de todas as mil razões que esta lhe dera para chorar), o Samuel (um jovem adulto com esquizofrenia com grande espírito de perseverança), a Madalena (uma menina de treze anos, com síndrome de Tourette, mas com mil sonhos na mão) e a Maria Inês (uma adolescente com síndrome de Asperger, tremendamente apaixonada pela musicoterapia) – personagens fictícias das cinco histórias que o livro apresenta e que provam que o amor não tem forma ou feitio e que é das formas mais sinceras de se viver.
Entrem nas suas vidas e deixem-se encantar por todos os sorrisos e por todos os sonhos que envolvem esta ficção que absorve a realidade de que o amor sempre vence."

 

 

 

Se estiverem interessados em adquirir um exemplar para vocês, entrem em contacto comigo através do e-mail: ocoracaovivedesorrisos@gmail.com
Ou através das seguintes páginas, por mensagem privada:
https://www.facebook.com/carolinacruzautora
https://www.facebook.com/ocoracaovivedesorrisoslivro/ 

 

20
Set18

[O teu olhar] A humildade e a lua

Carolina Cruz

Cláudia Fernandes (4).jpg

 

Um dia a lua perguntou-me porque é que eu sorria tanto como o sol. 
Eu corei, disse que admirava as suas estrelas, as que lhe faziam companhia no céu, à noitinha, e ela disse que nada serviam porque brilhavam apenas quando todos os outros seres dormiam, eu falei-lhe de humildade e disse que as valorizava.
Contei-lhe então que o meu sorriso brilhava tanto como o sol, mas que preferia continuar humilde como as estrelas. Que sorria para fazer alguém sorrir, que o que fazia na vida era mais por amor do que para ter sucesso, porque aprendi com alguém que vive no céu, que é uma estrela agora a brilhar, que se tentarmos brilhar como o sol, podemos encadear os outros com a nossa excentricidade, mas se formos humildes como as estrelas um dia os mais belos sonhadores revelarão a nossa beleza.

_________________________

Fotografia da autoria de Claudia Fernandes

19
Set18

No teu abraço

Carolina Cruz

41647155_530437774073063_5215772829307371520_n.jpg

 

Deixa-me demorar no teu abraço, deixa-me morar dentro dele, deixa-me fazer do teu abraço a minha casa, do teu amor a minha mais bela arte. Com o teu sorriso pintas o meu mundo de forma (tão) mais bonita, que não existe espaço no meu peito para tamanha gratidão.
Demora-te em mim, sorri-me que eu adoro ver-te sorrir, mesmo quando o mundo não quer, quando a vida conspira em deitar-te a baixo… Estou aqui, sorri, sorri-me, abraça-me, que tudo ganha cor.
Sei de cor cada traço teu e cada feito do teu corpo, do teu feitio e mau génio, mau humor, gosto de ti mesmo quando não me sorris, quando choras, quando amuas mas queres por dentro soltar uma gargalhada. 
És tão difícil, tão bonita, tão certa e tão pura, fazes-me ver o mundo de um outro prisma, fazes-me gostar da vida, de viver, aprisionas todos os meus medos e leva-los para longe.
Amo-te e quero amar-te todos os dias da minha vida. 
Abraçar-te até sentir-te tremer de frio porque a pele não aquece mais.
Abraçar-te até os nossos braços não terem mais força para nos apertarmos.
Quero morrer velhinho no teu abraço. Porque nele renasci, vivi, quero lá perder-me e partir.
Abraça-me, não demores, abraça-me já, que o tempo é tão curto.
 

 

18
Set18

Poder te amar.

Carolina Cruz

41697968_531029280680579_8000245452094046208_n.jpg

 

Entro de mansinho no quarto, pé ante pé e sorrio, dormes como um anjo, não existe tristeza no teu rosto, no teu dormir e sonhar há a ingenuidade de uma criança.
Já não durmo há algumas horas, o meu corpo teima em acordar cedo mesmo sem ser preciso, mas volto à cama para te olhar demoradamente, para me aperceber que embora a vida me empurre contra a maré, tem uma magia diferente por te poder olhartodos os dias de forma inocente, com um beijo que nos faz sentir de novo infantis, arrepio-me, solto um riso baixinho de tão grande significado. 
"Bom dia", digo-te ao acordares! Permaneço aqui neste amor longo e desejo que todos os dias possam ser assim, com esta paixão de manhã à noite e ao acordar, porque o que me mantém sã é poder te amar.

17
Set18

[Ficção] Sou filha do mundo!

Carolina Cruz

41675809_531449163971924_2293125507971022848_n.jpg

 

Não me abandones, não me prometas mundos e fundos se não me puderes dar aquilo que tanto sonho. Aprendi a gostar de ti, a amar-te talvez um pouco, mas só irei ter a certeza de que é isso que chamam de amor quando não me rejeitares. A minha vida foi feita de perdas e de desilusões, três famílias não me quiseram e eu voltei sempre à estaca zero, a ser de novo recém nascida, querendo os braços de uma mãe, o problema é que não sou mais miúda, tenho doze anos e sei o que é a dor, conheço com sabedoria o facto de não poder agradar a todos, mas não preciso pois não?
Família mesmo que não seja de sangue, deverá entender que todos temos os nossos defeitos e é nos feitios que somos diferentes dos outros animais e somos ser humanos, que nos tornamos especiais ou não.
O facto de ter sido rejeitada toda a vida faz com que tenha medo do amor, não te vou tratar mal, mas até provar que me amas realmente vou ser, talvez, indiferente, mas não ligues, esta é a minha carapaça, não te quero abraçar sem ter a certeza de que é para sempre, sabes? Dói não ficar. Mas ama-me, e amar-me é entender tudo isto, entender que sou filha do mundo, mas posso ser a tua filha também.
 
 
 
13
Set18

[Cinema] Sierra Burgess is a Loser

Carolina Cruz

MV5BMTU5Mjc4NTM2Ml5BMl5BanBnXkFtZTgwMjMzMzA5NTM@._

 

Netflix, obrigada por existires! 
Mais um filme cliché talvez, mas que adorei imenso, porque tem uma mensagem poderosa!

"Sierra Burgess Is a Loser" é um filme original da Netflix, que nos fala sobre estereótipos, amor e beleza interior.
Um rapaz bonito e interessante quer conhecer a rapariga mais popular da escola e pede-lhe pessoalmente o seu número  só que esta engana-o, dando-lhe outro número que não o dela. De quem será esse número? O que irá acontecer?
Jamey engana-se diariamente e apaixona-se por alguém que julga que conhece, a pessoa com quem troca mensagens é bonita, inteligente, com quem conversa horas a fio sem se cansar, ela é apaixonante... Mas quem será? E quando ele souber a verdade?
Um filme divertido e comovente, que nos fala ao coração sobre a amizade e a forma de ser de cada um, demonstrando-nos que somos importantes à nossa maneira.

Curiosos? É só procurarem na Netflix, que vão adorar!

 

 

09
Set18

[Resenha Literária] O dia em que chegaste

Carolina Cruz

 

 

 

40342994_1840247609346050_3576269884121677824_n.jp

 

 

 

"Mónica, Luísa e Martim conhecem-se na adolescência e são forçados a aceitar, desde cedo, que a vida é feita de contrariedades, de amores e desamores, de situações mal resolvidas. Mal eles sabem que as suas histórias estarão interligadas para sempre.
Um grave acidente vem mudar o rumo das suas vidas, reavivando sentimentos que se julgavam perdidos. Este acidente deixa Margarida, uma pequena e inocente criança, órfã. Mas, no meio desta infelicidade, Margarida ganha uma mãe do coração que promete fazer tudo para a ver feliz.
Uma simples reviravolta é capaz de mudar o rumo de várias pessoas, abrindo-lhes as portas para a possibilidade de criarem um novo futuro."

 

 

 

 

 

"O dia em que chegaste" é o segundo livro de Letícia Brito, lançado oficialmente no dia 8 de Setembro.
Já acompanho a escrita e o trabalho da Letícia há já algum tempo e escusado será dizer que sou fã, que adoro.
A Letícia tem uma escrita maravilhosa, completa, bonita e neste livro não é exceção.
"O dia em que chegaste" é um livro que nos prende e nos apega às personagens reais, por ela, tão bem construídas.
Este livro fala-nos de forma séria e bonita sobre o poder do amor e da sua força nos momentos de tempestade. Faz-nos chorar e sorrir, faz-nos bem à alma.
Um livro intenso que está, a meu ver, ao nível de grandes best-sellers.
Está provado que não há como parar a Letícia e é com agrado que afirmo que esta é, mais uma vez, uma história poderosa!
Não percam, é mesmo maravilhoso!


Está disponível no site da editora Cordel de Prata e na página da autora.

02
Set18

[Resenha Literária] Há cabelos que sorriem

Carolina Cruz

350x.jpg

 

“Há cabelos que sorriem” é um romance terno e maravilhoso, narrado com o afeto e o olhar de uma criança.
Uma criança bastante adulta, com pensamentos e ações maduras, consequência da sua vivência familiar dura.
“Há cabelos que sorriem” fala-nos de um divórcio entre um casal que vive numa África utópica. Envolve-nos e prende-nos entre discussões e recordações de um rapaz que ainda tem tanto para viver, crescer, mas que parece já ter vivido uma vida longa.
A vergonha de se sentir diferente, a vergonha de amar e não ser correspondido, a falta de um amparo familiar e as saudades do velho avô, trazem a esta criança uma sensibilidade forte.
Um livro impecavelmente bem escrito, em prosa, mas com um sentido poético sobre a vida e os sentimentos.
Diogo é um escritor recente mas que, na minha opinião, tem um futuro promissor.
Leiam o seu livro porque vale mesmo a pena.

01
Set18

[Cinema] A todos os rapazes que amei

Carolina Cruz

bd858fff2f370d56a3fb614ce4328c6849f23900.jpg

 

“A todos os rapazes que amei” chegou finalmente à Netflix e o filme está estupendo, bastante fiel ao livro, sem tirar nem pôr.
As personagens são divertidas, bem caracterizadas e deixam-nos a suspirar!
O filme está tão bem feito, divertido e tão cheio de emoção, que mesmo quem leu os três livros ficará ansioso com a história e quer ver se o final bate certo.
A nossa querida Lara Jean é interpretada por Lana Condor, que é doce, doce, doce, caracterizando maravilhosamente bem a nossa personagem principal, o Josh também e o Kavinsky ainda melhor.
Após ler os três livros, senti uma necessidade de ver o filme mal ele saiu, tamanhas eram as saudades. 
Nunca vos aconteceu? Afeiçoarem-se tanto a uma trilogia que sintam falta das personagens como se elas fossem pessoas na vossa vida? Pois bem, é o que sinto!
Adorei o filme e não tenho nenhum ponto negativo a apontar! E espero que venha a continuação… não pode ficar assim!
Para quem gosta de filmes românticos e igualmente divertidos não deixem de ver este!
Como mencionado em cima, encontra-se disponível na Netflix.

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D