Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

07
Abr18

[Ficção] Viver no teu olhar.

Carolina Cruz

Aninho-me sobre o teu peito. Deixo-me escorregar pelo teu regaço. Apodero-me da dor e do conforto. Escorre-me sangue nas entranhas, sangro só de pensar neste amor que por mim tens, nessa tua forma cega como tentas colar cada pedaço do meu coração partido. 
Como podes amar-me assim? Mesmo quando no meu desejo mora outra mulher?
Ao pé da tua grandeza, sinto-me pequenino. Sim, mesmo com este tamanho de homem seguro, desfaço-me perante o teu amor.
Os teus olhos conseguem conter todos os sonhos e o mundo inteiro. Aos poucos o meu mundo também vai desbravando vontades, neste sentir tão plenamente. E acredito, acredito solenemente, que poderei ver no teu coração o meu caminho, o que preciso para ser feliz.
Gostava de acreditar nisso, gostava mesmo...
Contigo sinto-me bem, contigo estou em paz, sinto-me, sou inteiro, mesmo que ainda desfeito.
Eu acredito. 
Quero acreditar que nos teus olhos eu receberei o mundo.
Por favor, ama-me para sempre.
Nunca desistas de amar. 
Não sei o que sinto, mas estou aqui.
Ama-me, que eu quero amar-te de volta.
Espera. Que eu esperarei a vida inteira, para viver no teu olhar.

 

large.jpg

Foto by Evelyn in "We heart it"

19
Set17

[O teu olhar] Não me condenem

Carolina Cruz

Manu pereira.JPG

 

Sento-me e sinto-me em paz. 
Não há nada que mais me acalme que a natureza, o seu verde, o seu ar puro, a sua sensatez. 
Ouço os pássaros cantar, os alfaiates a salpicar na água, a aurora a nascer, o dia a anoitecer, e ainda assim, por mais que todos os dias terminassem, eu permanecia aqui, com uma inquietude no peito, uma sensação maravilhosa que é estar de bem comigo, de bem com o mundo. 
Ler torna-nos assim, mais calmos, mais tolerantes a aceitar o que nos rodeia, a mimar a natureza, a amá-la, a compreender os outros, a amarmo-nos a nós mesmos, a viajarmos dentro de nós próprios.
Podemos ir a qualquer lugar sem sair de onde estamos, conhecemos novas personagens, novas histórias de ficção que semelhantes ou não à nossa própria vida, nos dão outro alento, outra esperança, um novo acreditar.
Não sou anti-social ou snob, nada disso, gosto de preservar o que me faz melhor, o conforto de um livro é tudo o que desejo para relaxar e então num banco de jardim, sinto-me completa.
Não me condenem, experimentem fazê-lo.

 

(Fotografia da autoria da Manu, uma fotografa que nos toca com o seu olhar em "Existe um olhar")

14
Mai17

Tu bastas-me.

Carolina Cruz

751449a99dfbcb62c1bf2ddba41608cc.jpg

 

Pipocas (um balde cheio), uma série e milhares de sorrisos. Basta-me.
Tu bastas-me.
O teu carinho, o teu conforto, o teu sorriso e o teu amor.
Esse amor que não cessa, esse amor que se constrói a cada dia.
Por isso, no calor da noite, eu só quero que me aconchegues.
Contigo, posso até virar rotina, desde que os nossos beijos sejam sempre iguais, cheios de pedaços gigantes de cumplicidade.
Contigo, tu e eu, para sempre. Até sermos velhinhos.
Tu e a bola, eu e um livro. Mas no fim da noite, ai o fim da noite!
Pipocas (um balde cheio), uma série e milhares de sorrisos!
O que vier depois disso será segredo, será nosso, será amor. Amor para viver, não para mostrar ao mundo. Eu e tu, para sempre. Até sermos velhinhos. Até não conseguirmos amar mais, porque os braços cessam e porque o corpo pesa.
Virá a morte, mas não o esquecimento. Virá a morte, mas não o término. Porque este “para sempre”, vai muito além da eternidade.
Eu e tu, para sempre. Basta-me.

 

 

 

02
Dez16

[Simplicidades da vida] Dias de tempestade

Carolina Cruz

18.jpg

 

A chuva lá fora que bate forte nos vidros, parece refrescar-me ao mesmo tempo que me aqueço sob os cobertores quentes a ver um filme.
Adoro estes dias de tempestade que parecem acalmar o meu ser, enchendo-me de puro conforto.
É realmente feliz quem diz que dias de sol e de chuva são ambos especiais à sua maneira, porque sabe a verdade e conhece cada pequeno prazer da vida.

28
Nov16

Pudesse o mundo ser feito de amor.

Carolina Cruz

o amor pode ser tudo.jpg

 

Realmente o amor pode ser tudo, liberta-nos de tudo o que possa causar desconforto. No entanto, também pode ser dor, chatear, fazer ciúmes, fazer sentir que a vida está nas nossas mãos.
Na verdade o amor pode ser tantas outras coisas de tão variadas maneiras e com tão variadas pessoas: pais, amigos, companheiros, avós ou até, incrivelmente, por alguém que nem conheces mas querias conhecer.
O que sentes quando dás um abraço apertado? É conforto, é amor que grita baixinho, escondido. A amizade é amor. Quanto não sabe bem abraçar a nossa mãe que nos conforta quando o amor é a palavra dor? Dá-nos amor que compensa, que se conserva pela eternidade, é amor imortal, ou pelo menos devia sê-lo. Existem amores que não o são e trocam-nos as voltas ao destino e vestem a pele de qualquer outro sentimento até outro chegar.
Amar é ser-se fiel, leal, seja com quem for. O amor que sentimos pelo namorado é aquele que nos faz sonhar, que nos faz agarrar a vida e lutar por um futuro a seu lado.
Amar um irmão é ter medo de crescer e ao mesmo tempo ter o sonho de acompanhar uma vida construindo a sua.
Amar os amigos é dizer-se arriscado, procurando todos os dias a aventura de ser capaz de ser um ser próprio e viver partilhando.
Amar os avós é partilhar histórias e conviver com respeito assim como amar os nossos pais é saber que também já tiveram a nossa idade.
O amor é tanta coisa mas a verdade é que nos une, se o mundo se construísse nesta base os sorrisos eram bem maiores.
Pudesse o mundo ser feito de amor. 

24
Out16

Nosso futuro (comum)

Carolina Cruz

0.png

 

A tua fala acalenta-me e acalma-me sempre que o meu mundo parece cair sob o fim.
Não preciso de mais nada senão de um abraço e de um beijo teus para aquecer todas as expectativas que tenho para o meu futuro, que parece cada vez mais impossível de se acreditar.
Despontaste em mim um ser mais forte, que sabe falar quando quer mas que ainda deixa soltar as lágrimas triste de não estar certa, mas tudo tem sentido, que ao teu lado tem um valor ainda maior.
Amadurecemos juntos e juntos construímos o nosso futuro (comum).

 

 

 

Fotografia do filme "If I stay"

30
Set16

Dança(mos) ao luar.

Carolina Cruz

52.jpg

 

Dançamos ao luar. Sei que esta dança jamais terá um fim.
Olho os teus olhos e o teu sorriso nasce tão radiante quanto o sol de manhã.
Sei que me amas muito mais que tanto, o teu olhar expressa-o, reflete-se e une-se ao meu.
Somos metades que o luar uniu num mar infinito de verdades e certezas!
Ama-me, supera-me e sê feliz comigo, e então eu encontrarei para sempre o conforto para a minha felicidade, onde viverá também a tua. A nossa felicidade.

 

[Fotografia do filme "O diário da nossa paixão"]

27
Set16

Enamora-me

Carolina Cruz

46.jpg

 

Deixa a minha alma pendurada nessa almofada, meu amor. Enamora-me, enrolando-me de beijos e certezas.
Tudo o que mais quero é deitar-me nos teus braços e perder-me no teu olhar com se nada existisse, esqueço a tempestade que se agita lá fora e abraço-te ao quentinho. 
Deixa-me apenas aqui que o meu mundo cabe no teu olhar, pois atravessa tudo o que vejo através do meu amar.

02
Set16

[Ficção] Obrigada.

Carolina Cruz

1.jpg

 

Obrigada por despertares de novo o amor que desconhecia ainda me invadir, por fazeres palpitar o meu coração no exato momento em que mergulhava na penumbra. 
Obrigada por me aceitares com todas as feridas por fechar, com os pedaços partidos da minha existência. 
Tu uniste-os com esse teu doce olhar e com o teu jeito protetor eu presenciei algo que desconhecia: a fé. Não em Deus, mas na vida, no amor. 
Obrigada por aceitares que ainda sou pela metade, que o meu coração nunca será todo teu por completo. Prometo, apertando-te a mão que serei a melhor namorada do mundo, dar-te-ei este mundo e o outro, porque tu mereces toda a minha eternidade, essa que me trouxe de novo para a vida.
Obrigada é pouco, por isso um amo-te basta.

 

Foto: Filme "I love, rosie"

24
Jun16

Longe do mundo lá fora

Carolina Cruz

12.jpg

 

Longe do mundo lá fora, aqui dentro o mundo é azul. Não digo que pinto as cores do arco-íris porque nada é perfeito, tudo tem o seu senão, mas tudo tem o seu porquê.
Ouve: o sentimento azul que permanece cá dentro tranquiliza, traz-me para outra dimensão completamente diferente daquela que conheço.
Transformas-te o mundo lá fora cá dentro, mas de forma livre, tens a capacidade de criar coragem na tempestade e isso conforta-me.
Daquele dia adiante a minha vida tomou um rumo diferente, o tempo, o pouco tempo parou e hoje fez-me ver como me sinto grata por viver e poder fazê-lo a teu lado, nesse mundo azul.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D