Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

29
Nov18

[Ficção] Abraçar-te

Carolina Cruz

45566980_555665831550257_6958680419269083136_n.jpg

 

Se a vida nos fizer encontrar de novo, tenho a certeza que te vou abraçar como se o tempo não tivesse passado por nós.
Crescemos tanto, mudámos tanto… a vida separou-nos, mas mesmo que chateada, mais com a vida do que contigo, o meu carinho por ti não mudou, não mudou em nada, a mesma amizade, o mesmo amor.
Nem sempre é possível que quando as relações terminem que se fique com alguma ligação, porvezes é necessária a distância e o tempo para colocar tudo no lugar.
Fica na minha mente todas as boas recordações, os momentos que vivemos… Sei que não foi amor eterno, mas foi tão eterno em cada minuto que vivemos. E é por isso que gosto de ti, porque quando nos envolvemos estávamos cientes que podia não ser para sempre, que a atração era mais forte que qualquer amor, que nos dávamos bem, mas que podia ser apenas uma fase na nossa vida. Isso não significa que não sinta a tua falta, sempre foste um bom amigo, um companheiro perfeito.
Nunca ninguém irá ouvir mal de ti da minha boca e nunca ninguém irá perceber porquê, porque é que eu guardarei da nossa história o melhor e não o pior, mas o que fica só preciso eu de saber e sentir. 
Vou abraçar sempre as nossas memórias, com vontade de um dia te voltar a abraçar de novo.

 

29
Out18

Esperarei sempre por ti

Carolina Cruz

38497337_501536756963165_6305774716590227456_n.jpg

 

Deixa-me abraçar-te, perder-me para sempre no teu abraço. 
Fazes-me falta. Tanta falta. 
Por que razão temos de estar separados se é o amor que nos une? 
Passámos uma vida um com o outro. Eu sei que passávamos também o tempo todo a discutir, mas que importa isso, se a verdade é que nos amamos loucamente?
Não partas já. Não me deixes ir... Se fores, não vás sem mim. 
Fica, ficarei contigo, ficaremos juntos. Havemos de ter fé, havemos de arranjar forma, porque o amor nos basta, e se basta para quê complicar?
Vem, tenho os braços abertos e um sorriso nos lábios à tua espera. Esperarei sempre por ti, acreditarei para sempre neste amor!

19
Set18

No teu abraço

Carolina Cruz

41647155_530437774073063_5215772829307371520_n.jpg

 

Deixa-me demorar no teu abraço, deixa-me morar dentro dele, deixa-me fazer do teu abraço a minha casa, do teu amor a minha mais bela arte. Com o teu sorriso pintas o meu mundo de forma (tão) mais bonita, que não existe espaço no meu peito para tamanha gratidão.
Demora-te em mim, sorri-me que eu adoro ver-te sorrir, mesmo quando o mundo não quer, quando a vida conspira em deitar-te a baixo… Estou aqui, sorri, sorri-me, abraça-me, que tudo ganha cor.
Sei de cor cada traço teu e cada feito do teu corpo, do teu feitio e mau génio, mau humor, gosto de ti mesmo quando não me sorris, quando choras, quando amuas mas queres por dentro soltar uma gargalhada. 
És tão difícil, tão bonita, tão certa e tão pura, fazes-me ver o mundo de um outro prisma, fazes-me gostar da vida, de viver, aprisionas todos os meus medos e leva-los para longe.
Amo-te e quero amar-te todos os dias da minha vida. 
Abraçar-te até sentir-te tremer de frio porque a pele não aquece mais.
Abraçar-te até os nossos braços não terem mais força para nos apertarmos.
Quero morrer velhinho no teu abraço. Porque nele renasci, vivi, quero lá perder-me e partir.
Abraça-me, não demores, abraça-me já, que o tempo é tão curto.
 

 

28
Mai18

[Ficção] O resto dos meus dias

Carolina Cruz

solitude-man-on-bench.jpg

 

O meu corpo pede, a minha alma implora, e tu não estás. Adormeço sobre o teu ventre imaginário já que aqui, onde pouso a cabeça, não resta nada de ti a não ser a tua memória e a minha dor por teres partido. 
Ninguém compreende esta saudade que me invade desde que me morreste há mais de vinte anos.
A verdade é que desde partiste, um vazio nasceu, nunca mais soube viver, apenas existir. Tento olhar para trás, perceber que vivia antes de te conhecer, mas não consigo, foste tu que deste cor à minha vida.
Nunca quis mais ninguém, meu amor. A imagem da minha lembrança de ti, faz-me abraçar-te todos os dias. 
Pareço louco, mas ao beijar outro corpo eu sinto que não te sou leal, que traio a mulher da minha vida. 
Dissemos no ato do nosso matrimónio "até que a morte nos separe", mas eu sei, melhor que ninguém, que nem a morte pode separar um grande e verdadeiro amor como o nosso.
Por isso, sento-me aqui, a contar os minutos à espera, sim, esperarei o resto dos meus dias para te abraçar.

 

06
Mai18

Fomos feitos um para o outro

Carolina Cruz

large (1).jpg

 

Nunca será piroso dizer-te, com o coração, que fomos feitos um para o outro.
Creio que nada se torna lamechas quando recebemos o amor nos braços e nos abraçamos como se o amanhã não viesse. 
É isso que sinto quando te olho, quando com o sorriso conto a nossa história. Fomos feitos um para o outro. Tenho toda a noção disso. 
Vivemos uma vida inteira a achar que éramos donos de outro amor e de outro coração, mas sempre pertencemos um ao outro. Não foi o destino que fez com que nos encontrássemos, nada disso, foi a química dos nossos corpos, a intenção das nossas almas de se conhecerem, a intenção dos nossos corações baterem certo e das mãos que permaneceram unidas.
Não tenho vergonha de dizer que nasci para te amar, porque não consigo definir a imensidão que sinto quando me beijas com um sorriso ou quando iluminas o meu dia. Não há nenhuma palavra, por mais que escreva, que possa equivaler a uma mísera quantidade do tamanho amor que sinto…
E eu sinto e sei que o que nos fez amar, jamais nos irá separar.
Não sei se acredito na vida depois da morte, se o que somos continuará a existir. Mas ainda assim, sei que quando partir, esteja eu onde estiver, vou lembrar-me sempre desses olhos que me fazem sorrir e dessa tua alma que eu amo e agradecerei à vida ter-te pertencido.

11
Mar18

Tua a vida toda

Carolina Cruz

Marta Chmielowiec in we heart it.jpg

 

Abraça-me bem.
Abraça-me de forma apertada, como se nada coubesse em ti além do amor.
Ama-me, ama-me desalmadamente como se o mundo fosse terminar amanhã.
Beija-me, como se me tocasses a alma e a despisses. 
Despe-me, sim, despe-me por completo, a alma, o corpo, as entranhas. 
Aperta-me, deseja-me, devora-me, inquieta-me, faz amor comigo.
Quero-te sempre, quero-te como uma louca. 
Isso, elouquece-me. Vive-me. 
Apaixona-te por mim todos os dias.
Incendeia-me o coração até que ele deixe de bater e eu serei tua a vida toda.

 

______

 

Fotografia by Marta Chmielowiec

23
Jan18

[Ficção] Traz o meu abraço contigo

Carolina Cruz

beach-boy-couple-fire-Favim.com-1047298.gif

 

 

Vem e traz o meu abraço contigo.
Não chores, princesa. Conta-me os teus problemas, senta-te no meu colo e deita-te sobre o meu leito. Vem que eu já estou de braços abertos. 
Lembras-te de eu te pedir para trazeres o meu abraço contigo? O meu abraço? Não é estranho dizer-te isto, não. Quero que tragas o abraço que nunca te dei com medo de te apertar o peito de dor. Hoje eu não tenho receio algum, sei que o tempo curou todas as feridas, por isso deixa-me curar-te essa que vejo pelos teus olhos que está aberta.
Anda, desliga-te do meu corpo e observa-me a alma. Esquece o passado e o que fomos, o que tivemos foi especial, mas eu errei, não soube ser bom namorado, mas isso não significa que seja mau amigo.
Vem, que este corpo que outrora te deu prazer, está arrumado nas gavetas da solidão, quer te dar um abraço, quer dar-te a mão, na condição de porto de abrigo, não de amor, mas de ombro amigo.
Vem que embora não tenhamos resultado no que toca ao amor, eu ainda acredito que não viverei bem com a minha consciência se não formos cúmplices para a vida toda.
Vem e deita-te no meu abraço.

13
Set17

[Ficção] Obrigada

Carolina Cruz

tumblr_lim28xgpJv1qefvv1o1_500_large.jpg

 

Como eu tenho orgulho por te ter escolhido.
O meu marido, o pai dos meus filhos.
Meu bem, convosco sinto que não preciso de mais nada, basta ver-te a olhá-los.
A tua simplicidade torna tudo mais fácil.
Eu sou grata por seres assim, por veres nas pequenas coisas a tua maior felicidade.
Contigo, a nossa vida é um lugar feito de sorrisos, de brincadeiras, de um tão completo e doce amor.
Eles amam-te e eu amo-os por te amar e amo-te por eles te amarem tanto.
Obrigada por seres o pai mais feliz e mais companheiro do mundo.
Uma história ao deitar, cócegas ao acordar, milhares de mimos para nos dar.
És o que qualquer mulher sonha na sua vida.
Somos uma família que não é perfeita, mas que é bonita, por dentro e por fora.
Somos o que sempre sonhei, somos um sonho feliz.
Dizem que devemos agradecer antes que seja tarde demais, por isso…
Obrigada por lutares todos os dias por nós, por nos abraçares, por acreditares que estaremos sempre lá para ti, como tu estarás para nós.
Obrigada.

21
Jul17

Tenho medo de morrer

Carolina Cruz

FB_IMG_1499127185988.jpg

 

Vem buscar-me e levar-me embora deste terror.
Aparece à minha frente e abre os braços. Abraça-me. Deita-te no meu peito. Embala-me, faz-me sonhar e acreditar que é possível.
Vem…
Tenho medo de morrer. Não propriamente de morrer, mas de morrer sem amar.
Anda, mostra-me que tudo pode ser diferente. 
Mostra-me que no passado tudo estava errado. 
Tenho medo de morrer sem nunca ter amado inteiramente ou morrer de amor inflamado.
Tenho receio, vivo receada por não saber amar, tenho medo do amor.
Por isso vem. 
Vem provar-me que outrora não era amor, que não gostei de amar porque simplesmente não amei.
Vem tirar-me deste vazio, abre os braços e aceita-me, beija a minha pele, sente o meu desconforto, seca as minhas lágrimas, pega nas minhas feridas e sê cuidadoso, respeita-me, aceita-me e abraça-me. 
Prova-me que o amor é algo bom, que nos mantém vivos.
Aproxima-te e não te afastes. 
Abraça-me e nunca mais me largues.

 

 

 

 

20
Jul17

Porque é que não acreditas?

Carolina Cruz

FB_IMG_1497888445131.jpg

 

Porquê? Porque é que não acreditas que é o amor que nos move? 
Sem ele nada faz sentido. A vida não tem sentido. 
O que achas que é mais importante que o amor? O dinheiro? Esquece isso. 
Enquanto pensares assim, podes conhecer todos os recantos do mundo, todos os mais belos, os mais caros, os lugares que muitos invejam, mas eu não. 
O meu lugar preferido é num abraço, é no peito de alguém que amo, no coração daqueles que tenho por perto e que me querem tão bem quanto lhes quero a eles. 
Se sou pobre? Não, nada disso. Sou grata, rica nas pequenas coisas que são muito mais importantes que tudo aquilo que se possa comprar. 
Quem muito tem e vê “amor” no dinheiro, não tem nada. Tem um vazio no lugar da alma. 
Não digo que o dinheiro não seja importante, claro que sim. 
Mas eu… Eu prefiro ser simples, prefiro amar o amor e poder estar com quem gosta de mim. Porque não pode ser simples assim para toda a gente? 
O mundo seria um lugar melhor.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D