Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gesto, Olhar e Sorriso

Palavras que têm vida.

02
Abr18

[Resenha Literária - Chiado Editora] Sinto-Te, de Ana Silvestre

Carolina Cruz

350x.jpg

 

"Sinto-Te", é um livro de Ana Silvestre, uma autora por quem eu tenho um grande carinho e admiração, pois já há algum tempo que tenho vindo a seguir a escrita da Ana e a adoração que tenho pela simplicidade e beleza das suas palavras aguçou-me a vontade de ler este livro, publicado pela Chiado Editora. E, a verdade, é que não me desiludiu nem um bocadinho. 
Os pensamentos da Ana, a sua forma de levar a vida, de descrevê-la e escrêve-la vão muito ao encontro do que sinto. E rendi-me a este livro também por isso. 
"Sinto-Te" fala-nos de Joana, uma rapariga que tem premonições e acredita em sonhos e em sinais. Sonha com o homem da sua vida, mas Joana é um pouco complexada e cheia de segredos, por isso quem a amar e desejar tê-la para a vida toda terá de a desvendar.
Este livro aborda o perdão, o amor - um sentimento que todos presenciamos, mesmo quando levamos a vida a evitá-lo, as simplicidades do dia-a-dia e como elas são tão importantes nos detalhes da vida. Essa vida que não é fácil, que nos dá muitos motivos para chorar ou desistir, mas que ainda assim é bonita e especial quando tocamos nas memórias mais felizes, quando o amor acontece, entre irmãos, entre pares, amigos, familiares. Porque a vida é feita de momentos, sejam ele maravilhosos ou menos bonitos. É preciso deixar o amor acontecer e a vida irá sorrir-nos.
É isso que Ana Silvestre nos mostra neste livro tão doce, tão genuíno, e de fácil leitura! 
Leiam, porque vale mesmo a pena!

16
Mar18

[Cinema] Butterfly dreams

Carolina Cruz

21046309_20131003090730236.jpg-r_1280_720-f_jpg-q_

 

"Butterfly dreams" é um filme baseado numa história verídica e é dedicado a todos os poetas esquecidos. 
Este filme conta a história de dois jovens que, na segunda guerra mundial, são obrigados a trabalhar nas minas. Tudo parece demasiado pesado, o trabalho ardúo, as doenças, mas é o amor que torna mais leve a vida malvada destes dois amigos.
Ao apaixonarem-se pela mesma rapariga competem entre si qual lhe escreve o melhor poema, por qual é que ela se apaixona primeiro através da poesia. 
Uma história arrebatadora, crua, dolorosa, poética misturada com sorrisos, gargalhadas e uma dose elegante de amor e amizade. 
Um hino e uma homenagem a todos aqueles que lutaram para serem poetas numa época em que a educação era apenas para ricos e a alfabetização era escassa. 
Um filme pouco falado (como os que eu gosto de ver e de vos apresentar) que nos arrebate. 
Está disponível no Netflix Portugal e acho que não deviam perder!

 

 

26
Fev18

[Resenha Literária] A todos os rapazes que amei

Carolina Cruz

350x.jpg

 

“A todos os rapazes que amei” é um livro “young-adult” escrito por Jenny Han.
Confesso que adoro este género de livros e este é fantástico.
Conta-nos a história de Lara Jean, uma jovem sonhadora, que guarda numa caixa, oferecida pela mãe, várias cartas escritas aos rapazes que amou. 
Lara Jean escrevera-as para se permitir encerrar um capítulo e finalizar (ou tentar finalizar) esse amor que sentia, em jeito de despedida. Porém, vê a sua vida do avesso quando as cartas, que tinham destinatário, mas sem intenção de chegarem ao destino, são realmente entregues aos rapazes que amou. E é então aí que a aventura começa e o que julgava ser uma verdadeira confusão dá lugar a histórias que nunca vai querer esquecer!
Um livro com um toque muito pessoal, escrito na primeira pessoa, com passagens divertidas e doces, em contexto familiar, com um romance de rir e chorar por mais, onde a leveza e a simplicidade predominam.
Esta história dá-nos também a prova de que o amor surge quando menos esperamos.
Este livro tem (felizmente) uma continuação e em breve virei a falar sobre ela.
Até lá, aconselho vivamente a leitura, vão adorar conhecer esta história e as suas personagens maravilhosas!

08
Fev18

[Cinema] Somente tu (Sadece Sen)

Carolina Cruz

MV5BNWNhZjJjNjEtN2NhNy00MjI3LWI0Y2YtZDlmNThkNjMwNT

 

Um filme estupendamente incrível. 
Prende-nos, deixa-nos inquietos, é ideal para quem gosta de filmes românticos e ao mesmo tempo a quem não resiste a um bom suspense com muita ação e adrenalina à mistura. 
É um filme romântico, que muitos dirão ser clichém mas que eu defino como uma forma bonita e poderosa de nos falar da diferença, da superação, da amizade, do amor, do perdão...
Este filme fala-nos de Ali, um antigo pugilista que se apaixona por uma jovem cega e a sua vida muda para sempre, porém há algo que descobre e que o faz voltar ao passado de lutas e de violência.
O que será?
Como vos disse é um filme de suspense, de curtar a respiração do início ao fim.
Encontra-se disponível no Netflix! Já conheciam?!

 

 

07
Jan18

[Cinema] A Bela e o Monstro

Carolina Cruz

beauty-and-the-beast-movie-poster-01-600x350.jpeg

 

Há imenso tempo que andava para ver este filme, as expectativas eram imensas e o filme estava exatamente como acreditava que estivesse: Brilhante!
"A bela e o monstro" está incrívelmente belo. É fiel à história original, é maravilhosamente bem caracterizado e as imagens são fantásticas.
Pessoalmente, não sou fã de musicais, mas as partes musicais são tão bonitas e divertidas que tornam o filme mais especial. 
Este filme é um verdadeiro brilho no olhar para os mais românticos como eu. 
Nem tudo é o que parece e por vezes aquilo que nos é mais estranho torna-se o mais bonito e mais especial. O amor não é uma questão de beleza exterior ou estatuto, mas algo que vem de dentro, bem dentro do coração. 
Uma história que de forma tão bonita e cheia de fantasia nos fala de amor. 

 

 

04
Jan18

[Cinema] Antes que eu vá

Carolina Cruz

523468.jpg

 

O hoje é o teu dia mais importante, é no presente que podes mudar a tua vida para sempre ou se isso não for possível, mudar ou melhorar o contacto com os outros, deixar uma mensagem em alguém ou a tua própria mensagem, a opinião que os outros ficam de ti e o mais importante - a tua consciência tranquila e feliz.
"Antes que eu vá" fala-nos de Samantha, uma jovem que tem uma vida "perfeita", mas da pior maneira percebe que a sua vida não é totalmente aquilo que sonhava, embora seja das raparigas mais populares da sua escola. Será que isso é assim tão importante?
O seu dia 12 de fervereiro não será um dia como os outros e pelas priores razões (a sua morte), porém ela tem a oportunidade de mudar tudo para sempre. Conseguirá?
Um filme que não só nos deixa a pensar, como nos prende e nos arrelia, como nos faz soltar gargalhadas ou até chorar.
Vejam, porque embora pesado quanto à sua história, este filme tem um toque de leveza e juventude.
Vão gostar!

 

17
Nov17

[Cinema] Amor acima de tudo

Carolina Cruz

amor-acima-de-tudo-poster.jpg

 

Amor acima de tudo”, filme baseado no livro “Tudo, tudo… e nós” está bonito, porém quem leu o livro há-de entender-me quando afirmo que fica um pouco aquém.
Como falámos na resenha do livro, a história desta longa-metragem fala-nos de Maddy, uma rapariga de 18 anos, que é alérgica ao mundo e que vive com bastantes cuidados, sem nunca poder sair de casa, sem conhecer outro lugar senão nos livros que lê.
Tudo muda na sua vida quando se apaixona por Olly, o novo vizinho. A sua perspetiva do outro lado da janela muda e a sua vontade de arriscar ter medo também. O amor pode fazer-nos alcançar o impossível.
O filme tem um bom elenco, jovem, que prende ao ecrã pela simpatia. Porém, tem algumas coisas de que não gostei e que não tivesse lido o livro talvez não notaria.
Há partes confusas no filme que quem não leu o livro talvez não entenda que sejam sonhos, quando ela apenas imagina, e nesses mesmos sonhos a ficção é demasiada, na minha opinião.
Ainda assim, a história consegue cativar o público jovem e para os mais românticos é de facto um romance para sonhar. 
Mas, pronto, preferi o livro!
E vocês? Leram o livro? Viram o filme?
Qual a vossa opinião?

 

 

16
Nov17

[Resenha Literária] Ao teu lado

Carolina Cruz

1-livro-ao-teu-lado-626x516.jpg

 

"Ao teu lado" é o segundo livro da autora Ana Ribeiro.
Após "Um amor inexplicável", o seu romance de estreia, no qual nos apresenta Ana e Miguel como personagens secundárias, Ana traz-nos neste segundo livro Ana e Miguel como personagens principais, permanecendo no espaço do primeiro livro: a pediatria onde Ana é médica e Miguel voluntário e onde contam a sua história de vida e amor aos meninos internados.
Ana e Miguel criam na infância uma amizade para toda a vida: uma promessa que fazem de mãos dadas.
Esta parte do livro - a infância - com os avós, o campo e o Alentejo, é tremendamente doce, a minha passagem preferida do livro, porque nas recordações de Ana e Miguel eu revejo igualmente memórias do meu avô. Há uma inocência bonita e bem caracterizada. 
Porém, como compete a vida, as personagens principais vão crescendo, alterando o seu percurso, criando sonhos, que consequentemente, trazem mudanças e distâncias às suas vidas e à sua amizade.
O desafio deste livro é questionarmo-nos se poderá uma amizade, mesmo que verdadeira, aguentar firme e forte depois de tantas adversidades. Será?
Um livro puro que se sente que foi escrito de alma e coração e no qual Ana, tal como o poeta aconselha, pôs tudo o que é em cada palavra desta história feliz.

15
Nov17

[Cinema] Shelter

Carolina Cruz

Sığınacaq_(film,_2007).jpg

 

 

“Shelter” um filme de drama que nos fala sobre a essência do amor.
O amor, esse sentimento que não sabemos definir e que, na verdade, não podemos nem devemos controlar.
Quando há amor, não pode haver vergonha. É preciso amar sem medos, ainda que isso seja contra o que a sociedade dita como correto. 
Não há nada de errado quando se ama alguém com todo o nosso coração, não precisamos de recear assumir que amamos, mesmo quando nem nós mesmos acreditamos ser verdade. ´
A homossexualidade não é uma doença, nem um conceito errado, é amor, ponto final.
“Shelter” fala-nos sobre isto, sobre o amor que Zach sente pelo irmão mais velho do seu melhor amigo e a luta entre o que lhe dizem estar certo e o que sente.
O que será mais importante afinal? O que pensa a família ou o seu amor por Shaun?
Um filme intenso, bonito, com muita qualidade.

 

 

 

 

 

07
Nov17

[Cinema] AMAR

Carolina Cruz

MV5BMzBkZDQ0MTEtYjcwMi00ODFiLTliZDQtNmJkZWU1MDUxOW

 

AMAR
Amar puramente, desenfreadamente, descontroladamente.
Amar ontem, hoje, como se não existisse amanhã.
Amar sem nexo, sem cor, sem jeito, sem controlo. Amar simplesmente. Loucamente, de forma desmedida.
"AMAR" é o nome do filme espanhol de Esteban Crespo. 
Um filme ousado, despreocupado, que nos envolve de suspense e curiosidade. 
Conta a história de Laura e Carlos, que com apenas 17 anos, vivem uma relação intensa, de tal forma que chega a ser doentia, controladora, sufocante, mostrando-lhes que o amor também tem o seu lado mais inseguro, quando respiramos somente paixão e nada mais.
Os ciúmes, as desconfianças e as paranóias, o lado mais negro de se amar. 
O sexo, a loucura e a culpa envolvem-nos nesta trama que não é das melhores, mas que tem qualquer coisa que atrai a atenção do início a fim do filme.
Vejam e tirem as vossas próprias conclusões.

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Parcerias

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D