Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

13
Jul18

[O teu olhar] Nunca te esquecerei

Carolina Cruz

36545541_469316760185165_8070220553929097216_n.jpg

 

Imploro ao teu coração que não pare. Eu sei que precisas de partir, que ele está fraco, que é um esforço tremendo ainda estares connosco. 
Eu sei que estou a ser pretensioso, egoísta, mas o que será do meu coração quando o teu deixar de bater?
Baterá com dor, com rancor a Deus, por te ter levado consigo. E bate, baterá como sempre, com uma enorme gratidão por te ter conhecido, por te ter pertencido. 
Obrigado, meu amor, por todo o amor que me deste, por todo o apoio que me deste quando só me apetecia chorar, obrigado por seres o meu eterno sorriso. 
Tenho a certeza que o céu ficará mais feliz, mais colorido, as estrelas brilharão com mais intensidade, porque estarás lá, a brilhar também, a mostrar a tua luta, a tua sabedoria, carregada de uma alegria que não deixa ninguém indiferente. 
Porta-te bem, meu amor. 
Serei sempre teu, sempre fiel.
Cuida de ti até ao dia em que poderei ser eu de novo a cuidar do teu coração.
Amo-te, meu amor. 
Nunca te esquecerei. 

_______________________________

Fotografia da autoria de Manu Pereira do blog:
https://existeumolhar.blogs.sapo.pt/

 

 
12
Jul18

Ficar.

Carolina Cruz

large (6).jpg

 

 
Gosto do teu cheiro a mar, do teu sabor salgado.
Leva-me pela corrente fora e deixa-me beijar-te o corpo, admirar-te como uma deusa e abraçar o teu coração.
Deixa-me ficar, porque ficar é a forma mais bonita de se amar.
Permanecermos ao lado de quem amamos mesmo quando o destino nos tenta virar as costas é a prova mais bonita de amor.
É acreditar que todos os dias esse sentimento vence e não apenas um Verão, não apenas enquanto somos jovens ou enquanto o prazer durar.
É ficar...
Ficar e ter prazer em olhar-te apenas, em chamar-te de minha namorada, dar-te a mão.
É acreditar mesmo em dias menos felizes, que melhores dias virão!
11
Jul18

[Cinema] Midnight Sun

Carolina Cruz

share-image-seed-5b1b05c1d2dd6.jpg

 

Mais uma leitura indispensável e um filme maravilhoso!
Baseado no livro com o mesmo nome (“Amar-te à meia-noite” em português), este filme tem um toque juvenil e divertido, enquanto se fala de algo bastante sério.
Kate sofre de XP, uma doença que a impede de estar exposta ao mais pequeno raio de sol, sofrendo queimaduras graves e consequências fatais.
Kate vive com o pai, viúvo, que dá a vida por ela, é um pai dedicado e com quem ela tem uma relação bastante próxima. Porém, ela tem um sonho, o mesmo sonho que a fez ultrapassar os anos a fio passados em casa – a música. E Charlie, o rapaz dos seus sonhos.
Tudo muda no dia em que terminam o secundário.
Convencendo o pai, Kate consegue ir tocar guitarra à noite para a estação de comboios, onde o destino cruza o seu caminho com o de Charlie. 
Um amor livre, juvenil, poderoso, que nasce entre os dois, o que nos prova que o amor e aquilo que sentimos é muito maior e mais importante que a nossa condição.
Uma história maravilhosa, de superação, amor e amizade.
Aconselho vivamente o filme, mas é claro, aconselho que leiam o livro primeiro!

 

 

 

27
Jun18

Vou sempre te amar!

Carolina Cruz

large (2).jpg

 

A chuva lá fora, a correr pelos beirais.
Fazes insónia no meu corpo com o teu sorriso.
A tempestade inquieta, o frio fora de época e o calor dos nossos corpos nus dentro destas quatro paredes.
Sorris e eu sorrio.
Delicias-me, neste gosto selvagem e intemporal que é estarmos juntos.
Que o nosso amor sempre floresça, mesmo em dias de chuva, porque é nesses dias que ele se sustenta. Não nos dias cinzentos lá fora, mas os da alma, nos dias em que esquecemos quem somos e deixamos que a tempestade nos envolva.
É com a mão no teu peito, admirando a tua nudez, que te imploro para que saibamos sempre ser o sol um do outro e que ele brilhe no nosso olhar
Adormeço no teu colo e agradeço este despertar constante. És a aurora dos meus dias. O meu acordar. 
E enquanto os meus olhos se fecham, dizes-me baixinho:
- Vou sempre te amar!

 

 

 

______________________________

 

Photo by Larissa in "we heart it"

23
Jun18

[Ficção] Serás sempre.

Carolina Cruz

NELSIEK.jpg

 

Eu sou uma merda!
Acredita que daria o mundo por ti. Esta vida e outra que vivesse, mas sempre que penso em defender-te, em ser o melhor para ti, o melhor para os dois ou para que algo entre nós resulte, sai-me sempre tudo ao lado e faço mais asneiras do que, na verdade, te merecer.
Sou um falhado e falho tantas e tantas vezes contigo, que é isso mesmo: não te mereço.
Porém, o facto de dizer que não te mereço, não significa que não te ame profundamente, que não goste de ti verdadeiramente, simplesmente faço tudo errado.
Eu amo-te, tanto, só quero que entendas isso, e embora eu seja uma besta quadrada que não sabe nada sobre o amor ou relações humanas, amo-te como nunca julguei amar alguém e por saber disso te deixo ir, deixo que partas da minha vida, por saber que serás mais feliz sem mim e sem os meus erros.
E agradeço-te profundamente por ver nos teus olhos a compreensão e o amor que nunca esquecerei. Um dia quem sabe, se tudo não se irá resolver e, quem sabe aí ainda poderei amar-te por completo. Se isso não acontecer, só desejo que encontres alguém que respeite a mulher fenomenal que és, que te ame como a mulher da sua vida, porque eu sei que, apesar de tudo, serás sempre a mulher da minha.

______________________________________

Photo by Nelsiek in "we heart it"

22
Jun18

[Ficção] Memórias que trago comigo

Carolina Cruz

large.jpg

 

Gosto de me sentar contigo, no pequeno muro do telhado. Dizem que é sob as estrelas que os sonhos se concretizam, por isso cá estou eu. Aqui, sentado, sei que algures nesse longínquo lugar me conheces e todo o universo conspira sobre este amor que vai além-fronteiras, além da terra e do presente. 
Como é possível sentir-te aqui? Tão terra a terra, tão bonita, brilhante, presente. Este sentimento que não cessa, que nos mantém jovem e eternos, como quando dávamos as mãos e corríamos pelas avenidas com uma só canção, a de um para sempre com um sorriso. 
São essas memórias que trago comigo e são essas memórias que correm nas minhas lágrimas sempre que te abraço daqui. 
Partiste, mas em cada pedaço de céu, eu vejo o teu olhar e em cada gesto meu, eu tenho coragem de te abraçar, porque sempre fomos assim – terra e céu, areia e mar – por mais tempo e distância que passe, eu não sei não te amar. 

____________________________

Fonte da fotografia: "we heart it"

20
Jun18

Nos seus olhos

Carolina Cruz

28166321_10156745725848273_7899979473059081356_n.j

 

Olho nos seus olhos e só vejo amor. E quando ele me olha tão ternamente e feliz, eu sorrio cheia de gratidão pela imensidão do que sentimos neste mundo tão pequeno, que parece desacreditar num amor para sempre. Mas eu, com ele, eu posso sonhar, eu acredito nessa eternidade. 
Fecho os olhos e vejo-o meu marido, pai dos meus filhos, a envelhecer a meu lado, a ser avô dos meus netos, a viver a juventude do nosso amor até sermos velhinhos.
Eu sei que é demasiado cliché, há quem possa chamar tudo isto de piroso, mas não importa. Foi com ele que aprendi a ser lamechas e de dia para dia essa lamechice e esse amor aumentam e é tão bom vê-lo crescer connosco, sem nunca esmorecer.
É tão bom viver um sonho acordada, abrir os olhos todos os dias e poder agradecer tudo o que com ele vivo. 
O nosso amor é bom demais e melhor que isso: é verdade!

 

 

________________

Fotografia de "This is Us"

11
Jun18

[Ficção] Sonhar-te

Carolina Cruz

solidao.jpg

 

Feriste o meu peito. 
Fizeste um rasgo, de um lado ao outro, que não estanca, que não para de sangrar.
Há coisas que nem o tempo consegue curar. 
Vem-me à memória todas aquelas frases bonitas que dizias e todo o calor do teu corpo sobre o meu, palavras fantásticas, esperançosas e momentos eternos que não passaram de uma mentira. 
Hoje ainda me lembro de nós, hoje ainda queria viver-nos, viver essa mentira, porque o conforto da tua pele, o cheiro de todas as coisas, valia a pena, mesmo que fosse um sonho onde sabia que acordaria, um sonho que antecedia a um pesadelo.
Agora dorme comigo a saudade, acorda comigo a ansiedade de ter de passar mais um dia, sem ti. 
Não podias demorar mais um pouco? Não podias colar um pouco desta amargura que me invade? 
Só te quero a ti, por mais que doa. Só te quero a ti no meu abraço, por mais que tudo pese. Só tu consegues fechar este buraco no meu peito e só tu conseguirias curar o que o tempo não cura.
Vens? Eu sei que não. 
Por isso, ficarei aqui, a sonhar-te.

 

 
03
Jun18

[O teu olhar] Momento perfeito

Carolina Cruz

A noite cai. A lua sobe. O frio chega. Mas essa tua beleza não esmorece.
As luzes da aldeia acendem, queria desligá-las para poder olhar-te somente sobre as estrelas, seriamos no escuro um segredo bonito.
Aqui debaixo de todas as luzes que fazem deste lugar poesia, és tu quem brilha mais e isso faz-me acreditar que no escuro me guiarás.
Olho à minha volta e este é o lugar perfeito para iluminar o nosso amor, não o quero escondido, quero gritar ao mundo tudo o que sinto por ti. Que toda a vila ouça que aqui na serra à noite se fez dia!
Ajoelho-me e pergunto-te: «Casas comigo?»
Fecho os olhos, ouço-te sorrir. 
Abraças-me e aceitas a vida a meu lado para sempre.
Perco a rede e o juízo, as luzes sobem e os sonhos... Ai, os sonhos! São reais!

 

2. Andre.jpg

 

______________________________________

 

Fotografia da autoria de André Veiga 

30
Mai18

[Ficção] Pedi tempo e perdi...

Carolina Cruz

 

large.jpg

 

Pedi tempo ao tempo. Perdi dias, meses, anos até, a confiar-te o meu amor, faltou-me a coragem de dizer-te o que sentia com medo de ser rejeitada. E agora? Agora é tarde demais, não há volta a dar, não há amanhã, não há dia, não há vida em ti. 
Só existe raiva em tudo o que sou. O medo foi-se contigo, o arrependimento dói demais.
Eras o meu melhor amigo e perder a tua amizade era como morrer, perder um pouco do que sou, esse mesmo pedaço da minha essência que partiu contigo. 
Eras tanto de mim, tanto para mim, e embora não soubesse tudo sobre ti, percebi que estavas apaixonado, que havia alguém a fazer bombear o teu coração. Como não percebi que era eu?
Foi preciso partires para ouvir a tua mãe dizer que eu era a menina dos teus olhos, que em ti havia muito mais que um carinho de amigo, havia em ti vontade de mais e medo, também medo. Medo de amar.
E esse amor por mim foi contigo sem se unir com o meu. 
Pergunto-me porque é que o tempo me ensinou da pior forma que não devemos perder tempo, nem dar tempo e coragem ao medo? Que devemos dizer aos outros o que sentimos porque não sabemos o amanhã?
Hoje permanece em mim a tristeza e a esperança que um dia te possa abraçar dizendo-te que nenhuma pessoa que habitou a minha vida teve nem metado do teu significado para mim.
Desculpa só dizer-te agora.
Mas, eu amo-te, amo-te tanto.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D