Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

19
Set17

[O teu olhar] Não me condenem

Carolina Cruz

Manu pereira.JPG

 

Sento-me e sinto-me em paz. 
Não há nada que mais me acalme que a natureza, o seu verde, o seu ar puro, a sua sensatez. 
Ouço os pássaros cantar, os alfaiates a salpicar na água, a aurora a nascer, o dia a anoitecer, e ainda assim, por mais que todos os dias terminassem, eu permanecia aqui, com uma inquietude no peito, uma sensação maravilhosa que é estar de bem comigo, de bem com o mundo. 
Ler torna-nos assim, mais calmos, mais tolerantes a aceitar o que nos rodeia, a mimar a natureza, a amá-la, a compreender os outros, a amarmo-nos a nós mesmos, a viajarmos dentro de nós próprios.
Podemos ir a qualquer lugar sem sair de onde estamos, conhecemos novas personagens, novas histórias de ficção que semelhantes ou não à nossa própria vida, nos dão outro alento, outra esperança, um novo acreditar.
Não sou anti-social ou snob, nada disso, gosto de preservar o que me faz melhor, o conforto de um livro é tudo o que desejo para relaxar e então num banco de jardim, sinto-me completa.
Não me condenem, experimentem fazê-lo.

 

(Fotografia da autoria da Manu, uma fotografa que nos toca com o seu olhar em "Existe um olhar")

18
Mar17

[O teu olhar] Não vou desistir

Carolina Cruz

28. Carla Santos.jpg

 

Este é o meu percurso, o meu caminho. Não vou desistir porque sim, porque queres, ou porque o meu corpo se emaranha em cansaço. Não, não faz parte da minha pessoa. Muitos dizem que somos o que a alma nos transporta, que é a alma que nos move, junto dos nossos sonhos e eu concordo, e este… este é o meu sonho.
A minha vida é uma intensa corrida, um agarrar de sorrisos, um respirar de ar puro, sobre a serra, porque o meu coração ama tudo o que o faz bater, porque eu não vivo nem quero viver um dia sim e outro dia não, não fui feita para viver em vão.
Não, não penses, não me julgues, eu não vou parar, eu sou a força estampada no meu sorriso e na minha forma de ser. Os meus sonhos são o que sou, e eu sou livre.
Sinto a liberdade sob meus pés e o desejo de não parar faz-me sentir que a vida embora finita é uma enorme lembrança e continuidade, e se os sonhos se tornarem realidade, a tua jornada será eterna.

 

[Fotografia da autoria de Carla Santos]

 

 

 

26
Fev17

[O teu olhar] Minha Terra bonita!

Carolina Cruz

15284150_624303781110184_2920851444630506117_n.jpg

 

Minha terra bonita. Meu respirar fundo. Minha natureza envolvida na certeza de que quando parto, o meu desejo é voltar, e te abraçar para todo o sempre.
Não há vila, como tu, com todo o teu esplendor, que da tua simplicidade te tornaste rainha. Que pela tua serra e encantos te tornas um paraíso de alegria.
Tu sabes e eu sinto que te pertenço, de sangue e coração, nasci no teu ventre e renasço a cada dia em que te vivo.
“Terra de emoções” dizem que és. Eu concordo, pois fazes acontecer, por mérito próprio, pela Terra que constróis, pelas aldeias com que recebes esta gente.
Esta gente, que te mantém, de alma feliz, aquela que te constrói, que de dia para dia, te faz e te torna no lugar (ainda) melhor.
Minha Lousã, de mil encantos.
Somos, por ti, toda uma canção, de que é bom viver aqui e que aqui vivemos de coração.
 
 
 
 
 
(fotografia da autoria de um grande fotógrafo da minha vila, que é meu primo. Visitem a sua página e confirmem este seu talento tão grande: Pedro Sequeira Photography)
 

 (música também da minha terra, cantada por Ramiro Simões)

 

22
Fev17

[O teu olhar] Agradece à natureza

Carolina Cruz

IMG_2265.JPG

 

Eu gosto de perguntar muitas vezes. Juro que gosto de me questionar porque é que o ser humano não poupa a natureza? E é nestes momentos em que me sento e me sinto só eu e o mundo, que penso que perdemos tanto por fazê-lo. Muito mais que julgar que ganhamos, nós sabemos que estamos a perder.
E por isso não ganhamos nada, rigorosamente nada. Estamos a perder a nossa dignidade, o nosso ar puro, a nossa vida.
Os que muito têm, na verdade não têm nada, porque a vida é muito mais que um bolso cheio, é poder sentar-se aqui, ter tempo para respirar e agradecer à natureza pelo seu ar puro, quando o faço sinto que não necessito de nada, que tenho tudo. Agradeço.
Agradecer faz tão bem, sinto que muitas pessoas não o fazem, resignam-se à sua mestria, à sua rotina, àquilo que acham que têm de melhor, que é melhor do que o dos outros.
Sou da opinião, que se a maioria da gente a quem o coração bate, agradecesse, o mundo tornar-se-ia um lugar melhor, as pessoas aprendiam a agradecer o que têm, sem depender do dinheiro que lhes pagam ou lhes devem, seriam mais calmas, mais generosas, e mais pacificas como ensina a natureza, porque se ela se enfurece foi porque o homem não foi de todo simpático para com ela.
Por isso, senta-te, inspira, expira, agradece pelo que tens, à simplicidade da tua natureza e sê feliz, depois o amor nasce, a amizade cresce, e o teu ego também.
É tão simples não é? Agradece.

 

(Fotografia da autoria de Daniela Marinho, autora inspiradora do blog fantástico - "Not my cup of tea")

 

 

21
Jan17

[O teu olhar] Paz de espírito

Carolina Cruz

Tudo o que eu quero neste momento é paz, paz de um lugar tranquilo. Sinceramente não necessito de mais nada, valores materiais, beleza exterior, ou apetite. Apetece-me sim, deitar-me sobre toda a minha paz e dizer-me de consciência tranquila.
Pergunto-me porque é que o ser humano deseja tantas coisas quando o que devia desejar era o bem da sua mãe natureza, porque assim era desejar também o bem a si próprio, não é verdade?
Deito-me sobre a minha paz, porque neste mundo cruel e egoísta onde vivo, eu posso crer na minha consciência tranquila. Não sou mais nem menos humilde por pensar assim, apenas creio que há algo que posso dar ao sonhar, ao escrever, ao deitar-me sobre a natureza, respeitando-a, respirando-a.
Apesar de todas as coisas más que existem, eu ainda acredito que o melhor ainda está por vir. Se posso estar a ser inocente? Talvez, mas sonhar nunca fez mal a ninguém, desde que não caia sobre a brisa que me anoitece. Eu sei que nem tudo é belo no mundo, por isso é que me deito aqui, porque ainda há algo que me faz acordar todos os dias e desejar esta paz: o (bom) coração de alguém.

Daniela Coelho.jpg

 

(Fotografia da autoria da Daniela Coelho, do blog "Once upon Time")

30
Dez16

[O teu olhar] A minha paz

Carolina Cruz

20. Catarina Cruz.jpg

 

Aqui nasce a minha paz, a minha certeza de que tudo o que sonhamos pode acontecer se lutarmos por isso. Aqui reflito sobre tudo o que preciso para ser feliz e na verdade não é preciso muito, preciso de encontrar apenas aquilo que me completa.
Aqui a natureza tem lugar, brilha em efeitos de cor, é uma magia total, os passarinhos cantam, as flores renascem, quem lutou descansa por fim em paz, com um sonho construído, com um segredo contado baixinho para alimentar o que o mundo tem de melhor.
Aqui não preciso de máscaras, de make up, de ser bonita para mim, de ser bonita para o mundo, preciso de um bom livro, de um bom aconchego, de amor, amor puro que só o rio traz consigo junto das mais belas recordações da minha vida.

 

Fotografia da autoria de Catarina Cruz (a minha irmã!)

29
Nov16

[O teu olhar] Será que és capaz?

Carolina Cruz

André Carvalho.jpg

 

Pus as tristezas de lado, decidi começar a correr, tornou-se paixão, amor, dependência, energia para sobreviver.
A correr visto a capa e torno-me o herói que sempre sonhei ser em pequeno.
Olho a paisagem. Aprendi a gostar das pequenas coisas da vida, contentando-me com toda a sua beleza. Isso basta-me.
Como a natureza é bonita, sinto-me parte dela, sinto-me de cara lavada, de alma leve. Agradeço a Deus por mais uma vitória, e se não for o caso, agradeço mais uma luta que me levou mais além.
Não quero parar, se parar morro, quero ir até ao fim do meu fim, este ainda não é o meu limite, não é a minha meta, a verdadeira meta não me interessa se for apenas para atravessar, eu quero ver nela um ideal.
Este é o meu sonho e sendo assim ninguém me pode parar, se quiseres fazê-lo só tens de me conseguir apanhar, será que és capaz?

 

 

 

[fotografia da autoria de André Carvalho]

16
Nov16

[Cinema] Away & Back

Carolina Cruz

away-and-back-2015-tv-movie-poster.jpg

 

A natureza é uma canção encantadora, tem magia que só o ser humano de alma limpa pode ver e acreditar na sua beleza.
“Away & Back” (“A mudança das estações” em português) é, como dissemos ao vê-lo, um filme “zen”, um filme com uma paz incrível, com paisagens e sons maravilhosos.
Todos sabemos que o tempo tudo cura, no entanto nem sempre acreditamos, e para quem acredita e sonha os seus ideais são apenas mudanças, como as das estações, como a migração dos pássaros.
Um filme que conta a história da paixão de uma ornitologista com um agricultor viúvo com três filhos, um deles uma miúda com um espírito encantador, que nos mostra que se damos valor então temos de lutar de alma e coração e se o fizermos então a natureza sempre nos demonstra que o mais importante nem sempre vemos, porque as mais pequenas coisas da vida são as mais essenciais à nossa vida.

 Vejam para vos deixar tranquilos, pois a natureza é tão bonita, o homem é que a torna revoltante.

 

 

23
Out16

[Por aí] Alta Definição

Carolina Cruz

p31.jpg

 

 

Cada um de nós, seres humanos, tem a sua história para contar, momentos felizes, momentos de fama, momentos que não queremos lembrar, mas que precisamos de não esquecer para conhecer quem somos.

Todos nós temos alguém a quem devemos um pedido de desculpas e ao invés, muitos outros nos devem algo. Há sempre alguém que nos faz falta e sempre outro que não queremos de novo na nossa vida, porque nos feriu ou porque nos falhou... 
Há sempre histórias que não contamos a muita gente, mas alguém que nos é fiel, pois há sempre algo ou alguém que nos move em seguir em frente.
Uns amam a natureza, outros a música, tantos outros têm o dom da palavra e da sabedoria.
Cada um de nós é um ser especial, um ser diferente, tão igual a si mesmo. E, na verdade, as pessoas ditas famosas são aquilo que também nós somos, comuns, diferentes e iguais a si mesmos. 
Têm a sua vida, tão natural, tão sua, expressa no seu olhar, que também chora, que seduz e que fere.
Obrigada Daniel, por nos mostrares tamanha humanidade das pessoas que conhecemos no dia-a-dia através do ecrã.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D