Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

16
Mai18

Um mundo

Carolina Cruz

large (3).jpg

 

 

Nas pequenas palavras nasceu um mundo.
No teu sorriso rasgado, no teu abraço tímido, na tua franqueza e no teu “estou aqui”, eu vi o meu futuro.
Ainda me lembro do primeiro olhar coberto de amor, o primeiro beijo com inocência, o primeiro até amanhã coberto de saudade, a primeira mensagem com alma quente de paixão.
Não trago saudades desses momentos, porque o que se construiu em nós pede-nos para viver mais, foi duro, foi bom, repetia, mas agora desejo o presente e que venha o futuro.
Tenho orgulho de olhar-te e dizer-te que éramos pequeninos nessa altura, que nada éramos comparado com o que hoje somos e que o que somos hoje espero amanhã sermos mais, muito mais. Mais amor, mais companheirismo, mais eternidade de cada momento, mais amizade, mais união, mais tempo para nos olharmos, para vivermos um ao lado do outro, com a vivacidade de uma criança que impera em nós, para sempre.

27
Abr17

[Ficção] Amanhã.

Carolina Cruz

Amanhã.jpg

 

Amanhã encontrar-me-ás diferente. Amanhã serei outra. Não acreditas? Bem podes acreditar. Porque eu acredito. Aliás, acredito mesmo. Acredito realmente que, na verdade, mudamos todos os dias. Aprimoramos as nossas defesas. Amanhã não será diferente. Amanhã eu serei melhor, serei mais forte não só por causa dos meus erros, mas também pelos teus.
Sim, se pensas que me senti ofendida ou desiludida, talvez tenhas tido razão, mas isso foi ontem, hoje eu fiz dos nossos erros, certezas de que eu encontrarei alguém melhor, alguém que me complete, que me faça feliz.
A vida é uma constante mudança, e eu gosto de acreditar nisso, que, sim, as coisas sempre acontecem por uma razão, quanto mais não seja para crescermos e eu, podes ver e crer, que cresci.
Tudo passou, na memória ficou. Eu sei e, tu sabes, que não esqueci, é uma marca na minha vida e na tua, é impossível que o esquecimento aconteça.
Não vou ser dramática como acontece nas novelas, nem vou implorar o teu amor como nos filmes, nem apagar todas as histórias ou fotografias como muita gente faz na vida real. Não, nem pensar, nada disso.
Sempre fui uma pessoa muito bem entendida com as minhas escolhas, com os meus erros ou com as minhas batalhas, o que vivemos foi apenas algo que faz parte da minha história e do meu passado, mas não é isso que me define, não é isso que diz quem sou.
Por isso digo a mim mesma, de consciência limpa, que amanhã serei melhor, que amanhã será diferente.

 

 

 

22
Mar17

[O teu olhar] Deixa-me

Carolina Cruz

27. Ana Rafael.jpg

 

Por favor. Imploro-te. Deixa-me sair, conhecer o mundo por mim mesma. Eu sei que vou errar, quem não o faz? Sou um ser humano e se me deixares para sempre nesta redoma então eu falharei sempre, não serei ninguém, rigorosamente ninguém que valha a pena, nem para mim, muito menos para o mundo.
Deixa-me ir, eu vou ser sempre a tua menina, não é por partir que te deixo por inteiro. A tua vida começa quando sais da tua zona de conforto. Sempre te disse e tu devias saber, mas não queres.
O mundo nunca te conhecerá nem tu conhecerás o mundo se viveres fechado nesse canto, amedrontado com medo de viver. Isso é tão inútil, mas tu não imaginas, achas sempre que serás mais feliz se viveres na solidão.
Já que não admites, deixa-me ao menos admitir que eu já sou crescida o suficiente para fazer as minhas escolhas, que embora me possa arrepender mais tarde, o problema é meu, o mundo está ali, do lado de fora. E embora com tantas contrariedades ao belo, eu ainda acredito que há tanta coisa boa e bonita por desvendar.
Deixa-me ir, eu não sei como vou ser feliz, mas vou caminhar, até lá momentos e experiências me mostrarão que a felicidade está no caminho traçado e não na chegada ou na vitória.
A vida é uma viagem, deixa-me entrar nela. Deixa-me ir, até amanhã ou assim sendo, até um dia.

 

 

(Fotografia da autoria de Ana Rafael)

10
Fev17

COME ON!

Carolina Cruz

oo (5).jpg

 

Desafia os teus sentidos. Aprimora os teus sabores. Sorri. Grita. Colabora com o mundo. Corre riscos. De que te vale viveres se não fores um bom vivã? Se não aproveitares o que nela há de melhor?
A vida vivida a sério está fora da tua zona de conforto, está na hora em que arriscas ter medo, em que contornas obstáculos e sacodes a poeira do teu caminho.
E esse caminho pode não ser o mais fácil, mas é por isso o melhor, aquele que te fará contar histórias de um sábio valente porque se não tiveres medo então não é coragem.
E se não viveres com coragem, mas sim com medo do amanhã, nunca serás feliz.
O segredo é viver o aqui e o agora, sem deixar que a vida passe por ti enquanto vês os programas de um domingo à tarde ou a novela da noite. Não. A vida é cada pedra no caminho em que tropeças, em que vês o nascer do dia sobre a estrada que percorres, é arriscar mudar de rumo, amar uma rosa e picares-te nos seus espinhos. É abrires fronteiras ao mundo, deixar que sejas tu a contar cada pedaço da tua história de vida, não os outros, nem precisares tu de falar desses outros.
Porque a vida é para viver ao minuto, porque ela passa e é num segundo.
Por isso, COME ON!

 

 

12
Jan17

P.S. Obrigada

Carolina Cruz

obrigada!.png

 

 

Amar-te é agradecer sem palavras, é saber que todos os gestos são a forma mais sincera de te querer.
É querer sem limites abraçar o teu coração.
É partir e já sentir saudade. É sentir que essas mesmas saudades um dia partirão para sempre sem que seja eu que me tenha de me despedir de ti.
Amar-te é acreditar que o amanhã será melhor ainda. Que o vazio incompleto da minha cama te pertencerá, que o meu abraço dormirá todos os dias no teu colo. E ainda assim, sonhando com o futuro, o melhor presente está aqui mesmo a nosso lado – o nosso amor – aquele que me dá forças para acordar com um sorriso.
E ainda que as palavras não cheguem para agradecer realmente.
P.S. Obrigada!

 

 

 

 

 

03
Out16

Aproveita a vida

Carolina Cruz

11.jpg

 

Aproveita a vida, o amor, a amizade, as coisas simples que ela te poderá oferecer.
Uma tarde de sol, uma boa esplanada, um refresco.
Uma tarde de chuva, um cobertor, um filme.
O que envolve o mundo, o que te envolve, que te rodeia.
Tudo vale a pena, todos os momentos são marcantes e as memórias que ficam eternas se viveres como se não houvesse amanhã, como se todos os dias fossem de sol, sim precisam de ser, dentro de ti, só assim sorrirás sempre, só assim aprenderás a ser feliz.

13
Ago16

Murmúrio da saudade

Carolina Cruz

13.jpg

 

No silêncio da noite e na solidão do dia ouço o murmúrio da saudade, quebra-me aos pedacinhos mas faz-me feliz. Tanto quanto me dececiona, tempos idos que já não voltam e eu ainda traço o meu caminho tentando encontrar momentos iguais àqueles que arrastam magia e soluços de saudade.
O mar levou o sonho de voltar um dia a teus braços na terra daquele lugar, às tardes de areia salgada e noites de luar.
Quebra-se o tempo, ajeita-se o destino, vive-se como se não houvesse amanhã e sente-se, sente-se assim, como se não existisse um fim.

31
Jul16

Nunca estás sozinho.

Carolina Cruz

11.jpg

 

 

Quando acreditamos que algo possa ser verdade, sempre acreditamos e vamos à luta pela vitória.
A melhor forma é nunca baixar os braços, nunca desistir e seguir em frente… porque afinal, no final de tudo o importante é nunca desistir.
Acordar para a vida, é sonhar real, tornando as nossas concretizações num sonho e os sonhos realidade.
Só assim podemos ser quem somos e acreditar em nós próprios, naquilo que construímos todos os dias.
Mesmo que o amanhã tropece e nós caiamos, há sempre um braço que nos puxa, uma mão que nos agarra e…no fim da tua etapa tens sempre histórias para contar.
Vá a onde fores, tu, nunca estás sozinho.

27
Jun16

Sou eu e estou diferente.

Carolina Cruz

32.png

 

Recordo-me, sou eu e estou diferente. 
Vivi um passado, o amanhã é o mundo, mas isso agora não importa, porque o que conta é o presente! 
As memórias são como o ser humano talvez por isso o destino as construa. 
Algumas memórias só nos cumprimentam de vez em quando, algumas ignoramos, outras sabem tão bem recordar, que trazem consigo um baú cheio de histórias e quando partem deixam imensa saudade. 
Outras ainda achamos estranhas, como foi possível viver aquilo, sentir o que se sentiu. 
Se me perguntasse a mim mesma se voltava a fazer o mesmo, eu diria que sim, afinal, tudo tem uma razão de ser, o tempo é apenas invenção do nosso consciente, simplesmente porque tem que ser e não há volta a dar. 
Definimos tempo demais quando devíamos chamá-lo de dádiva, acho que é isso que falta em alguns seres humanos: a falta de uma dádiva, a falta de agarrar um presente. 
Vive-se preso ao passado, porquê se tudo fez parte? Porquê se tudo já acabou? Se não tivemos o tempo certo ele não volta. Que importa? Vamos hoje fazer diferente, melhorar o que foi bom e remediar o que se tornou mau, só assim conseguimos viver com os pés assentes na Terra, só assim podemos ser alguém que, simplesmente vive, de alma e coração. A mudança é precisa, nós temos de estar cá para aceitá-la.

.

26
Jun16

Um bom vivã

Carolina Cruz

18.jpg

 

Não podemos desconfiar demasiado da vida nem podemos ter demasiadas expectativas, sabemos que uma quanta parte delas saem furadas. A vida tem um limite, apenas a tua capacidade de viver e de lutar por ela não.

Um bom vivã rege-se pelas seguintes regras:
1. ver o passado como um tempo finito, "não quero que volte, não o quero mudar, quero apenas e só recorda-lo, isso faz-me feliz, faz-me crescer."
2. viver o dia de hoje aproveitando cada sorriso, cada lágrima profunda, cada palavra, cada sentimento, cada abraço forte como se o amanhã fosse uma miragem.
3. O futuro pode existir, essa miragem, está perto e quando ele necessita ser projectado e pensado então aí peguemos nele, quando ele implorar, necessitar ser explorado.

Nunca ninguém escreveu certo sobre o que irá fazer amanhã. Quem é a pessoa certa, perfeita que hoje diz "amanhã será assim, assim e assim." e é mesmo? Os planos mesmos que parecidos nunca são exactamente certos, na vida só a morte é certa.
Por isso desfruta do que tens a teus pés, da dádiva que possuis, respira e deixa-te levar pela janela do sorriso, pela brisa suave da alma, somente ela importa.

 

(Foto: filme "127 horas")

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D