Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

29
Mai18

[Resenha Literária] Amar-te à Meia-Noite

Carolina Cruz

250x.jpg

 

"Katie Price tem 17 anos e não pode sair de casa durante o dia. 
Sofre de uma doença rara, que transforma cada raio de sol numa arma letal. 
Mas tudo muda quando, uma noite, sai de casa para tocar guitarra na plataforma da estação de comboios e conhece Charlie. 
Antes de a noite terminar, Katie apaixona-se, mas não conta o seu segredo a Charlie. 
Quer viver a sua história de amor perfeita, antes de enfrentar a dura realidade.
Perdida no seu romance de verão noturno, Katie sabe que o amor a guiará."

_________________________________________

 

É tão bom quando um livro nos deixa sentir na pele a vida dos seus personagens, é tão bom quando nos põe a refletir, a chorar, a rir e a dar valor aos pequenos pormenores de cada dia.
"Amar-te à Meia-Noite" traz-nos exatamente isso, uma reflexão contínua, uma sensação bonita de nos colocarmos na pele de Katie Price ou de Charlie, ou das outras personagens, uma viagem feita com medo e com gargalhadas, tão delicada e bonita como se fossemos nós que estivessemos ali. 
Este livro de Trish Cook é delicadamente doce, faz-nos vibrar e agradecer por termos na nossa vida alguém especial e faz-nos lembrar que, na verdade, isso é o mais importante - alguém com quem partilhar o bom e o mau, os nossos medos e as nossas dores, alguém que não desiste de nós, alguém que está sempre do nosso lado. E, além disso, faz-nos acreditar que o amor vence sempre, que é o amor que nos ajuda a batalhar e a sonhar alto, a concretizar os nossos desejos e a sermos mais fortes e imunes àquilo que nos deita a baixo.
O amor polivilha cada momento de alegria e rega a nossa vida, tornando-a eterna. 
Uma história surpreendente e real.
Um livro que é de leitura obrigatória para todos aqueles que acreditam que o amor move o mundo!


Agora também no cinema! Ainda não vi o filme, mas aconselho sempre a lerem o livro primeiro!

 

01
Jun17

Olho por ti a dentro.

Carolina Cruz

Olho por ti a dentro.jpg

 

Olho por ti a dentro. Refresco-me na tua alma. Agradeço por te pertencer.
Consigo ver que pessoas como tu jamais serão esquecidas. Pessoas como tu existem poucas. E eu tenho a sorte de te olhar nos olhos e sorrir.
Posso ver-te crescer ao olhar-te nos olhos. Consigo ver o quanto te tornaste adulto e como é bom estar ao teu lado, a vivenciar tudo, com amor.
Esse amor leve que me aquece o peito, esse amor leve e apaixonante que me faz ser… Nunca nenhum homem me amou por inteiro como tu. Nenhum homem, além de ti, me soube olhar nos olhos e por gestos dizer que me amava.
Não é o teu cavalheirismo que me inquieta ou que me conquista. É o teu querer-me tanto, é o teu sorriso quando me vês sorrir. É esse olhar que sorri e que brilha muito mais que todas as estrelas do céu.
Eu não quero casar contigo. É apenas um papel. Nós não precisamos disso, pois não?
Eu não quero dizer a toda a gente que te amo, porque as pessoas mais importantes já o sabem, e são o bastante – nós dois.
Eu quero apenas pertencer-te todo o resto da minha vida. Adormecer uma e outra vez no teu peito e acordar com um beijo doce e um sorriso breve, tão certo como a paz de um oceano.
Eu quero ser, sem regras, toda tua, até ao fim da minha vida.

 

04
Mai17

[Ficção] Da minha história

Carolina Cruz

0cbaf44d640e55b8cbb66482ab75890f.jpg

 

É isso mesmo, o que o Diogo Piçarra já escreveu: “Sempre serás o fim e o início da minha história”.
És sim, sempre serás.
És o meu início porque sempre sonhei contigo. Mesmo sem te conhecer, era contigo que eu sonhava, como alguém como tu, para me viver, para me amar por completo.
Sim, também serás o meu fim, porque mesmo encobertos deste nojento orgulho perverso e autodestrutivo, sabemos que seremos sempre parte um do outro, da história pessoal de cada um, de cada coração que bate em nós.
Nunca te agradeci. Não. Fui cobarde em não ter gratidão suficiente para manter esse amor que construímos, essa mesma história que virou passado. Desculpa, em vez de me desculpar, devia agradecer-te. Eu nunca mereci cada pedaço de sonho que viveste do meu lado e agora eu vou morrer sozinho, sem ti.
Desculpa, peço-te, por não te agradecer. Mas é em vão. Neste orgulho que me invade eu nada sou sem ti. Morrerei incompleto.
Quem sabe noutra vida, renasceremos nesse amor que outrora foi nosso e nos apaixonaremos de novo, de mãos dadas e de gratidão amarrado ao peito.
Ainda assim aceito que se vieres estarei de braços abertos, sem nunca te abandonar. Errei mas nunca deixei de te amar.

 

 

26
Jan17

Sou grata.

Carolina Cruz

FB_IMG_1470778388188.jpg

Obrigada por essa mão que não me larga, que não me deixa fugir.
Obrigada por esse sorriso que me inquieta, por essa alma limpa, a cada reencontro, em cada beijo.
Obrigada por esse adeus, sem partires. Por esses abraços que me apertam, sem me aprisionarem.
Obrigada por estares, por ficares, por seres o melhor de mim...
E depois de tanto agradecer, recuo e penso que o amor não se agradece, ele simplesmente acontece, é uma dádiva. Ainda assim sou grata por seres o meu presente para a eternidade. O meu melhor amigo.
Porque eu acredito que há amores que duram para sempre. Como é possível não acreditar? Como é possível te largar?
Sou grata, por ti, por mim, por nós.
De mãos entrelaçadas damos a volta ao mundo.

 

22
Jan17

Para valer e dar valor

Carolina Cruz

oo (1).jpg

 

Confesso que mesmo depois de todos os teus defeitos, eu ainda gosto de ti, corrijo, adoro-te. São os teus defeitos que fazem com que tu sejas diferente de mim, dos outros, fazem parte da tua identidade e a tua identidade faz parte de mim. E tanto.
Apesar daquilo que me irrita em ti, há mil e uma coisas que me fazem adorar-te, há um passo que eu sempre quero dar, aquele passo que me leva até ao teu abraço, que é tão bom, tão certeiro e me enche o coração.
É isto, o amor, a amizade, o sentimento verdadeiro, é não saber porque se gosta e ter-se a certeza que se gosta, que se quer permanecer ali, doa o que doer, até que a vida termine.
A viagem que nos leva ao querer de alguém, é a viagem mais longa, mais complicada, mas também tão gratificante quanto uma alma em paz, porque gostar de alguém e amar alguém é dos sentimentos mais puros e mais sensacionais que a vida nos traz, é agradecer sem precisar de palavras, é um abraço que se dá para todo o sempre, porque quando se gosta realmente, é para valer e dar valor.

 

 

23
Dez16

Morreremos de mãos dadas

Carolina Cruz

Este amor que não cessa.jpg

 

Este amor que não cessa, este amor que a cada passo, a cada dia é maior, mais intenso, mais saboroso.
A cada dia reconheço melhor o teu corpo, começo a sabê-lo de cor e a beijá-lo como quem sente o vento, suavemente. Eu sou esse mesmo vento amo-o de uma forma poderosa, não quero mais ninguém, só a ti.
Este amor que nos enamora a cada segundo, num abraço onde mora o mundo e onde os sonhos têm lugar e procuram um lar todos os dias, mesmo sabendo que o nosso lar é o que sentimos e o que somos um para o outro.
E se é assim, porque não durar uma vida inteira? Bebermos destes anos que nos fazem bem à alma e revitalizam cada gota de sangue que bombeia o coração.
Morreremos juntos e de mãos dadas, agradeceremos a Deus e viveremos tudo de novo, pois nem a morte mata um amor como este. 

23
Nov16

[O teu olhar] Depois de toda a luta

Carolina Cruz

19. Telma Cardoso.jpg

 

Atravessei a areia, não alcancei o que desejava, corri pela água sobre o rio da minha vida.
Meu Deus, tantos obstáculos e adversidades empataram o meu caminho, mas ainda bem que surgiram para eu dar valor na hora em que cheguei à meta.
Se eu tivesse escolhido o caminho mais fácil, sem nenhum desafio ou sem qualquer cascata de medos e frustrações, eu não teria história alguma para contar. De que me serviria chegar à meta por chegar? Se calhar era apenas mais uma vitória que não teria qualquer significado, que passado poucos dias iria esquecer.
O mesmo acontece com os sonhos e com a vida. Custa lutar, custa sofrer, cair, mas levantarmo-nos é o mais importante.
Depois de toda a luta e sofrimento, a vitória é a luz mais feliz do caminho e então aí saberemos agradecer de coração.

 

[Fotografia da autoria de Telma Cardoso]

02
Set16

[Ficção] Obrigada.

Carolina Cruz

1.jpg

 

Obrigada por despertares de novo o amor que desconhecia ainda me invadir, por fazeres palpitar o meu coração no exato momento em que mergulhava na penumbra. 
Obrigada por me aceitares com todas as feridas por fechar, com os pedaços partidos da minha existência. 
Tu uniste-os com esse teu doce olhar e com o teu jeito protetor eu presenciei algo que desconhecia: a fé. Não em Deus, mas na vida, no amor. 
Obrigada por aceitares que ainda sou pela metade, que o meu coração nunca será todo teu por completo. Prometo, apertando-te a mão que serei a melhor namorada do mundo, dar-te-ei este mundo e o outro, porque tu mereces toda a minha eternidade, essa que me trouxe de novo para a vida.
Obrigada é pouco, por isso um amo-te basta.

 

Foto: Filme "I love, rosie"

24
Ago16

[O teu olhar] Aqui vive a minha alma!

Carolina Cruz

22.jpg

 

É neste lugar que a minha alma vive. Nesta sala as palavras que canto por mais difíceis ou cruéis que sejam na realidade tornam-se melodia, onde meu sonho tem lugar.
Em frente a este microfone eu dou o meu melhor, tenho fé no meu dom e dou alegria à minha voz. Agradeço por tudo o que me tem dado a vida e canto de novo e a cantar tudo se torna mais claro, mais feliz, mais atrativo de se ser experienciado, trago um sorriso no rosto e uma alma renovada.
Tudo neste lugar ganha e tem magia! 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto da autoria de António Allegro, um rapaz com uma voz inspiradora, visitem a sua página :)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D