Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

20
Set18

[O teu olhar] A humildade e a lua

Carolina Cruz

Cláudia Fernandes (4).jpg

 

Um dia a lua perguntou-me porque é que eu sorria tanto como o sol. 
Eu corei, disse que admirava as suas estrelas, as que lhe faziam companhia no céu, à noitinha, e ela disse que nada serviam porque brilhavam apenas quando todos os outros seres dormiam, eu falei-lhe de humildade e disse que as valorizava.
Contei-lhe então que o meu sorriso brilhava tanto como o sol, mas que preferia continuar humilde como as estrelas. Que sorria para fazer alguém sorrir, que o que fazia na vida era mais por amor do que para ter sucesso, porque aprendi com alguém que vive no céu, que é uma estrela agora a brilhar, que se tentarmos brilhar como o sol, podemos encadear os outros com a nossa excentricidade, mas se formos humildes como as estrelas um dia os mais belos sonhadores revelarão a nossa beleza.

_________________________

Fotografia da autoria de Claudia Fernandes

13
Jul18

[O teu olhar] Nunca te esquecerei

Carolina Cruz

36545541_469316760185165_8070220553929097216_n.jpg

 

Imploro ao teu coração que não pare. Eu sei que precisas de partir, que ele está fraco, que é um esforço tremendo ainda estares connosco. 
Eu sei que estou a ser pretensioso, egoísta, mas o que será do meu coração quando o teu deixar de bater?
Baterá com dor, com rancor a Deus, por te ter levado consigo. E bate, baterá como sempre, com uma enorme gratidão por te ter conhecido, por te ter pertencido. 
Obrigado, meu amor, por todo o amor que me deste, por todo o apoio que me deste quando só me apetecia chorar, obrigado por seres o meu eterno sorriso. 
Tenho a certeza que o céu ficará mais feliz, mais colorido, as estrelas brilharão com mais intensidade, porque estarás lá, a brilhar também, a mostrar a tua luta, a tua sabedoria, carregada de uma alegria que não deixa ninguém indiferente. 
Porta-te bem, meu amor. 
Serei sempre teu, sempre fiel.
Cuida de ti até ao dia em que poderei ser eu de novo a cuidar do teu coração.
Amo-te, meu amor. 
Nunca te esquecerei. 

_______________________________

Fotografia da autoria de Manu Pereira do blog:
https://existeumolhar.blogs.sapo.pt/

 

 
03
Jun18

[O teu olhar] Momento perfeito

Carolina Cruz

A noite cai. A lua sobe. O frio chega. Mas essa tua beleza não esmorece.
As luzes da aldeia acendem, queria desligá-las para poder olhar-te somente sobre as estrelas, seriamos no escuro um segredo bonito.
Aqui debaixo de todas as luzes que fazem deste lugar poesia, és tu quem brilha mais e isso faz-me acreditar que no escuro me guiarás.
Olho à minha volta e este é o lugar perfeito para iluminar o nosso amor, não o quero escondido, quero gritar ao mundo tudo o que sinto por ti. Que toda a vila ouça que aqui na serra à noite se fez dia!
Ajoelho-me e pergunto-te: «Casas comigo?»
Fecho os olhos, ouço-te sorrir. 
Abraças-me e aceitas a vida a meu lado para sempre.
Perco a rede e o juízo, as luzes sobem e os sonhos... Ai, os sonhos! São reais!

 

2. Andre.jpg

 

______________________________________

 

Fotografia da autoria de André Veiga 

19
Mai18

[O teu olhar] Em cada casa.

Carolina Cruz

Nunca me esqueço de ti.
Mesmo que venha um novo ciclo, mesmo que eu siga outro caminho, nunca vou esquecer o bem que me fizeste, o bem que trouxeste à minha vida.
Por mais tempo que passe desde o dia em que as nossas vidas tomaram rumos diferentes, por mais distância que a nossa amizade tenha aguentado... Amiga! Eu nunca vou esquecer o abraço que me deste, a força que ele me transmitiu e a energia com que me encheu a alma.
Por mais que passem os anos e novas pessoas entrem na minha vida, eu serei sempre grata e terei sempre um lugarzinho no meu coração para te guardar.
Peço à vida que te conceda o melhor e que te presenteie com um mundo feliz, um momento eterno de coisas boas, paisagens lindas e gente bonita por dentro.
Desejo-te o mundo, desejo-te o que há de melhor em mim e o dobro daquilo que desejo para o meu futuro, porque a amizade não se divide, multiplica-se, é maior que qualquer outro sentimento, é verdadeiro, gentil e o meu por ti é um amor infinito.
Por isso não esqueço, por isso em todos os lugares bonitos e inquietos em que estiver vou lembrar-me de ti e escrever em cada casa e em cada canto o teu nome, com saudade.

 

1. andré.jpg

 

__________________________________

 

Fotografia da autoria de André Veiga Fotografia

23
Abr18

[O teu olhar] O meu jardim

Carolina Cruz

keina diniz 2.jpg

 

São flores que te dou…
E já que a Primavera teima em não vir, faço, por natureza, Verão no teu coração.
Há Inverno no teu corpo e há muito que os nossos olhos se tocam. Eu sei que me amas, mas o teu feitio vincado é tão inquieto quanto uma noite de Outono.
Não te sei ler, logo eu que adoro códigos secretos. Talvez por isso me tenha apaixonado por ti, sou complicado demais também e detesto equações lógicas, ideias que acontecem porque sim.
Não, está na tua natureza ser complicada, e na minha está a forma audaz de amar essa complicação. Nada na vida é simples e é isso que torna tudo especial.
Por isso, ofereço-te estas flores que plantei para te ver sorrir. O teu sorriso é a coisa mais simples e mais bonita que existe e embora não seja teu hábito, habitua-te, vou fazer-te rir à gargalhada, vais querer ficar até ao fim. 
Porque dentro do meu peito, vou fazer de ti o meu jardim.

 

______________________

 

Fotografia da autoria de Keina Diniz

19
Set17

[O teu olhar] Não me condenem

Carolina Cruz

Manu pereira.JPG

 

Sento-me e sinto-me em paz. 
Não há nada que mais me acalme que a natureza, o seu verde, o seu ar puro, a sua sensatez. 
Ouço os pássaros cantar, os alfaiates a salpicar na água, a aurora a nascer, o dia a anoitecer, e ainda assim, por mais que todos os dias terminassem, eu permanecia aqui, com uma inquietude no peito, uma sensação maravilhosa que é estar de bem comigo, de bem com o mundo. 
Ler torna-nos assim, mais calmos, mais tolerantes a aceitar o que nos rodeia, a mimar a natureza, a amá-la, a compreender os outros, a amarmo-nos a nós mesmos, a viajarmos dentro de nós próprios.
Podemos ir a qualquer lugar sem sair de onde estamos, conhecemos novas personagens, novas histórias de ficção que semelhantes ou não à nossa própria vida, nos dão outro alento, outra esperança, um novo acreditar.
Não sou anti-social ou snob, nada disso, gosto de preservar o que me faz melhor, o conforto de um livro é tudo o que desejo para relaxar e então num banco de jardim, sinto-me completa.
Não me condenem, experimentem fazê-lo.

 

(Fotografia da autoria da Manu, uma fotografa que nos toca com o seu olhar em "Existe um olhar")

16
Set17

[O teu olhar] Deixa-me ser o teu jardim

Carolina Cruz

Ana Ribeiro.jpg

 

Minha flor deixa-me ser o teu jardim, a tua primavera, o teu sol.
Nunca hei-de aprisionar-te ou colher-te, sei que o mundo pode ser cruel e eu quero proteger-te, mas sem controlo demasiado.
Vou conquistar-te e demorar-me nessa conquista, vou cativar-te como o Principezinho fez com a sua rosa. Concedes-me assim tamanho tesouro? O da tua amizade? 
Minha flor, a amizade é o nosso amor mais delicado,é o sentimento mais precioso da vida, é a base de tudo, sem amigos nada somos, nem uma verdadeira relação amorosa poderemos viver.
Por isso, peço-te que aceites, ninguém pode ter ou ser um amigo se não estiver disponível para dar o melhor de si, não se pode ser pela metade. Se se é amigo, tem de se ser complemente. Não há meias laranjas, não gosto de nada que não seja por inteiro.
A amizade sem compromisso, sem reciprocidade, é uma flor que murcha e eu quero que o mundo floresça, seja feliz. 
Quero-te do meu lado, mas se me concederes esse gosto, esse prazer que é tão simples, que é o de gostarmos de alguém.

 

Fotografia de Ana Ribeiro do blog "EscreViver", autora do seu mais recente livro "Ao Teu Lado

20
Ago17

[O teu olhar] Âncora

Carolina Cruz

verónica pedro.jpg

 

O destino no seu esplendor. 
O destino a ser, a afastar-nos, a mover-nos para direções contrárias.
Não há direito. 
Isto é mentira. 
Não, não é verdade.
Somos duas metades que se completam. 
Duas almas que furam a floresta juntas, que amam a natureza de ser.
Somos dois corpos perdidos no vazio, mas orientados pelo amor.
Não, nada nem ninguém é quimera suficiente que nos possa afastar.
Nem o destino.
Nós é que somos (e sempre fomos) destino. 
Fomos feitos um para o outro, de forma tão certa, tão coerente, tão precisa, tão nossa, desde os confins do tempo.
Somos flores que florescem juntas, somos os mesmos braços, o mesmo coração. 
Somos uma linha de amor como uma bonita trepadeira, que cresce sem esmorecer. 
Jamais nos cortarão os braços e se nos deixarem à deriva, seremos sempre a âncora um do outro, para tudo, para o que der e vier… 
Somos dois corpos dedicados a tudo o que somos.
Somos duas almas a ser (tão completamente) tudo o que somos.
Sem mais nada, sem mais ninguém.
Uma flor, uma âncora, um amor.

 

(Fotografia da autoria de  Verónica Pedro)

25
Jul17

[O teu olhar] Voa sem medos

Carolina Cruz

Carla Santos.jpg

 

Voa, sem medos… 
São os teus sonhos, intensifica-os, agarra-os, luta até ao tutano. Tu és forte, guerreira e amas aquilo que a vida te dá. Amanhã não será diferente, não poderá ser diferente… 
Vai e luta! Tu és capaz…
É nessa capacidade que tens de acreditar… Acreditar que, mesmo sem asas, tu és capaz de voar. 
Voa em frente… Não baixes os braços, não tombes a cabeça. És forte demais para te diminuíres, és grande e tens o mundo a teus pés, que é teu pequenino ao pé da grandeza dos teus sonhos. 
Vem, voa, sem medos… 
Tu tens a cor da luta, tens a imagem de um sorriso infinito de braço dado com a tua loucura saudável de que chamas de amor, inteiramente com o coração, com a força de uma vida que aí vem e que será sempre tua.

 

Fotografia da autoria de Carla Santos :)

10
Jul17

[O teu olhar] Porto do meu coração

Carolina Cruz

Sara Morais Just Saying.jpg

 

Porto.
Há muito que não te escrevia. E tu sabes porquê, enamoraste-me na paixão pelo teu rio e deixaste o meu amor por ti morrer. Ainda assim eu não sinto rancor, sinto saudade. Saudade de te dizer "estou aqui" e estar realmente de braços abertos para te receber, porque deste-me o maior encanto de todos, o amor-próprio.
É por isso que mesmo depois de tudo, de tanto tempo, eu ainda consiga gostar de ti da mesma forma e recordar o teu sorriso ao nascer do sol.
Essas tuas pontes são a forma de compreender que existirá sempre uma razão para nos unir, mesmo antes de nos separar.
Porto, desculpa não escrevo só para ti, escrevo para um amor perdido, no entanto decidi em escrever-te.
Foste tu o meu remetente porque foi nos braços dele que me perdi mas foi no teu regaço que me encontrei.
Porto, feito de memórias. Porto feito de razão, porto de abrigo, de amor. Porto do meu coração.

 

 

(Adoro o Porto, a Sara sabe disso. Esta fotografia está maravilhosa, é uma das tantas fantásticas que tira. Já seguem o seu blog "Just Saying"? Tratem disso porque vão adorar!)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D