Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

12
Mar18

A Coimbra.

Carolina Cruz

Ao passado que eu sei que não volta. 
Ao passado que traz nostalgia e milhares de histórias para contar. 
Fecho os olhos e estou de novo nos braços de uma cidade que me abraça diariamente, mas que tem o maior encantamento na capa negra traçada e no calor de um sorriso de estudante. 
Recuso-me a acreditar que todas as memórias morreram, se de lá trago o melhor do mundo, pessoas que ainda abraçam a minha vida e a minha alma. 
De Coimbra, de ser estudante, trago o mundo! Vive no meu sangue, toca-me na alma estes anos em que fui o melhor de mim, onde a persistência me ensinou a agarrar o dia. 
Bem dizem que o sol de Coimbra é diferente de todos os outros, é verdade, brilha com certeza, ilumina-nos o pensamento e é sabedor da consciência e da saudade que é abraçar esta cidade que nos é para sempre a eternidade da nossa existência e juventude.
Um brinde à esperança de cada dia novo, de se viver inteiramente.

sé-velha.jpg

 


(Fotografia de Notícias de Coimbra)

28
Jan18

[Por aí] Os Quatro e Meia e convidados no Convento de S. Francisco

Carolina Cruz

26815048_891899024314400_7410288690949543338_n.jpg

 

[Fotografia de Paulo Bico]

 

Bilhetes comprados há já tanto tempo para a primeira data (dia 26 de janeiro), mais duas datas extra e três salas esgotadas com mérito merecido!
Finalmente chegou o tão esperado dia de ver ao vivo esta malta que tanto admiro: Os Quatro e Meia. 
Descrevem-se como "A música portuguesa com uma nova roupagem" e eu não podia estar mais de acordo. 
Simplicidade, talento e alegria é o que os definem. 
Uma banda coimbrense que começou com uma brincadeira e que brincadeira tão bem conseguida, como disse João Gil: "Coimbra está muito bem representada". Sim! A minha maravilhosa Coimbra está, de facto, maravilhosamente bem representada.
Se eu já tinha orgulho e admiração por esta excelente música, na passada sexta-feira, dia 26, tive a prova mais que provada de que esta malta faz isto de alma e coração e de forma inexplicável!
A sonoridade dos instrumentos, a qualidade vocal dos elementos, o talento mais uma vez inquestionável e a simpatia e piadas que nos presentearam naquele que foi um serão maravilhoso, deixou-nos (pelo menos a mim) a fazer "chorinho" por mais!
Em palco fizeram-se acompanhar por convidados igualmente de excelência: João Gil, Miguel Araújo, João Só e Tiago Nacarato. 
Foi brilhante, ter estes músicos em palco num só dia!
Como se aguenta um momento destes sem deixar marcas para sempre e um desejo de querer mais? 
Têm um "sim para regressar" porque quando assim for, eu lá estarei!
Como dizia um cartaz na plateia "com música desta somos felizes" e é verdade!
Obrigada por nos presenciarem com o vosso talento!

 

Quem não conhece "Os Quatro e Meia", tratem já disso:

 

08
Jul17

[Por aí] Salvador Sobral no Convento de S. Francisco

Carolina Cruz

mw-320.jpg

 

Salvador Sobral tem uma voz inquietante e um talento inquestionável.
Sobral é uma alma revolucionária e isso tem vindo a fazer dele um alvo de críticas positivas e menos positivas.
Creio que Salvador está mais importado em viver aquilo que mais ama fazer, do que agradar a todos. É verdade que ninguém consegue fazê-lo, porque teria uma figura pública de consegui-lo?
Não se considerando uma, Salvador vive com intensidade a música e isso é visível, ele diverte-se à brava com o que faz e isso, na minha humilde opinião, é o mais importante. Afastando-se das máquinas tecnológicas e pedindo ao público para em vez de usá-las, usufruir do seu trabalho e do puro jazz, leva esse mesmo público a apaixonar-se por cada nota musical que, de outra forma, talvez não tivesse tanta atenção.
Com piadas próprias que não são do gosto de toda a gente, Salvador troca tudo o que pode ser mau na sua vida pela coragem de rir e que coragem é preciso ter!
Mas como esta publicação não é para falar do seu coração que sabemos que é fraco digo metaforicamente, mas de forma verdadeira, que é poderosamente forte no que toca à música.
A música é a sua força e isso torna tudo transcende, mágico, inexplicável, ouvir Salvador Sobral ao vivo é como entrar noutra dimensão, é um explodir de sentimentos, apertar o peito, respirar fundo, agradecer e querer mais e mais.
Salvador Sobral faz-se acompanhar por uma banda incrivelmente talentosa, composta por Júlio Resende (piano), André Rosinha (contrabaixo) e Bruno Pedroso (bateria). Uma equipa unida, uma família que faz de quem os vê e escuta um grupo de amigos, como se estivéssemos em sua casa ou num bar bem simpático e acolhedor.
Humildemente Sobral sai muitas vezes para a penumbra para deixar os seus colegas brilharem, como se também ele se colocasse na plateia. O orgulho que ele tem em quem o acompanha é enorme e visível.
Um pianista que é um talento incrível, um contrabaixo doce e uma bateria tocante, uma voz arrepiante que brincam seriamente com o verdadeiro jazz. Aqui, há música pura, sem rodeios, sem questões, sem arranjos.19970629_1614215851923247_765967326_n.jpg
Merecem salas esgotadas, merecem aplausos, merecem sucesso e quando falo em sucesso, falo do intemporal, do que marca para sempre, não do momentâneo, porque o que se faz não é apenas com o corpo, é com tudo, porque como diz uma das novas músicas do cantor e que tão bem o define: “No corpo e na alma estava o coração”, o mesmo coração que bate inteiramente por esta arte.

Tive o prazer de presenciar tudo isto, no passado dia 6 de julho, em Coimbra, no Convento de S. Francisco e agradeço por isso.

 

 

11
Jan17

[O teu olhar] Coimbra e teus amores

Carolina Cruz

Joana Veríssimo.jpg

 (Fotografia da autoria de Joana Veríssimo)

 

Oh Coimbra, minha cidade eterna, quantas vezes, sem cessar, escrevo para ti.
Zeca Afonso disse que em ti o amor não durava e lamento confirmar-te de que ele tem razão. O karma veio ao meu sangue de estudante e pintou a realidade da letra na minha pele.
Eu fiquei somente, sozinha, em plena solidão, nos teus braços, Coimbra. Quando o que eu queria era amá-lo por completo, por toda a minha vida, todos os dias, até sermos velhinhos.
Será que é impossível? Porque é que tenho de te escrever a implorar esse amor de Inês, sem que seja trágico? Esse amor-perfeito, tão certo e saboroso.
Posso pedir-lhe para voltar às margens do teu mondego? Para que eu posso dizer o que me invade a alma e quanto ela dói na sua ausência? Posso? Não sejas a sepultura de um coração partido e ajuda-me a recordar-te sempre com um sorriso, pois eu nunca quero voltar a onde nunca fui feliz e eu quero voltar, Coimbra.

 

 

 

12
Nov16

[O teu olhar] Coimbra dos amores

Carolina Cruz

Ana Rafael.jpg

 

Amores (im)perfeitos, esquecidos, mas lembrados todos os dias como uma memória da nossa juventude inquieta.
Lembro de todas as horas desse amor incomum que só lágrimas me trazia ao invés de me fazer sorrir pois envolvia-se continuamente em saudade e ainda não tinha terminado.
Fecho os olhos e lembro a despedida, igualmente embebida em choro, tremendamente feliz e feita de agonia, já tinha nostalgia e ainda não tinha partido dos teus braços fortes que cuidavam de mim, de todas histórias escritas no enredo da vida, aquele que conta o que em mim sempre permanecerá – teu sorriso, teu encanto.
Tua cidade pintada de infinito, de lágrimas e alegrias que eternizam o que fomos juntos, Coimbra.

 

 

Fantástica fotografia da autoria de Ana Rafael. :)

13
Out16

Vida de estudante

Carolina Cruz

14.jpeg

 

Aproveita a melhor parte da tua vida: ser estudante. Ri demais, bebe o quanto te faça feliz mas não a ponto de te tornar um idiota, partilha e faz história.
Chora com a capa traçada, grita pelo que te motiva e vai em frente.
Vais ver mais tarde o porquê de dizerem que são os melhores anos da tua vida. Na verdade, serão aqueles que te trarão mais saudade, uma maior nostalgia, porque são tempos que vives por intuição, parece que vês tudo com o coração com o objetivo de deixar lembrança para todo o sempre.
Os que trazes contigo nunca os esquecerás, partilham contigo o maior segredo, seu nome: Coimbra.

16
Ago16

Coimbra dos doutores

Carolina Cruz

7.jpg

 

Coimbra dos doutores que cantarolam de capa negra traçada.
De Coimbra trago saudade e do tempo que deixo chovem lágrimas de lembrança, de quem passa e de quem vive como criança.
Não acredito que exista mais bela cidade que Coimbra, que alimenta sonhos e reconhece verdades daquilo que somos e daquilo que fomos que em nós fica.
Há em mim a maior certeza, levo-te num aconchego contra o meu peito numa despedida chorosa, são momentos que ficam, amizades de príncipezinho e sua rosa.
Dos maus momentos também se faz lembrança, o que outrora me fez chorar, hoje nasce em esperança.
A esperança de que Coimbra nos faça merecer seu nome de capital do milagre e do sonho e que torne nossa vida, rosas da Rainha Santa, cantigas de embalar e muitos brindes à vida para se festejar.

 

20
Mai16

Chorei por ti, Coimbra.

Carolina Cruz

14.jpg

 

 

 

Às vezes lembro-me de tudo o que vivi ou até do que deixei por fazer. 
É tudo um pedaço de mim e da minha história que contei de capa negra traçada ao vento. 
Há memórias que ficam e que voltam na essência de um amor fiel que se eterniza na lágrima que chorei por ti, Coimbra, e do sorriso que trago comigo e os amigos com quem sempre ficará a lembrança que se escreve e se diz ser saudade!

21
Dez15

Coimbra dorme comigo

Carolina Cruz

Coimbra dorme comigo em segredo, deita-se de mansinho e quebra a luz com imensa saudade.
Foram manhãs que se perderam em busca de viagens e sonhos.
Brindes e copos cheios que tremem e vibram com esperança que todos os desejos, em nós, sejam cumpridos. Que a distância jamais nos afaste da alegria de estarmos juntos, que aprendemos a construir e dos laços que se amarraram e perderam o fim.
Somos feitos da mesma essência, da mesma geração, quanto eu já tenho saudades, de coração.

16.jpg

 

 

09
Mai15

Saudades de Coimbra

Carolina Cruz

9889_155571787983388_1376063165_n.jpgEncontros de barulho. Coimbra é a cidade de encanto, temo tanto a sua despedida!
Vagueio pelos recantos que fiz da rua céu, de cada balada um sonho e de cada lágrima a eternidade.
De cada copo fiz um brinde ao meu futuro e de cada amigo, eterno. Para cada momento um pedaço de história, uma nova etapa da minha vida que é um livro cheio de palavra que guardarei para sempre.
Coimbra será sempre uma lição. Meu coração canta baixinho na fervura do luar, esperando o sol raiar.
Envolvo-me no traçar da capa e choro de alegria, em cada instante há sempre tempo para se ser feliz, para dar vida a um sonho antigo que queira viver.
Existirá para sempre comigo o sorriso de estudante gravado na memória da que será para sempre, a cidade de encanto: Coimbra.

 

Hoje bateu a temida saudade!
Fotografia da minha autoria :)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D