Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

11
Dez18

Liberta-te!

Carolina Cruz

large (4).jpg

 

Diz adeus a quem nada te diz. Se essa pessoa não te quer bem, se não te acrescenta, afasta-te.
Afasta-te de quem polui a tua mente, de quem só desdenha, de quem só fere, de quem diz que não és capaz.
Diz adeus às pessoas a mais na tua vida. Há um tempo que é tão precioso e tu ainda teimas em passá-lo a massacrar-te com essa gente. 
Liberta-te, mostra que és indiferente. E ser indiferente não é mostrar que és superior, mas que estás educadamente nas tintas para o que os outros pensam de ti ou acham da tua vida.
Ninguém tem nada a ver com as tuas coisas, as tuas escolhas, apenas aquelas pessoas às quais essas escolhas dizem respeito ou a quem tu queres contar. 
Não tens de te justificar, não tens de procurar argumentos para gente que só gosta de ter os outros na boca para dizer mal. 
Só há nelas falta de amor. Prova que tu és diferente e que isso é maravilhoso!
 
 
 
 
 
 
 
 
27
Fev18

[Ficção] Deixar partir.

Carolina Cruz

foto-casal-tumblr.jpg

 

Consigo ver nos teus olhos, ainda a amas tanto, tanto que não consegues disfarçar.
Os olhos nunca mentem, os teus espelham admiração, lágrimas de saudade e de um velho amor que voltou.
Como achas que consigo aguentar isso? Se és tudo aquilo que sonhei, que amo acima de tudo.
Meu Deus, sinto tudo isso como farpas no coração, apetece-me desaparecer, apetece-me partir para longe.
Deixei tudo por ti, deixei a minha vida, deixei de ser quem era, em troca de um sonho que eras tu. Hoje vejo que não passou disso mesmo: um sonho que se tornou um pesadelo.
Podes pedir-me tudo, menos que fique a teu lado. Ainda tenho amor-próprio. Ainda sei que me devo respeito, que não mereço estar ao lado de alguém que pensa com o coração e que esse mesmo coração ainda ama outro alguém. Não quero ser um entrave na tua vida, prefiro morrer. Não quero estar sem me sentires, não quero ser tua namorada se não me amas.
Respeito que não mandamos em quem amamos, entendo que o passado voltou, mas não peço que compreendas esta dor que me arde no meu peito.
Fica em mim um sorriso doloroso do que acreditei que tivéssemos sido.
Obrigada por todos esses sonhos que me viveste. Por mais anos que passem, não esquecerei.
Porém, vou partir.
Deixar-te sozinho, para repensares quem és, quem amas…
Amar também é isso.
Dar tempo, partir…
Deixar partir.
30
Set17

O que é o amor?

Carolina Cruz

0f8ed3fc831614fa0ee7b87f8c8fcd24.png

 

O que é o amor?
É o respeito, o companheirismo, a certeza, a amizade…
É a ausência de arrogância, de agressão, de autoritarismo, de segredos.
O amor é simplesmente isso. O querer alguém do nosso lado, se possível para toda a vida. Amor é acreditar que essa pessoa é o melhor de nós e que damos também o melhor a essa pessoa.
É sentirmos que estamos realizados, é acordar de manhã e sorrir, pensar: é um novo dia para amar, olharmos para quem está ao nosso lado e sorrirmos. 
Amar é mostrarmos quem somos sem rodeios, quem nos ama, amar-nos-á por essa razão: sermos quem somos.
O amor não tem rosto, não tem forma, feitio ou idade. Porque haveria de ser apenas entre homem e mulher?
Chega de hipocrisias, chega de mãos que se levantam, bocas que condenam, venham mais corações para amar, para sentir, para estar, para ser, para ficar.
O amor é tão simples, o ser humano é que o condena, faz dele uma sentença, complica, amarra-o.
O amor é livre. Assim sendo… nada mais há a fazer se não amar. 
Amar, inteiramente, completamente, sem medos, quem está ao nosso lado.

(Foto: Pinterest)

26
Mar17

[Ficção] Não quero saber

Carolina Cruz

2 (2).jpg

 

Podes vir dizer o que bem quiseres do passado dele, de quem ele foi, de como foi. Mesmo que queiras omitir o que tu foste, quem ou como foste para ele. O que passou passou. Não quero saber. Eu recebi-o de braços abertos, com feridas abertas também, conheci o passado que ele me contou. O teu eu não quero saber, ou melhor – o vosso. Passou. Sei que ele saiu magoado, que tu também, que tens o teu lado, ele também. Eu permaneço ao lado dele, do lado dele, e ainda que possas querer-me dizer algo para me alertar, eu não vou querer ouvir. Eu sei que ele permanece comigo, que é ele quem eu quero, que sou eu quem ele quer, e então queremos mais nada, nada mais importa.
Eu recebi-o, com o teu passado ainda por fechar, mas houve algo que em mim o marcou, sem rodeios eu tornei-me na sua melhor amiga, muito antes de ser sua namorada, permaneci a sê-lo e só assim vale a pena. Foi isto que não preservaste, esse lado (tão) bom, a sua amizade, o seu jeito genuíno de ser. Apenas soubeste idolatrá-lo, querer dele tanto o quanto ele não te podia dar, encheste-o de seduções e ciúmes e o que lhe faltava realmente era um ombro amigo, uma verdadeira amiga. Só assim as relações valem a pena e só assim é que elas duram, porque não é o sexo que as mantém mas a amizade.

 

 

15
Fev17

Rapariga, tu tens o teu mundo!

Carolina Cruz

rapariga, tu tens o teu mundo - por carolina cruz.

 

Hey! Acorda! Levanta-te!
Tu não estás caída no chão por tua culpa, não é por tua culpa que ele discutiu contigo. Deixa de pensar que és a culpada, só porque ele diz que o és. Diz-lhe sim – basta!
Basta de acreditares que a relação é a partilha de tudo, de palavras passe, de contas abertas e amigos selecionados.
Chega! Não te agarres a isso, não é verdade. Rapariga, tu tens o teu mundo, tens de ter os teus amigos, a tua privacidade, isso não significa que tens algo a esconder, mas sim que tens de ser tu e se numa relação tu não és tu por inteiro, por favor esquece-a, não é saudável e então não é amor.
“Não saias à rua com essa saia”, “não uses esse vestido, todos os homens vão olhar”, “és uma merda”, “amor desculpa-me, eu amo-te.”.
Desta vez não desculpes, não te rebaixes, não te deixes vitimizar. Isso não é amor, nem cuidado, é machismo, violência.
Desta vez diz “basta”, bate a porta, agarra uma nova vida, tu és forte e não dependes de ninguém para ser feliz, o bichinho da alegria vive dentro de ti, apenas se completa com outro alguém. Mas não alguém como ele, alguém que ame a mulher que tu és, sem controlos desmedidos e quebra de privacidade, mas sim que te conheça no teu todo, que te corrija os erros, mas que os aceite como uma parte de ti, afinal tu és um ser igual a ele, não inferior.
E quando bateres essa porta, procura o melhor de ti, não te deixes ir a baixo, tu és do mundo, és uma mulher e só por isso tens a tua garra, a tua força maior e percebe que quando o amor chegar também vai ser o melhor de ti, vais viver e namorar sem receios de dizer o que sentes, de vestir o teu mais sensual vestido, porque quem te ama não te prende, mas respeita-te como és e que tem orgulho em dizer – “Aquela mulher ali é minha namorada. Linda não é?”

 

 

16
Jan17

[Ficção] Serás sempre o meu amor

Carolina Cruz

3 (2).jpg

 

Serás sempre, venha o que vier, o meu amor pequeno, rasgado numa grandiosidade enorme.
És a minha razão de viver, mentiria se omitisse. És o quem faz o meu coração bater, és a força que se rasga nos meus olhos a sorrir.
O teu tamanho é muito maior do que eu vejo. Dando-te um beijo na testa, comprovo que és a minha perfeita sensação, a mais bonita, aquela que quero guardar até ser velhinho.
Quero procurar em todas as horas o teu abraço, permanecer nele, encantando a paz, respirando harmonia, pois és tu que me alegras, dás cor ao meu dia.

 

 

04
Jan17

[Ficção] Ela é... minha!

Carolina Cruz

FB_IMG_1459207702592.jpg

 

Ela é maravilhosa, extrovertida, adorada pelos outros, desejada quiçá por tantos, sei-o, mas não a condeno por isso.
Ela é minha namorada. Se tenho ciúmes? Claro, é sinal que me importo, que a amo de verdade.
No entanto não a prendo nesses ciúmes, não a forço a mudar, nem quero... Eu gosto dela assim.
Tenho sim orgulho de ser eu a dormir a seu lado, de a agarrar e beijar. É no meu ombro que ela chora sempre que precisa, é no meu abraço que ela partilha a maior felicidade, o seu sorriso mais feliz.
É por isso que não abuso dos ciúmes que possa ter, porque se ela me escolhe é porque me quer. Estamos completos nessa certeza de que o seu coração só a mim me pertence.
Não duvido, entrego-me, rendo-me, a ela, ao amor.

 

14
Mar16

A rapariga dinamarquesa

Carolina Cruz

a-rapariga-dinamarquesa.jpg

 

 

“A rapariga dinamarquesa” é um filme que nos conta a história verídica de Einar, um pintor que nasceu no corpo errado, com desejos de um dia se tornar mulher.
Todo o decorrer da história centra-se neste pensamento e na sua relação com a esposa, Gerda - que desencadeia o demonstrar desse sentimento que sempre existiu, com o desejo de pintar algo diferente. No entanto, o que se torna inicialmente num jogo e numa brincadeira torna-se mais tarde, algo bastante real.
A primeira reação de Gerda é de negação, mas quando percebe que não está nas suas mãos o que o seu marido sente, a luta torna-se de ambos, o que mostra uma união única, intrigante, um amor puro que não cessa.
É um filme com uma mensagem inspiradora, pois Einar luta contra todos os preconceitos da sociedade, sendo o primeiro homem a submeter-se a uma cirurgia genital e ser Lili Elbe.
Uma história que aborda assuntos delicados, que não estamos habituados a ver no grande ecrã.
Neste filme, destaco a presença de Eddie Redmayne, que tem um papel não só fundamental mas a meu ver, arrebatador.
Gostei, no entanto pelo facto de as minhas expetativas terem sido desde início bastante elevadas, pois foi um filme desde há muito falado, achei, na minha opinião, que o filme poderia estar melhor, mas não é por isso que não devem deixar de ver, muito pelo contrário, aconselho a verem e a terem a vossa própria opinião.

 

05
Jan16

Hoje fechei os olhos para sonhar

Carolina Cruz

11.png

 

A minha filosofia passa pelo teu lado lunar, forma inconstante descontente, na ideia de te conquistar eternamente.
Características, erros, respeito, viver é o nosso direito.
Corro sem fronteiras até ao destino, longe se faz perto pelo melhor caminho, onde a aurora desperta em chilreios melosos, cânticos de adormecer, fados bem cantados.
Os olhos brilham e o sorriso rompe-me os lábios.
Sim! Tenho algo para contar, hoje fechei os olhos para sonhar.

 

 

10
Dez15

Parte um do outro

Carolina Cruz

26.jpg

 

 

Esqueço o meu coração para amar o teu, gosto de mim mas gosto mais da outra parte que te pertence, que é minha, feita daquilo que somos.
Beijo a tua mão, respeito o que a vida nos dá, acreditando sempre que nos dará ainda mais, no segredo escrito para só nós contarmos, para só nós sabermos.
O meu coração pertence ao teu, à luz dos teus olhos e o teu ao brilhar dos meus.
Seremos sempre parte um do outro, seremos sempre um, feito de um orgulho infinito, de um amor que jamais terá um fim.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D