Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

13
Fev19

[Ficção] O que estás a fazer?

Carolina Cruz

Sad-Wallpapers-HD-Free-Download.jpg

 

O que estás a fazer?
Não consigo perceber… que lugar é este?
Então mas não íamos de férias todos juntos?
Estás diferente desde que a conheceste…
Choro, mas tu não me ouves.
Falo-te, imploro, mas tu não me entendes.
Expulsas-me do carro, dói-me o corpo e a alma, e ainda dizem que nós não sentimos, não pensamos.
Eu é que não te consigo compreender, sempre fui teu companheiro, leal… Quando vivias na amargura era eu que te ouvia desabafar, que te lambia as lágrimas, as feridas que te permaneciam no peito e te fazia sorrir, pelo menos era o que dizias: «Só tu Like, só tu para me fazeres rir nestas alturas».
Estou velho, é isso?
Só consigo perceber que estou num beco escuro, perdido. Sou mais um cão de rua e tu um homem horrível a quem dei o meu amor e me abandonaste.
O que te fiz eu? 
Hás-de querer-me de volta e chorar como choro eu agora. 
Choro à procura de uma casa, de um coração cheio que me possa dar amor verdadeiro, o qual tu não me soubeste dar.
29
Jan17

[O teu olhar] Nas teias do amor

Carolina Cruz

Ana Francisco.jpg

(fotografia da autoria de Ana Francisco da página "Mundo em fotografia")

 

Sou um estranho bicho-de-mato que pelas teias do amor, se tornou na sua mais bela fala - uma flor.
Rebentei por entre os raios de sol ferido e levantei-me como quem deseja café. No entanto, a minha maré era o teu jardim, onde me abandonaste. A minha sorte é que me aguentei de pé sem murchar, porque o amor-próprio sobreviveu após todas as colheitas que me fizeram morrer. À parte dos teus jeitos vaidosos de me quereres só para teu proveito eu tornei-me o olhar dos interessados, o olhar dos mais curiosos, que sabem reconhecer a arte, a beleza interior e a simplicidade.
Tu não o quiseste ver, abandonaste todas as ideias simples e só me tentaste comprar com a tua beleza, no entanto tudo o que me soubeste dar foi abandono.
Embora não possa, abandono eu mentalmente o teu jardim e dou graças a Deus por me abençoar e nunca me fazer esquecer quem me planta, me dá vida, e me deixa viver sorrindo.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D