Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

19
Jan19

[Resenha Literária] "A Cabana"

Carolina Cruz

transferir.jpg

 

Se há um livro que nos deixa a pensar é este.
"A Cabana" de WM. Paul Young, emotiva até os menos crentes.
Este livro fala-nos de Deus, mas não é na sua definição e conceito que o livro se baseia.
"A Cabana" conta a história de Mack, um pai presente, amoroso e que ama a sua família, um ser humano completo e feliz, até ao dia em que o seu mundo desaba e a sua filha mais nova, Missy, é raptada e todas as suspeitas são de que foi violentamente assassinada.
Após esse trágico acontecimento, Mack vê-se a braços com "A grande tristeza" entrando numa grave depressão, até ao dia que uma mensagem de Deus muda tudo. A sua percepção do mundo, do perdão, da relação com Ele e com os outros.
Como digo, até os verdadeiros descrentes terão um pouco de fé, talvez até na humanidade, ao ler este livro.
Uma história que nos emociona, nos fala de amor e de perdão, pelos outros, pela vida.
Novas e segundas oportunidades surgem sempre que estejamos dispostos a mudar!
Foi, sem dúvida, a melhor forma literária de começar o ano.
Leiam, aconselho vivamente!

04
Jan19

[Ficção] Saber de ti

Carolina Cruz

large.jpg

 

Queria tanto saber de ti! 
Meu Deus, que louca que sou! Louca por sorrisos rasgados, felizes e sinceros e é isso que me apaixona em ti.
Não te assustes, não é amor ou paixão platónicos, sabes… sou da opinião que também nos apaixonamos pelas pessoas sem nutrir amor, mas admiração.
É isso, é exatamente isso que sinto, admiro-te e pensas tu “mas tu nem sequer me conheces”, pois não, mas consigo sentir com o coração quem são as pessoas de bem e não. Esses olhos dizem-me tudo!
Não imaginas o quanto me motivas e o quanto me fazes feliz sem saber. Vejo em ti um mistério de sonhos doces. Posso conhecer-te? 
Tenho a certeza de que não me engano, que serás fiel à imagem que tenho de ti.

03
Jan19

Se me arrependo?

Carolina Cruz

write.jpg

 

Agarro num papel velho e qualquer coisa serve para escrever os meus pensamentos, não posso deixar escapar a sensatez e a inspiração que me move, é tudo demasiado fugaz para não aproveitar toda a inquietude da minha alma.
Porra, porque é que sinto tanto? Por que razão dizem que o meu coração não pertence a este mundo?
Fácil, esse é o meu erro diário, amo, amo muito.
Sinto, sinto tudo na ponta dos dedos, mas não é aí que está a metade do meu ser errante, esse pedaço de mim está no lado esquerdo do peito, que apesar de todas as facadas, apesar de toda a maldade que vê em meu redor, teima em ver o lado mais bonito nas pessoas, a perdoá-las apesar de tudo e sorrir.
Será isso a poesia?
Amar demais faz sofrer, sim... muito, quantas vezes... mas porque o faço? Para me sentir bem e embora doa, eu posso dizer que dei tudo por tudo, deito-me de consciência tranquila porque dei o melhor de mim.
Se me arrependo? Tantas e quantas vezes. Porém, é com as perdas que escrevo, é pelas perdas que choro, mas talvez seja a forma de eu olhar a vida, com amor.
01
Jan19

Quem sou

Carolina Cruz

large (1).jpg

 

Sou uma bomba-relógio, uma explosão de emoções. Não sei sentir com conta, peso e medida, já tentei, em vão.
Sou fogo quente, sinto muito, sinto tanto.
Amo demais, choro demais, sinto tanto e todas as coisas de uma forma explosiva, levo tudo a peito, vivo de coração.
Este sentir demasiado as coisas só me magoa, e se calhar também os outros que me possam interpretar mal.
Não consigo esconder sentimentos, merda para esta autenticidade, esta transparência que não sei evitar.
Quando estou chateada, posso abrir a boca para dizer coisas que não quero, mas sou aquela pessoa que mais procura alguém se souber que errou para pedir desculpa.
Sinto tanto, que sinto que amo demasiado as pessoas que não me merecem, gosto autenticamente dos outros. 
Apesar de tudo consigo olhá-las, compreendê-las. Por mais que a minha mente esteja magoada, o meu coração consegue encontrar sempre uma razão para perdoar, para gostar daquela pessoa, nem que seja uma memória, um momento ou um abraço.
Por vezes gostava de não ser assim, mas também se assim não fosse, não era eu. Não que as pessoas frias sejam felizes porque eu já tentei sê-lo e para mim não há nenhuma ponta de felicidade em se ser orgulhoso.
Abraço o agora e aceito os meus pensamentos e emoções do presente. Dou-me ao mundo, quem gostar de mim, quem me respeitar, fica, entende quem sou.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D